quarta-feira, 31 de agosto de 2011

Eduardo Barroso deixa AG do Sporting?


Hoje é dia de fecho de janela de transferências. Por isso quem gosta de futebol está mais atento ao mercado. Tão atento, que deixou de estar atento ao artigo de Eduardo Barroso hoje na Bola.

Neste momento também gostaria que viesse um central e um ponta-de-lança para o meu clube. E não só o Elias, que é grande jogador. Mas há pormenores interessantes.

Na segunda-feira dei em primeira-mão um almoço da direcção do clube e com Eduardo Barroso e Daniel Sampaio. Não estava agendada para media, mas alguns jornalistas mais atentos ao meu Facebook viram a credibilidade da informação e fizeram o seu trabalho. Chegando mesmo A Bola a tempo de captar uma foto dos comensais na mesa da Trattoria.

Eduardo Barroso nesse almoço não foi tão moderado como depois à noite na TVI24 e em declarações à imprensa foi. Nesse almoço, como titulou o DN, Godinho Lopes com o seu estilo ponderado serenou os ânimos.

Mas todos sabemos que uma coisa é o que dizemos em privado e outra em público, sobretudo quando se ocupam cargos institucionais, no caso, presidente da Assembleia Geral do Sporting.

Tinham-me dito que Eduardo Barroso noutro restaurante de eleição ali nas Portas de Santo Antão já teria manifestado desejo de se afastar um pouco das coisas do Sporting até por motivos profissionais, mas também com algum desalento.

Eduardo Barroso, apesar de médico, é um doente crónico sportinguista e nunca o deixará de o ser.´Tem sido generoso na defesa do clube mas hoje no seu artigo de A Bola deixa sinais. Transcrevo ipsis verbis:

Título: «Envolvi-me de mais no mundo do futebol?»

Depois: «Tudo junto, e com 62 anos, vejo-me envolvido, talvez em demasia, no mundo do futebol».

«Por muito importante e por muito que goste da minha actividade ligada ao Sporting não posso permitir que esta actividade interfira minimamente na minha vida profissional»

«Mas todos compreenderão que a principal (actividade) é a minha vertente profissional»

«Adoro o Sporting e também adoro a minha profissão e o projecto de uma vida. Até agora foi possível compatibilizar estes dois amores»

«Envolvi-me de mais no mundo do futebol? A pergunta a que tenho de dar resposta em minha inteira consciência».

Aguardamos o veredicto da sua consciência.

Teresa e Júlia: uma guerra de disparates


Júlia Pinheiro e Teresa Guilherme são duas excelentes profissionais de televisão. É um facto que enquanto a primeira tenta ser popular, a segunda é mais "marota".

Esta guerra que estão a insuflar vai dar jeito para revistas "del corazon" e para vitaminar a batalha de audiências entre a TVI e SIC nesta rentrée.

Mas sinceramente é uma guerra de disparates porque não faz sentido. Pois o seu foco é a Casa dos Segredos uma das coisas mais medíocres que já me foi dado ver em televisão. Perder tempo por causa de uma dúzia de grunhos que vão ter 15 minutos de fama e depois cair no esquecimento é ridículo.

E uma prova de que as generalistas vão continuar a cair.

Gehry em Lisboa era caro na Guarda não


O tempo é o melhor remédio para determinadas coisas. Frank Ghery esteve para ter uma grande obra em Lisboa, que seria marcante e mais um foco de atractividade para a cidade.

Mas aqui del rei pela imprensa e alguns saloios que era caro. Agora vai dar o seu cunho a uma obra na Guarda e já dizem que até merece uma estátua como podem ver no link.O tempo meus amigos, o tempo, leva-nos a sorrir.

terça-feira, 30 de agosto de 2011

A troika do Sporting


A minha crónica de hoje no Sporting Apoio.

Para onde foi o charme dos artistas e intelectuais?


Crónica imperdível do Arnaldo Jabor.

Boas notícias sobre chocolate


Para quem gosta, uma boa notícia para justificar o vício.

PiaRam bem


Subscrevo este post.

segunda-feira, 29 de agosto de 2011

PSD está contra a coligação Cavaco/Louçã


A notícia que eu aguardava com expectativa e que aplaudo. O lado mau da coisa é que vamos ver como fica o jogo Belém/S. Bento.

Oráculo (310)


«A injustiça feita a alguém é uma ameaça que pende sobre todos»

Ribeiro e Castro, hoje no DN

A raíz da depressão


Recomendo a leitura deste texto, tem a ver com o sentido da vida. De José Luís Nunes Martins.

Que legado deixará Jardim?


Alberto João Jardim é uma figura polémica, rei da Madeira nunca deu passo decisivo para o continente e aí seria possível ver melhor a imagem que os portugueses têm dele.

A Madeira é o que é graças a ele. No meio da sua política espectáculo e no gosto pelo "soundbite" e a "boutade" há trabalho. Há muitas coisas criticáveis, sem dúvida. Mas também como será aquela ilha sem ele?

Jardim é daqueles políticos politicamente incorrectos e do tipo que já não existem. É uma criatura em vias de extinção. Nunca ninguém o conseguiu pôr na ordem e também deve haver algum mérito dele nisso.

Estas eleições provavelmente serão as últimas que disputará, depois virá algo de politicamente correcto. E depois, sinceramente, nunca mais vamos ligar à Madeira como já fazemos com os Açores.

domingo, 28 de agosto de 2011

Sporting: como não se deve fazer uma conferência de imprensa

Até a mim às vezes se torna maçador falar destes assuntos. Mas é uma pena que a comunicação do Sporting seja um "case-study» de como não se deve trabalhar em comunicação, pois o amadorismo é gritante.

Peço que vejam as imagens da apresentação do novo reforço, bom jogador, Insúa. E peço que vejam o post-scriptum.

1- Nenhuma conferência de imprensa arranca sem que as suas condições técnicas sejam verificadas com antecedência. É muito giro aparecer no palco ao lado de um dirigente e de um jogador, mas convinha que um tempo antes se testassem as condições técnicas do auditório. Lembram-se quando Sócrates foi apanhado pelas televisões quando testava antes de entrar num directo? Pois meus amigos, isso é profissional. Preparar com antecedência para que nada falhe no directo. Daí aqueles problemas de áudio registados e eram evitáveis como podem ver nas imagens.

2- Ter o guião das coisas, se não consegue memorizar que escreva num papel. Passa pela cabeça que se tenha esquecido que era Carlos Freitas o primeiro a falar e a apresentar o jogador antes das perguntas dos jornalistas? As desculpas evitam-se por isso é ridículo pedir desculpa pelo esquecimento como podem ver pelas imagens.

3- Quem dá a cara numa conferência de imprensa é o centro da mensagem. Quem está ao lado deve estar de forma mais estática sem fazer «ruído» para não desviar a atenção. Passar uma conferência de imprensa a enviar sms é falta de respeito por quem está a falar. Se tem de trabalhar, sai do palco. Mas se forem ver a conferência de imprensa de Godinho Lopes sobre a arbitragem foi muito pior. O advogado ao lado estava sempre a mascar pastilha e a directora de comunicação na maior parte do tempo a enviar sms.

É com muita pena que escrevo isto, mas espero que seja utilizado como lição prática para o futuro e que a senhora aprenda. Já todos viram o óbvio, menos o único responsável pela sua contratação que foi o sr. Carlos Barbosa.

Basta fazer um telefonema em caso de dúvida que há sportinguistas que andam no universo da comunicação há muitos anos e que podem ajudar nos momentos difíceis. Agora, nos momentos fáceis era importante que o Sporting não passasse a imagem de amadorismo a que infelizmente nos tem habituado.

PS: E há outro pormenor importante que vai para além de uma análise técnica: aquele momento da conferência de imprensa a mandar calar os sócios é que também não me agrada nada. É bom que se lembre que quem lhe paga o salário não é quem a escolheu. São os sócios com as quotas e o seu amor ao clube. Os sócios do Sporting sabem manter o silêncio e o respeito não precisam de ser mandados calar.

Oráculo (309)


«Viver com medo é uma coisa terrível»

Shawshank Redemption

Steve Jobs: o gigante da garagem


O título do post é tirado do título deste excelente artigo do Estado de S. Paulo que traz mais links sobre Steve Jobs.

sábado, 27 de agosto de 2011

Invadir telefone de jornalista é atentado à liberdade


Peça escrita pelo Ricardo Costa denuncia que as secretas sem ordens para isso invadiram privacidade do telefone do jornalista Nuno Simas. Isso é um grave atentado à liberdade e tem de ser investigado até às últimas consequências. O Governo esteve bem ao mandar investigar como se pode ler por aqui.

Oráculo (308)


«Sou como os gatos, gosto que me façam festas»

Miguel Veiga, no DN de hoje

Mais uma de Assunção Cristas...


Tenho simpatia por ela e sempre achei que daria boa ministra a aposta de Paulo Portas. Chamei a atenção, no seu devido tempo, para o pormenor de ter sido Assunção Cristas a ter dado a primeira grande entrevista deste Governo, no caso ao Expresso. E não é pormenor de pequena importância.

Hoje, leio outra entrevista ao Expresso. Segue o conselho para não abusar, o que é de mais cansa.

Assunto perigoso


Este tipo de declarações, habituais nesta criatura, é algo de perigoso...

sexta-feira, 26 de agosto de 2011

O Páis do faz de conta, o de Nelson Motta


Sobre o Brasil, na prosa sempre solta do Nelson Motta.

Adoro a coligação Cavaco/Louçã...


Francisco Louçã pediu impostos para os mais ricos, leio aqui que Cavaco concorda. O mundo está perigoso.

Casa dos Segredos e as vitórias do cabo


É fácil de perceber a fuga de audiências dos canais generalistas: cansaço e melhor qualidade de oferta para cada segmento de público.

Esta semana a bonita Cláudia Vieira deu uma entrevista ao I, lá pelo meio dizia uma coisa que não deve ter caído nada bem lá para os lados das produtoras das novelas portuguesas: dizia que a diferença maior para as brasileiras era não criarem a dependência de ver o episódio seguinte e que se podia estar dois dias sem ver uma portuguesa que depois se recuperava o fio à meada.

Ora, no cabo nos canais campeões de séries a relação é de dependência. Lembro-me sempre de uma entrevista de Jaime Nogueira Pinto em que ele dizia que adorava agarrar numa temporada, por exemplo de "24", e vê-la toda de seguida, coisa que muitos fazem.

No cabo, e agora com as possibilidades de gravação, pode ver tudo. filmes, séries, natureza, história, desporto, música, ou apenas meter no My Zen e ouvir o barulho do mar ou da natureza.

Enquanto no cabo surge a criatividade, as generalistas preguiçosas oferecem mais do mesmo, sem arte e engenho de se saberem reinventar.

Agora virá mais uma Casa dos Segredos, desta feita com Teresa Guilherme ao leme, logo mais calhandrice sobre a vida de uma dúzia de parolos que nada faz na vida a não ser seguirem o sonho de serem famosos. Mas o povo continuará a acompanhar. Eu nesses dias voltar-me-ei para "Camelot" e "Californication" ali na Fox.

quinta-feira, 25 de agosto de 2011

Oráculo (307)


«Os computadores já eram como as pessoas no sentido em que não era possível compreendê-los totalmente»

Scott Turow, "Inocente"

Estreio-me com Pinto da Costa no Sporting Apoio


É a minha primeira crónica no Sporting Apoio. Dou duas sugestões construtivas à direcção que alguns já conhecem e comento Pinto da Costa. Podem ler por aqui.

Questões de homofobia são das mais difíceis em termos comunicacionais


Leio esta notícia e tenho a certeza que a companhia de seguros que não avança para a exposição que estava prevista vai ter problemas.

Questões de homofobia são mobilizadoras desta comunidade e habitualmente muito difíceis de lidar em termos comunicacionais. Nos próximos dias vai haver declarações e comunicados de todas as organizações de defesa dos homossexuais e vão ter espaço nos media.

Para uma instituição com alguma história como esta companhia de seguros, e que leio optou por não comentar, o problema não é a reacção que será sempre débil. Aqui a melhor política de "damage control" será o silêncio do tempo.

Vou ser colunista do Sporting Apoio


Era um convite que me tinham feito a algum tempo. Recebi aceitar porque é provavelmente o maior site sobre o Sporting Clube de Portugal e onde escrevem outros colunistas que costumo ler.

Vou defender o Sporting o melhor possível, manterei solidariedade com a direcção do clube mas estarei atento. Elogiarei quando for caso disso, criticarei quando tiver que ser, mas serei inflexível com os adversários.

Passo assim a escrever para um universo de 143600 pessoas que acompanham o Sporting Apoio no Facebook e muitas mais serão no site o que é extremamente motivante. Agradeço muito o convite e tentarei não desmerecer.

PS: Também confesso que um idiota, a mando de alguém ou ele/a próprio/a, que já mandou 5 comentários para o meu blog e que não publicarei porque não tenho paciência para aleivosias irá gostar. Não convivo bem com as tentativas de pressão e habitualmente quem me tenta pressionar tem azar.

quarta-feira, 24 de agosto de 2011

Oráculo (306)


«A dor e a miséria figuram entre as poucas coisas que repartidas são sempre demais»

Leonardo Padura, «O Homem que Gostava de Cães»

Um texto curioso sobre as mulheres


É do Estado de S. Paulo e é muito engraçado.

Um grande embaraço de comunicação para David Cameron


O director de comunicação de David Cameron enquanto esteve no cargo era pago pela News International de Murdoch. Agora complicado para o inquilino do 10 de Downing Street.

As doenças dos políticos e o seu aproveitamento comunicacional


Ontem chamei a atenção para uma manobra de comunicação na Venezuela. O Luís Paulo Rodrigues agarra nesse caso para fazer uma boa reflexão sobre a doença dos políticos e o seu aproveitamento comunicacional que recomendo que leiam.

terça-feira, 23 de agosto de 2011

"Lição" de comunicação para a directora de comunicação do Sporting

Escrevo de forma pedagógica e construtiva, com alguma experiência, para que a directora de comunicação do Sporting possa aprender com esta singela contribuição como se faz comunicação, vou dividir por pontos.

1- Primeiro factor e o mais importante. A pessoa com quem trabalhamos tem de confiar plenamente em nós, para que a nossa palavra seja a decisiva nos territórios da comunicação. Tem de se criar uma relação de dependência para que a nossa posição seja incontestada e a nossa opinião a mais válida. Isto é uma regra na comunicação política, institucional, de produto, nos clubes ou numa gestão de crise.

2- Conhecer o universo onde nos movemos, não só os media tradicionais mas também os "new media", porque é aí, por exemplo, que sentimos a temperatura e o pulsar diário da família sportinguista. Além disto é preciso conhecer "mundo", ter cultura abrangente e é tão importante saber quem é o Rinaudo como o Michelangelo Antonioni, Tolstoi ou Vermeer (um realizador de cinema, um grande escritor e um enorme pintor, por exemplo). Quanto mais abrangente o conhecimento do universo mediático, melhor estamos preparados para o 3º ponto.

3- Escolher o momento, sentir o pulsar das coisas e comandar o momento, dominar a agenda mediática. Porque há timings e timings.

4- Convencer a pessoa com quem trabalhamos de que é este o momento de surgir e depois construir a mensagem. Nós devemos fazer o "soundbyte" e construir o conteúdo da mensagem que deve ser simples e eficaz, pois torna-se mais contundente.

5- Se optarmos pela Lusa, o melhor meio para massificar a mensagem sem ofender nenhum jornal ou meio em particular, escolher a hora certa para que os on-lines apanhem a mensagem.

6- Agarrar no telemóvel e mandar um sms para os meios que nos acompanham chamando a atenção para o soundbyte criado. Isso é a parte de assessoria mediática pura.

7- À tarde quando vemos o nosso trabalho nos on-lines e na manhã seguinte nos jornais, rádios ou tv`s sentimos a nossa missão cumprida. É giro trabalhar em comunicação.

Mas para isso temos de ser credíveis, mais temidos do que amados, e respeitados pelos jornalistas com quem trabalhamos, quando isso não acontece meu amigo, mais vale pôr a viola no saco. Pois quando for o caso de termos de dar a cara - imaginem numa conferência de imprensa dura contra os árbitros - sermos credíveis na mensagem que propagamos.

Infelizmente a actual directora de comunicação do Sporting não tem os 7 pontos atrás adiantados e não tem força mediática junto dos meios. É uma pena, mas tinha-o dito quando foi escolhida. Nada me move contra ela mas há coisas que são gritantes e espero que possa aprender alguma coisa com este meu contributo.

Confesso-lhes que o maior culpado é o sr. Carlos Barbosa (não sei se já voltou das férias na croácia) que a escolheu, ela é jovem e pode evoluir na sua carreira. É o que sinceramente desejo.

Minuto do spinning


«Quanto mais se fala da arbitragem, menos se fala do Governo».

Ouvido junto ao Tejo

Que grande manobra de comunicação na Venezuela


A oposição a Hugo Chávez diz que o ditador está a usar a sua doença para colher simpatias para as próximas eleições.

Os seus apoiantes rapama o cabelo para mostrar solidariedade com a luta contra o cancro de Chávez. Que grande manobra de comunicação como podem ver por aqui.

Taxista apresenta solução para as querelas no futebol


Taxista: «Bom dia amigo»

Eu: «olá, como está?»

Taxista: «Isto dos árbitros é de uma cambada de bandalhos»

Eu: «O sr tem sempre boas soluções, hoje tem alguma para os árbitros?»

Taxista: «Pedia ao careca da Troika se podia dar uma ajudinha»

Fiquei esclarecido.

Árbitros querem desculpas do Sporting: podem esperar sentados


Depois do Luís Sobral que ainda não vi pedir desculpa ao Sporting, mas também ainda não vi a direcção do clube e especialmente a sua área de comunicação declarar embargo noticioso e proibir a circulação do mesmo Luís Sobral e do seu site Mais Futebol nas instalações de Alvalade (talvez por uma profissional lá ter trabalhado e deve estar com medo de enfrentar o ex-patrão), agora vêm os árbitros exigir desculpas.

Era só o que faltava! Repito o que escrevi: onde estavam os árbitros a exigir desculpas ao Benfica e ao Porto depois de gravíssimas conferências de imprensa realizadas o ano passado?

Aliás, leio na notícia que linkei que vários árbitros estão contra esta posição de alguns árbitros. É natural. Sabem porquê? Porque é uma vergonha para árbitros ditos de 1ª categoria, verem o senhor Fernando Idalécio Martins e mais dois barrigudos chegarem a Aveiro com gosto no que fazem, sem tecnologias e realizarem um trabalho honesto e que dignificou o futebol.

Meus amigos, pelo que vi em Aveiro, prefiro árbitros isentos que têm gosto no que fazem e que tentam dignificar o futebol e que sejam dos regionais do que ter os mesmos que se enganam sempre contra o Sporting.

Ontem, Bruno Ribeiro, treinador do Vitória de Setúbal, atacou a arbitragem e disse que há árbitros de 3a categoria que são melhores do que alguns de 1ª. Pergunta: também vão exigir desculpas ao Vitória de Setúbal?

Por isso, como já escrevi, o Sporting e Godinho Lopes não têm de pedir desculpa a ninguém. Têm de continuar a trabalhar, conseguir que haja bom futebol, bom desempenho em campo, vitórias e continuar vigilantes para contra-atacar quando o Sporting for prejudicado.

E está na hora do Sr. Vitor Pereira começar a pensar em apresentar a demissão da chefia da arbitragem. Isto tem sido uma bandalheira e ele é o rosto da culpa.

segunda-feira, 22 de agosto de 2011

Oráculo (305)


«Portugal tem condições para desenvolver uma indústria turística altamente lucrativa, mas oscila entre o turismo de luxo e a barraca de comes e bebes»

Eduardo Dâmaso

Simpático Tony Blair sobre Timor


Hoje em dia as viagens de Tony Blair são operações de charme. Aqui elogia o trabalho realizado num País que muito nos toca: Timor-Leste, mas é simpático.

Uma coisa que me perturba no Facebook

Não podiam dizer ao senhor Mark Zuckerberg e respectiva equipa para aumentarem o número de "amigos" possível para 7500?

domingo, 21 de agosto de 2011

Luis Sobral: você vai ter de pedir desculpa ao Sporting!

Já chega! O Sporting tem sido o clube mais roubado pelos árbitros portugueses, foram anos de injustiças e de um poder no futebol, nas trevas, que poucos conhecem e que influencia a verdade desportiva.

Godinho Lopes demorou seis dias reagir ao escândalo da primeira jornada, mas reagiu bem. Apresentou um documento para melhorar as condições da arbitragem no futebol e respondendo a questões disse o evidente: «que há árbitros incompetentes» e que «sente que o Sporting é menos respeitado pelos árbitros do que os outros clubes». Falou no seu estilo ponderado e racional com verdade.

Pois bem, assistimos a este triste espectáculo dos árbitros que agora recusam apitar o Beira-Mar - Sporting. E ontem Luis Sobral no Mais Futebol, pode ler por aqui, diz que «Godinho Lopes tem de pedir desculpa aos árbitros». Mas era só o que faltava!

Vamos a factos concretos:

1- João Gabriel faz conferência de imprensa no ano passado a queixar-se da arbitragem do Vitória de Guimarães-Benfica.

Pergunta: onde está o texto de Luís Sobral a exigir desculpas a Luis Filipe Vieira em relação aos árbitros? Mais grave: onde é que aconteceu a jornada de solidariedade dos árbitros contra o ataque do responsável do Benfica? Algum árbitro se recusou a desempenhar a sua função no jogo seguinte do Benfica?

2- Antero Henrique dá conferência de imprensa, no ano passado, contra a arbitragem.

Pergunta: onde está o texto de Luis Sobral a exigir desculpas a Pinto da Costa em relação aos árbitros? Mais grave: onde é que aconteceu a jornada de solidariedade dos árbitros contra o ataque do responsável do Porto? Algum árbitro se recusou a desempenhar a sua função no jogo seguinte do Porto?

Mais um facto:

Pedro Proença foi agredido no Colombo - uma atitude lamentável -, segundo as palavras do próprio ao CM por «um adepto benfiquista».

Pergunta: então e a solidariedade dos outros árbitros? Porque é que não fizeram uma jornada de luta?

Pois é Luis Sobral, você vai ter de pedir desculpa ao Sporting Clube de Portugal. E sabe porquê: porque foram os árbitros e outras pessoas como você que puseram esta época a ferro e fogo.

Caro Presidente Godinho Lopes há guerras justas. E os árbitros declararam guerra ao Sporting. O lado bom das guerras justas é que mobilizam milhões de voluntários. Tenho a certeza que os sportinguistas estão ao seu lado. Não tergiverse, não tenha medo. O futebol português precisa de verdade, não tem de pedir desculpa a ninguém.

Foram muitos anos tímidos e de brandos costumes para os lados de Alvalade, está na hora de dizer BASTA! Semearam a tempestade, colhem a tempestade.

PS:E faço um desafio a Luís Sobral. Faça o seu trabalho, é jornalista, por que é que não se dedica a investigar quem são os accionistas do Benfica Stars Fund que anda aí a a comprar e vender jogadores em barda? Vá lá, tenha coragem, investigue e escreva.

PS2: Logo de manhã uma pessoa do Sporting telefonou-me a avisar que um jornalista do Mais Futebol tinha ido na comitiva oficial do Sporting e ficou no seu hotel na Dinamarca. Quero dar uma sugestão ao sr. Carlos Barbosa - não sei se já regressou das férias na Croácia - e à sra directora de comunicação do clube: embargo noticioso e proibição de frequentar as instalações do Sporting a Luis Sobral e aos jornalistas do Mais Futebol. Que vão aprender a brincar com quem se metem.

Estreia o novo Almodovar


«La piel que habito», o mais negro dos filmes do genial Pedro Almodovar estreia-se dia 2 de Setembro. O El Pais faz esta entrevista que convido a ler.

sábado, 20 de agosto de 2011

A Vespa do DN dá meia página ao meu blog


Já sabia que hoje não ia ser mau o meu trabalho e dos meus colegas enquanto consultor de comunicação.

Agora, a minha surpresa é ver o meu blog em destaque em meia página, a 12, da Vespa no Diário de Notícias. Citando este meu post

E termina a Vespa dando-me a «devida vénia»: «O novo Governo precisa mais de bons consultores seniores do que de jornalistas».

Agradeço a quem faz a Vespa a valorização do trabalho de Conselho em Comunicação.

Oráculo (304)

«Não nasci para estar na plateia»

Herman José, hoje no DN

sexta-feira, 19 de agosto de 2011

A comunicação do Sporting e a pressão de Godinho Lopes aos árbitros

Godinho Lopes reagiu 6 dias depois ao sucedido no jogo Sporting-Olhanense. Reagiu, e repito o verbo reagir porque não agiu, apenas reagiu, no seguimento da apresentação de um documento para melhorar a arbitragem.

Reagiu bem, mas tardiamente. Naquele sábado, no final do jogo, devia ter chamado os jornalistas e devia ter dito apenas isto: «Meus amigos, comigo a brincadeira com o Sporting Clube de Portugal acabou». A pressão seria forte e ancorada na imagem de Presidente do Sporting.

Depois, como já deve saber, e é fundamental, o trabalho de influência sobre os verdadeiros mecanismos que controlam o futebol deve ser realizado nas trevas. É no poder das trevas que se decidem os sortilégios do nosso campeonato e é nas trevas que se deve agir e aí contará com a preciosa colaboração de Luís Duque.

Mas falo da comunicação, das suas debilidades para me focar noutro aspecto. Em Abril de 2003 uma pessoa disse-me o seguinte: «Rui, assessores do possível há milhares, assessores do impossível contam-se pelos dedos das mãos».

O que eu quero dizer é que ser director de comunicação de um clube não é sentar-se ao lado treinador e dizer: «boa noite vai iniciar-se a conferência de imprensa» e no final dizer «boa noite, obrigado». Isso qualquer robot de baixa qualidade faz.

Um director de comunicação tem de conhecer o universo Sporting, conhecer os seus activos e promovê-los. Querem um exemplo: o melhor central do campeonato de sub 20 chama-se Nuno Reis. E é do Sporting, mas infelizmente alguns elementos não o sabem como também não sabiam que o Wilson Eduardo era emprestado ao Olhanense.

Hoje, e noutros dias, vejo notícias do Tiago Ferreira e do Roderick (espreitem o Correio da Manhã) e o central que é o pilar da equipa, juntamente com o avançado Nélson Oliveira, não aparece nas trutas blindadas com elevadas cláusulas de rescisão.

Um bom director de comunicação já teria o perfil do jogador feito, a sua história de vida, a sua ligação ao clube e as presenças em representação da nossa selecção. E sabem porquê? Porque é um activo do clube e devemos promovê-lo, bem como é inacreditável que não tenha sido chamado a estágio e merecia depois da sua magnífica prestação treinar com os seniores para Domingos o ver.

Auguro que o responsável de comunicação do clube - o sr. Carlos Barbosa que se encontra em gozo de férias na Croácia - nunca viu o Nuno Reis jogar, e além disso ele foi o único e exclusivo responsável pela contratação da directora de comunicação que é bonita, mas não tem experiência nem currículo para o cargo que desempenha e que ainda não percebeu que o Sporting é uma grande instituição, com activos que precisam de ser valorizados e promovidos e não um palco para a exibição dos seus deliciosos vestidos verdes.

Se lerem o meu post, e eu sei que lêem, agradecia que amanhã algum jornal desportivo trouxesse um perfil e merecido destaque para o Nuno Reis. O Sporting e a Marca Sporting agradecem.

Jornalismo em Portugal


Ontem, em conversa muito agradável com um grande senhor do jornalismo, na Versalhes, falámos da falta que fazem o "Tal&Qual" e "Os Donos da Bola".

O El Pais já começa contra Mourinho


Foi um espectáculo habitual na temporada passada. O respeitável El País viciou-se num provincianismo saloio contra o melhor treinador do mundo, José Mourinho, que, por acaso, é português.

Hoje leio esta crónica incrível que, por acaso, deve ser uma questão de comunicação, esqueceu o palmarés de Mourinho e sobretudo que nestes dois jogos da Supertaça o Real Madrid fez as melhores exibições contra o Barça, com grande e dominador futebol, que é uma das melhores equipas de todos os tempos.

Mais Blade Runner


Já lá por Março tinha dado nota que poderia haver mais prequelas e sequelas de Blade Runner, um dos grandes filmes de culto e provavelmente um dos melhores de ficção científica de sempre.

Por aqui a confirmação que o próprio realizador, Ridley Scott, vai pegar de novo nos personagens criados por Philip K. Dick.

quinta-feira, 18 de agosto de 2011

Assim é muito difícil para o Governo


O Governo que irá tomar medidas impopulares, pois assim o obriga o estado do país, deverá ter solidariedade do seu próprio partido maioritário.

Quando um novo deputado, anunciado como estrela e que diz isto, já está a criticar o ministro da Economia, torna-se evidente que assim é muito difícil que qualquer comunicação seja eficaz.

Vai fechar o Albergue Espanhol


O Albergue Espanhol vai fechar as suas portas diz-me fonte segura. Magnífico blog criado de raíz, que integrava alguns amigos, com bons textos de reflexão e acção política, e também com outras temáticas, fecha um ciclo à beira de atingir a soma de 1 milhão de visitas.

Desejo felicidades aos integrantes e que continuem a partilhar os seus pensamentos noutros fóruns. E agradeço por me terem linkado diversas vezes.

Lpm pergunta se os jornalistas dão bons consultores de comunicação: eu respondo

Luis Paixão Martins pergunta hoje se os jornalistas dão bons consultores de comunicação. É como os melões, responderia eu. Não é líquido que bons jornalistas dêem bons consultores de comunicação ou assessores de imprensa, há poucos dias escrevi isto.

Houve um tempo em que o mercado de Conselho em Comunicação contratava directamente das redacções. A filosofia era simples: um jornalista vindo de uma redacção e que passasse por outros jornais, mais facilmente conseguiria colocar notícias, o objectivo primário do trabalho de Conselho em Comunicação.

Mas os tempos mudaram. As redacções são mais curtas e mais novas e hoje um bom consultor de comunicação é um bom construtor e divulgador de conteúdos que assim ajuda o trabalho de um jornalista.

Além disso, um bom consultor deve ter mais mundo, uma visão mais ampla do universo mediático. É isso que por vezes falta a quem troca uma redacção pelo aconselhamento comunicacional.

Quando se passa de jornalista para outras tarefas comunicacionais, nomeadamente no Governo, e é sobre isso que Lpm reflecte, um assessor ou consultor tem de ter visão política dos problemas, um enquadramento macro da acção de um Governo.

Já vi excelentes jornalistas que deram medíocres assessores, já vi razoáveis jornalistas que deram excelentes consultores, já vi bons consultores que foram um fracasso como assessores. Há de tudo, é como os melões.

Neste Governo já ouvi uma assessora falar sobre o elevado salário que auferia, mas devia estar caladinha. Neste Governo já vi um assessor confessar no Facebook que «Bruxelas is boring» e devia estar caladinho.

A primeira coisa que um consultor/assessor de Governo deve perceber é que é uma figura institucional e o seu comportamento deve ser muito mais resguardado. Quem vai com tiques de jornalista "prima dona" tenho a certeza que as coisas vão correr mal.

Neste momento, por exemplo, o novo Governo precisa mais de bons consultores séniores do que de jornalistas. Precisa de mais aconselhamento e menos assessoria é o que sinto.

Lei da Comunicação para o caso Mário Crespo


Nunca convidar um jornalista que fala demais.

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

A vergonha do Benfica

Todos os clubes têm os seus pontos fracos. Agora quando esse ponto fraco é um porta-estandarte diário das más memórias de determinada colectividade é uma vergonha cansativa para quem se lembra de determinadas criaturas.

Vale e Azevedo é um senhor, conhecido pelo «Jica das Fotocópias» quando trabalhou no PSD, que foi o pior Presidente do emblema de Carnide e que se tornou um caso de justiça grave, uma vergonha também para a justiça portuguesa, mais uma vez sai em liberdade condicional depois de um pedido de extradição.

E é uma vergonha para Portugal que este senhor ainda apareça em notícias a pavonear-se de Bentley e em hoteis de luxo, quando deixou um lastro de má gestão no clube que só não via quem não queria ver.

O nome Vale e Azevedo é um exemplo para criaturas que querem servir-se das instituições quando não são ninguém na sociedade civil. É uma questão de má imagem para o clube que dirigiu, para a justiça e para Portugal. Felizmente o meu clube não tem nenhum porta-estandarte como este cavalheiro.

As imagens nos maços de tabaco


As tabaqueiras foram obrigadas a pôr imagens brutais e algumas terminais no seu produto para que mensagens anti-tabagistas obtivessem os seus objectivos.

De facto é estranho um fumador comprar um maço de cigarros e ver uma série de fotos para o tentarem demover. Nunca apareceram corpos mutilados nas garrafas de vinho e nas latas de cerveja, por exemplo, por consequência de bebedeiras. E outros exemplos se poderiam dar.

Agora, leio por aqui, que as tabaqueiras vão processar o Governo americano por este ter endurecido e brutalizado ainda mais as imagens anti-tabagistas. Uma daquelas guerras de tribunal e de PR para acompanhar.

Bem visto pelo senhor da ANA

Estava a ler a notícia da edição da Briefing deste mês e leio as declarações em destaque do director de retalho da ANA. Exponho:

«Em entrevista ao Briefing, Luís Rodolfo, director de retalho da ANA, Aeroportos de Portugal, anunciou que programas culturais e música ao vivo são algumas das novidades que o aeroporto de Lisboa terá em 2012. Trata-se, assim, de um novo espaço comercial com muito potencial para as marcas. Afirmando ainda que “os aeroportos são como uma montra espectacular e devem ser encarados como um novo canal de vendas”.»

O aeroporto do Algarve já fez operações interessantes este ano, e já tinha dado conta delas neste blog, e é bem visto por Luís Rodolfo. Os espaços da ANA devem ser o mais agradáveis possíveis e com um aproveitamento interessante pois são milhares de pessoas que diariamente por ali passam.

É, de facto, um espaço com enorme potencial para as Marcas.

Cuidado com os apelos à revolução!


Hoje, já li o Tomás Vasques escrever que é tempo de «revoluções, mas não há revolucionários». também tenho lido algumas outras indignações com diversos estados de coisas.

Em Inglaterra foi o que se viu e agora 4 anos de prisão para quem incitou os motins de Londres no Facebook. A vida está difícil para os revolucionários.

A moda da "resiliência" e da "qualidade"


Quem está na comunicação deve ter em atenção as palavras que estão a ser "consumidas" pela sociedade.

Na área económica, fez entrada directa para o top a palavra «resiliência», algo que a maior parte do comum dos mortais desconhecia e que de repente vê diversas pessoas a utilizar.

No futebol deixaram de haver grandes jogadores e bons jogadores, agora, durante qualquer jogo de futebol, só se ouvem os "catedráticos" dos comentários a dizer que´«é um jogador de qualidade».

Enfim, tendências...

terça-feira, 16 de agosto de 2011

A nova entrada do Sporting em Alvalade

Quem viu no estádio ou pela televisão o jogo Sporting-Olhanense viu que algo mudou antes da entrada da equipa.

Quem viveu até deve ter sofrido um arrepio na espinha. O Sporting colocou uma música de Ennio Morricone, fantástica diga-se, L`Estasi dell`Oro.

É uma música inspiracional, agregadora, motivacional. Houve mão do Pedro Cunha Ferreira, um vice que tem feito um bom trabalho e que é um profissional com provas dadas e bom currículo, que está a servir o clube e não a servir-se dele.

Lembro-me dele da Católica, sempre atento ao fenómeno desportivo e um bom sportinguista. Julgo que devia ser ele a estar com a comunicação do clube, pois até na divulgação das actividades do clube tem estado muito bem nas redes sociais e não o sr. Carlos Barbosa.

Há pouco tempo, em Alvalade, dei-lhe um conselho a nível pessoal que ele entendeu e tenho a certeza que o guardará como bom. Hoje vou-lhe dar outro. Como já disse a música é fantástica, mas eu mudava essa e deixava as outras que colocou. Vou explicar porquê.

Já realizei várias campanhas políticas e uma das coisas fundamentais é a música escolhida pelo candidato. Em 2001, numa sede de candidatura, levei um cd e pus a tocar. O candidato, que já tinha escolhido outra música, veio-me perguntar qual era.

Era a banda sonora do Gladiador. Não a pôde utilizar pois poderiam "gozar" com ele. Em 2005 tornou-se a música de José Sócrates. Depois para outro candidato pensei numa banda sonora perfeita, a de Thomas Newman em "Road to Perdition".

Mas o título do filme «Caminho para Perdição» não dava muito jeito, por isso retirei a sugestão. Tinha a ver com superstição, algo que é o que me motiva sobre a sugestão ao Pedro Cunha Ferreira.

A música do Morricone é fantástica e é tirada de um genial filme de Sergio Leone. Como poderão ver por aqui (a partir dos 40 segundos), a música surge no filme num cemitério. Por uma questão de superstição eu tirava a música. Mas deixo ao cuidado da direcção do Sporting que pode não ser supersticiosa.

Sobre o Twitter e Facebook


No Twitter escrevemos para o mundo, no Facebook aparecemos como queremos ser vistos pelo mundo.

Taxas de entrada em Lisboa no IC19?


Leio esta notícia com alguma apreensão. E noto, apesar de não ver a fonte identificada, um tom de ataque ao Governo exactamente por ter deixado as taxas das pontes exactamente iguais. Afinal o PS e a sua maioria em Lisboa também querem mais receita à custa dos contribuites.

segunda-feira, 15 de agosto de 2011

Momento de comunicação do ano na Volta


Confesso que ainda me estou a rir. Hoje é o último dia da Volta a Portugal em Bicicleta e termina em Lisboa.

Convidado do programa Há Volta, António Costa, como os outros Presidentes de Câmara onde as etapas terminaram foram.

Convidada para um momento musical, Maria José Valério. Agora, que t-shirt levava?

Pois bem, uma t-shirt estampada com uma foto de Pedro Santana Lopes com o Papa João Paulo II, com a legenda: «Visita ao Papa do dr. Santana Lopes». Que grande oposição.

A mulher e o homem perfeito


Um interessante estudo sociológico na comunicação entre homem e mulher. Fui buscar ao twitter do Rodrigo Saraiva.

«Governo não comunica»


Foi Marcelo Rebelo de Sousa, ontem, a abrir a crítica clássica a um Governo: as falhas na comunicação.

Relembro que apenas nos inícios dos Governos de Guterres e depois de Sócrates a comunicação dos Executivos foi elogiada.

O centro-direta no Governo foi sempre confrontado e criticado por «problemas de comunicação». Volto a frisar, uma crítica clássica que desta feita é um militante social democrata que espoleta.

Mas é um facto que os ministros económicos têm de melhorar muito. Vitor Gaspar e Álvaro Santos Pereira não são um prodígio e tem de se perceber melhor comunicacionalmente onde está o centro político do Governo.

E deixo uma nota de reflexão: não basta ir buscar bons jornalistas para os staffs ministeriais. É que nem todos os jornalistas dão bons assessores nem consultores de comunicação de qualidade.

domingo, 14 de agosto de 2011

Oráculo (303)


«Prometer amar a alguém toda a vida é uma promessa muito forte. Odeio não cumprir promessas. E também odeio advogados»

Raffaella Carrá, in Vanity Fair espanhola deste mês

A homofobia na Rua Sésamo


Os grandes programas infantis são marcantes para várias gerações, são fenómenos sociais e com forte poder comunicacional.

Todos nos lembramos da Rua Sésamo e do Egas e do Becas e também das bolachinhas. Uma série de elevada qualidade e de forte cariz pedagógico criada em 1969.

Pois 9 mil pessoas assinaram uma petição para que o Egas e o Becas, que vivem juntos desde a altura da sua criação, casassem como uma forma de combater a homofobia.

Confesso que quando era criança nunca pensei nisso e julgo que as crianças de agora também não devem pensar no mesmo, pois não há qualquer tendência homofóbica nesse programa infantil. Entendo que os produtores responderam bem: «são bonecos e não têm orientação sexual».

As crianças do mundo e várias gerações agradecem o bom senso...dos produtores.

O "Feng Shui" da piroseira em Lisboa


Este é o título de ontem do artigo habitual ao sábado do Eurico de Barros no DN. Um colunista que muito gosto, um jornalista muito culto e com críticas sobre cinema que leio sempre pois é o que mais se aproxima da minha opinião quando vejo um filme.

Ontem deu o título do post a mais uma operação da Câmara de Lisboa que surpreende quem passa na Avenida da Liberdade.

Já olharam para os bancos da Avenida? Pois deixaram de ser verdes. Lembram-se quando os táxis deixaram de ser verdes e pretos para serem de uma côr castanha clara que se confundia com tudo?

Pois é, há certas coisas que não devem mudar, fazem parte da sua identificação e da sua osmose com a paisagem urbana. Um táxi de Nova Iorque não pode trocar o amarelo por um "Feng Shui" qualquer originado por um capricho de um "mayor", de um vereador ou na singela tentativa de se ganhar uns cobres para a autarquia.

Foi o que se passou em Lisboa. Para ganhar uns cobres a autarquia decidiu pintar os bancos da Avenida e os candeeiros. Vão de laranja a roxo porque alguém decidiu patrocinar a coisa numa operação chamada "Happy Liberdade", mas tudo dentro de uma filosofia "feng shui".

Como me dizia um taxista esta semana: «feng shui? Não sei o que é isso. Sei é que os bancos devem ser verdes como o meu táxi tem de ser à fogareiro: verde e preto».

E eu, cidadão de Lisboa, confesso que me estou marimbando para o "feng shui".

Rick Perry: O desafiante de Obama


Já são muitos os candidatos da área Republicana, e ainda poderão ser mais, pois aguardam-se as possíveis entradas em cena de Sarah Palin e Rudolph Giuliani.

A um ano de distância, e com uma arena mediática muito volátil como é a dos Estados Unidos onde tudo pode mudar numa semana, auguro que apesar de Mitt Romney ser neste momento o melhor candidato, Rick Perry é o que terá melhores condições para ser o desafiante de Obama.

Do Texas, mas com a oposição da família Bush e de Karl Rove, fez-se reeleger Governador piscando o olho a Palin e ao Tea Party, mas agora voltou a falar com W. Bush antes de se lançar na corrida.

Se sensibilizar os Bush e a sua vastíssima influência política e económica, e continuar a apregoar os valores conservadores e a oração como faz, ganha o eleitorado Republicano. Depois, mais difícil será ganhar o eleitorado nacional, mas Obama tem perdido o seu encanto entre os americanos. Para ler mais por aqui.

sábado, 13 de agosto de 2011

Steven Spielberg na FOX


Vai ser a série mais cara de sempre, dez milhões custa a primeira temporada do regresso de Steven Spielberg à televisão, no caso à Fox.

Li no DN de hoje, mas partilho as primeiras fotos de Terra Nova por aqui.

A Torre e a Volta a Portugal em Bicicleta


Gosto de ciclismo. Quando é puro, sem influência das farmácias ambulantes, é dos desportos mais bonitos que existem.

Há esforço humano e muito trabalho, há xadrez estratégico no jogo dos técnicos, há belas paisagens como o heli da RTP não se cansa de mostrar e há bons comentadores e bom trabalho de reportagem. Marco Chagas e João Pedro Mendonça são uma dupla que já se tornou um clássico ao nível da boa narração e bom comentário e a equipa no terreno também faz trabalho notável´, há beleza das meninas que enfeitam o final da etapa a dar as camisolas e ainda há espaço comunicacional para apresentação de marcas.

A Volta a Portugal é sempre um grande momento de Agosto e a etapa da Torre, este ano duríssima e ao nível das grandes corridas mundiais, é um momento que é o clímax desse esforço humano físico e mental. A ver e a esperar que um português ganhe com o desejo sincero que daqui a um mês não caia todo o prestígio por terra por se descobrir um qualquer controlo positivo de doping.

Os cortes de Vitor Gaspar


Não posso comentar os cortes na despesa, pois não reparei neles. Mas a escolha do momento foi boa: Agosto (mesmo na altura de transição do mês para os veraneantes), início do campeonato com jogo do Benfica.

Problema do dia seguinte: o Benfica não ganhou.

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

Duque e a bola a rolar

Luís Duque deu ontem entrevista simples à RTP-N. Abordou alguns assuntos de maneira simpática e saiu-se bem. Foi a actualidade do futebol que alguns queriam saber, mas o mais importante é quando diz que em Alvalade a «revolução continua».

Significa em bom português que há muito ainda a fazer. Gostei que dissesse que havia «muitos acomodados» em Alvalade. É bem verdade.

Eu neste blog já dei a sugestão construtiva à direcção para que efectue significativos cortes salariais em muitos "lugarzinhos" de favor e em gente que por ali anda com pouco por fazer e com salários que não são compagináveis com o seu curriculum. Sei que a ideia foi benquista pela direcção, mas todos os sócios aguardam essa tesourada nos funcionários bem pagos e que nada fazem no Sporting.

Luís Duque foi um dos trunfos mais fortes na candidatura de Godinho Lopes. Muita gente votou em Duque, é verdade, mas realço que hoje o universo leonino pode dizer sem problemas que, para já, Godinho Lopes tem feito o melhor possível e que o elo mais fraco da direcção se chama Carlos Barbosa, a quem desejo sinceramente que reveja o seu posicionamento e que cale a boca sobre futebol, pois percebe tanto de futebol como eu de chaminés.

O Sporting, dentro das suas possibilidades, reforçou-se para o campeonato que hoje começa. Há em todos nós o desejo e o sonho, mas também tem de haver os pés assentes na terra de quem vê a violência da realidade.

Desejamos ser campeões, mas o pragamtismo da realidade leva-me a desejar que o Sporting, primeiro, jogue bom futebol; segundo, continue com a união dos adeptos em torno da sua equipa, fazendo-se críticas construtivas quando tiverem que ser feitas.

O Sporting tem nesta época obrigação de encurtar distâncias para os outros rivais e lutar com galhardia dentro de campo. O Sporting, infelizmente, está à vista de todos, ainda não tem as mesmas armas de Carnide e das Antas.

Mas tem a obrigação de combater, de lutar, de deixar tudo em campo. S. Paulo dizia «combatei, combatei sempre, mas combatei o bom combate».

E o combate dos jogadores do Sporting é o melhor de todos: é o combate pelos milhões de adeptos que amam o seu clube, que choram, gritam e que vivem com ele no seu coração.

Vão acabar as viagens de finalistas para Lloret del Mar


Menos uma dor de cabeça, pelo menos no destino, para os pais das crianças que tiveram de se habituar à nova instituição que são as viagens de finalistas para a prole se embebedar, algo que não havia no meu tempo.

O Alcalde de Lloret del Mar declara guerra ao turismo para bebedeiras. É uma boa medida e evitam-se as tristes imagens e reportagens com crianças portuguesas bêbedas e coisas piores por aquelas paragens.

Concordo e sublinho sobre o mercado de comunicação

A ler o post do Rodrigo e o link do Salvador.

Acrescentaria que é a diferença entre quem vive e quem sobrevive.

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

9 mil páginas sobre OVNIs


Grã-Bretanha abriu os seus arquivos sobre OVNIs para os fanáticos de X-Files.

Sobre os comentários on-line dos jornais e blogs


É muito simpático jornais e blogs proporcionarem comentários on-line aos seus leitores. Devia ser um espaço com edição, algo que não é.

É uma interactividade interessante se os comentários forem com as identidades reais e sem anónimos e mails falsificados.

O que se assiste na realidade nesses comentários é na maior parte dos casos, com honrosas excepções, é a um bando de maluquinhos e de idiotas que escrevem tudo o que lhes apetece. Até um dia.

No dia em que se puser um processo às edições on-line por parte de quem for vilmente atacado por indivíduos sem identificação é natural que as coisas mudem.

No meu blog há duas coisas que não permito: elogios aos meus textos (são alguns) anónimos não publico e disparates e idiotices de quem não dorme à noite ou passou a vida inteira com avenças de instituições públicas (tenho aqui um "cliente" habitual desses) sem fazer nada também não publico.

Vão-me desculpar, mas é o meu critério e é o meu blog.

Oráculo (302)


- «Quer um charuto?»

- «Não me sujeito a vícios menores»

- «Já alguma vez dançou?»

- «Toda a minha vida, senhora»

diálogo entre Giullio Andreotti e uma senhora no filme Il Divo, de Paolo Sorrentino

Descrença nos políticos


A América tem a maior taxa de descrença nos políticos de sempre e a maioria entende que Obama não deve ser reeleito. A ver por aqui.

quarta-feira, 10 de agosto de 2011

Santana Lopes poderá ser Provedor da Santa Casa da Misericórdia

O semanário Sol anuncia na sua edição on line que Pedro Santana Lopes (PSL) foi convidado para Provedor da Santa Casa da Misericórdia.

Deverá responder brevemente. A única coisa que posso adiantar é que se assim for, ele não será remunerado. O que contrasta bastante com as atitudes de alguns e possíveis críticas de anómnimos e maluquinhos do costume que passam a fazer comentários idiotas nas edições on line dos jornais portugueses e que há muito já deviam proibir determinado tipo de linguagem.

PSL teve diversos convites, o Expresso noticiou a OCDE e a UNESCO, muito bem remunerados como sabem, e teve outros convites pelo que me contaram.

Se PSL aceitar o convite será uma excelente escolha. Um político de eleição e que gosta de realizar e apresentar obra. Aqui terá um papel importantíssimo o trabalho social que a Santa Casa desenvolve junto dos mais idosos e carenciados.

Se PSL aceitar será uma excelente escolha do Governo e será um grande Provedor.

Algo fascinante para quem trabalha em comunicação...


...o trabalho realizado nas trevas. Aquele em que sem aparecermos vai levar a tudo o que planeámos. No silencioso mundo das trevas.

Daniela Ruah a brilhar nos States

Portugal nunca teve grande presença em Hollywood, a mais forte foi Carmen Miranda, mas essa representava para os americanos o exotismo brasileiro. Depois, Joaquim de Almeida também conseguiu alguma notoriedade e dos mais antigos, Virgílio Teixeira também lá brilhou.

Hoje, Daniela Ruah está numa série com muita audiência e que renovou por mais uma temporada e aparece aqui em destaque numa produção da Esquire, e já foi eleita das mais sexys nos EUA.

Num universo mediático fortemente concorrencial como é Hollywood é bom ver uma actriz portuguesa a marcar pontos.

O "bom" agressor de Pedro Proença


Pedro Proença e Duarte Gomes, na minha opinião, são dois maus árbitros. Mas quando falei ontem no "bom adepto" alguns leitores não perceberam bem a subtileza da minha escrita.

Em todo o mundo qual é o adepto enraivecido que não teve já vontade de ter uma "conversa de cabeça" com um árbitro? Acho que quem gosta de futebol, em qualquer parte do mundo, já teve essa vontade.

Mas essa é a diferença. Muitos milhões poderiam fazê-lo, mas não fazem. A conduta social não deve incitar à violência é essa uma das regras que separa o homem dos animais.

O "bom adepto" deve ser punido e castigado e até com uma pena exemplar para que se evite cenas lamentáveis como a que aconteceu no Colombo.

terça-feira, 9 de agosto de 2011

Oráculo (301)


«Um grande homem não passa de uma mulher mediana»

Rizzoli & Isles, série de televisão

Querem destruir o Facebook


Parece que estes senhores querem destruir o Facebook. Que mal lhes terá a feito a rede de Mark Zuckerberg?

O caso do àrbitro agredido no Colombo

O título do post podia ser o mesmo de um caso a ser analisado por um qualquer detective de um qualquer policial.

Só que aqui já sabemos tudo: o agressor «é um adepto do Benfica» (segundo o CM), não tenho a certeza de como (uns dizem ao murro, outros à cabeçada) e a vítima foi o àrbitro Pedro Proença. Local, o Colombo, esse antro de desordeiros reconhecido por todos que dispensam lá ir assistir a sessões de cinema.

Para mim o que interessa é falar do caso de dois àrbitros amigos e que costumavam sair juntos, especialmente para o BBC (aí pelo que sabemos nunca foram agredidos), falo de Proença e de Duarte Gomes.

Hoje não sei se esses senhores se julgam àrbitros ou manequins. É positivo que intervenientes num espectáculo com milhões de audiência cuidem da imagem, não me parece é que essa deva ser a principal preocupação desses agentes.

Diz-se que os jogadores de futebol devem ter a cabeça limpa, estar tranquilos para desenvolver as suas capacidades. Só se devem preocupar com a bola para desempenhar bem a sua função.

Então e os árbitros? Explico mais: Pedro Proença é gestor e viciado na sua própria imagem. Muitos não se lembram que foi gestor judicial das empresas de Artur Albarran e Frank Carlucci, que abriram com pompa e circunstância em Portugal e rapidamente foram á falência.

Nesse tempo imaginam as pressões e o furor mediático existente à volta disso? Será que o árbitro teria a cabeça limpa para decidir bem dos lances em campo?

Duarte Gomes trabalha num banco e é ainda mais viciado na sua imagem. Saltou mais para a ribalta pela sua relação com uma ex-morango com açucar que entretanto engordou um bocadinho e não voltou aos ecrãs.

O ponto alto da sua vida deve ter sido quando Duarte Gomes, que pouco talento tem para a arbitragem, foi anunciado como contratação...de uma agência de manequins. Pois, acham que quem está preocupado como aparece nos diversos ãngulos das câmaras pode desempenhar bem a função de decidir lances em campo?

Estes dois senhores, na minha opinião, não são bons àrbitros. E o senhor que lhe deu a cabeçada ou o murro...é um bom adepto.

segunda-feira, 8 de agosto de 2011

Vogue faz capa choque


Por vezes os grandes criadores da moda gostam de chocar. É quase a face mediática de uma colecção.

Os criadores são figuras do universo mediático, falam uma linguagem universal mas com contornos de segmento de mercado bem delineados.

As grandes revistas de moda seguem as principais tendências. Produções fenomenais, magníficas modelos, fotos de sonho que ajudam na promoção desse meio.

A Vogue, a revista das revistas de moda, choca agora pondo na capa uma criança de 10 anos. A capa´tem tanto de fantástica como de chocante. Cria-se uma Lolita que desconhece totalmente para que fim serviram as fotos que tirou, como diz a mãe dela.

Claro que o choque tem destas coisas. Se não fosse chocante eu não estaria a escrever nem a maior parte dos jornais mundiais puxavam a capa da Vogue para seu tema. Aqui o choque valeu a manobra mediática. E a Vogue não deve estar nada preocupada com isso.

João Duque sobre a Europa e Portugal


Excelente entrevista ao I do presidente do ISEG, já o visual estilo Paredes de Coura é que era dispensável. Aqui fica o mais significativo:

«Com esta gente não tínhamos feito o euro. E com esta gente, arriscamo-nos a desfazer o euro»

«Isto é como uma manada em andamento, de vez em quando larga uns que estão mais debilitados para os chacais. Já estamos cá na manada, se nos largam, morremos»

«Deixa-se a Europa à merc~e do abutre de maior dimensão»

«Como é que a senhora (Merkel) quer ficar conhecida para a História? Por aquela que destruiu ou por aquela que construiu a Europa?»

«O drama não é Durão Barroso fazer pressão. o drama é ele ser imediatamente desautorizado»

«Nunca vi Durão Barroso como líder»

»Esta gente não tem força, não tem coragem»

A política segundo o Deserto Vermelho de Antonioni

Vejam este curto diálogo entre Richard Harris e Monica Vitti retirado de um dos meus filmes preferidos, o Deserto Vermelho de Michelangelo Antonioni, sobre a política.

domingo, 7 de agosto de 2011

Oráculo (300)

«Resistir à mudança é ir contra o fluir natural da vida»

Tolstoi

Alentejo investe no turismo

É muito importante para o desenvolvimento da região, mas mantendo a tradição e sem a criação de mamarrachos que desfiguram a paisagem. O Alentejo é das regiões que mais pode explorar o filão de um fim-de-semana agradável. Com qualidade e boa gente.

sábado, 6 de agosto de 2011

Pedro Passos Coelho sem férias a trabalhar

Deixo duas notas de reflexão para os jornalistas que me seguem. Ontem, Zapatero suspende as suas férias por causa da crise. Na Alemanha, Angela Merkel é criticada por não interromper as suas férias para combater a crise.

Em Portugal temos um Primeiro-Ministro que abdicou das suas férias para dar resposta aos problemas com que o nosso país de debate. É importante realçar isto.

PS: Luís Pedro Mota Soares faz dois dias de excelente comunicação para o Governo com o seu pacote social. Um bom trabalho do meu amigo Alexandre Barata. Só entendo que este pacote devia ser apresentado nos primeiros dias de Setembro e guardado para aplicação mediática depois de mais medidas difíceis que terão de ser tomadas.

Futre ataca o mundo

Foi bem esgalhada na altura a escolha do Paulo Futre. Eu tenho simpatia por ele e era o meu ídolo no futebol quando era miudo. Agora o Licor Beirão ataca o mundo e começa em Espanha com El Portugues.

sexta-feira, 5 de agosto de 2011

Oráculo (299)

'Toda a felicidade é uma obra-prima' Marguerite Yourcenar, 'Memórias de Adriano'

Um mês de Governo

Antigamente esperava-se 100 dias pelo primeiro balanço da governação, agora parece que basta um mês. O meu balanço é simples: Pedro Passos Coelho, bem intencionado, está a fazer o melhor possível.

quinta-feira, 4 de agosto de 2011

Oráculo (298)

'A arte de motivar homens para o combate é uma questão delicada. Não espero que um escravo compreenda as subtilezas dessa questão' Roma, série de televisão

Cândido

Não falo do de Voltaire, apesar de gostar muito. Falo do nome mais falado pelo país real nos últimos Agostos: Cândido Barbosa. Começa a Volta a Portugal sem o verdadeiro herói do povo.

quarta-feira, 3 de agosto de 2011

RTP promove 3 Malhoas

Uma pessoa chega da praia e depara na RTP com José Malhoa, depois Ana Malhoa, e a seguir a terceira geração: Índia Malhoa. Que grande festival de serviço público.

A Central de Comunicação do Governo

Foi um assunto que deu brado em 2004, quando Nuno Morais Sarmento era ministro da Presidência. Caíram em cima de Pedro Santana Lopes nessa altura.

A mim parece-me uma coisa normal e muito profissional e o tempo dirá que qualquer Governo tem uma central de comunicação. Com Sócrates tudo partia desse centro nevrálgico que era o seu próprio gabinete, com um prolongamento de grande qualidade que se chamava Câmara Corporativa, um blog magnífico e muito bem feito. Era ali que o spinning era orquestrado.

Hoje, ainda muitos jornalistas procuram quem controlará a comunicação do novo Governo. Com algum défice em S. Bento, a maior parte pensa nos Assuntos Parlamentares.

Miguel Relvas é um político astuto e é dali que se sentirá a máquina de spinning do Governo, onde terão desempenho importante o Adelino Cunha e o Pedro Correia. E confesso que se houver uma Central de Comunicação do Governo acho que ajudará bastante este Governo de coligação.

terça-feira, 2 de agosto de 2011

Oráculo (297)

«E a vida dos homens gira sempre em torno de uma só mulher: aquela onde se resumem todas as mulheres do mundo, vórtice de todos os mistérios e chave de todas as respostas. A que maneja o silêncio como ninguém, talvez por essa ser uma linguagem que, há séculos, fala na perfeição»

Arturo Pérez-Reverte, «La carta esferica» (edição portuguesa da ASA, o "O Cemitério dos barcos sem nome»)

Alda Telles no Leão da Estrela

O Sporting conquista o 14º reforço, Jeffren, e o Leão da Estrela, do Luís Paulo Rodrigues, vai no seu 3º reforço.

Depois da antiga glória Virgílio e de um tipo chamado Rui Calafate, entra a Alda Telles. Minha colega na indústria de Conselho em Comunicação e Consultora como eu.

Directora da Fonte Comunicação, muito activa nas redes sociais, twitter, facebook e no blog Lugares Comuns (juntamente com Luís Paixão Martins e Manuel Falcão), é um excelente reforço e uma magnífica companhia que o Luís Paulo conseguiu pescar.

Mais importante de tudo: uma adepta fanática, uma leoa fervorosa. Bem vinda e bons posts.

Título do dia

É do Correio da Manhã e liga António José Seguro a Pedro Passos Coelho.

Cameron não dá gorjetas...

...pagou com nota de 50 uma despesa de 3.10 euros. E sem gorjeta. Mas coitado, a empregada também não o serviu o que é que ela esperava.

segunda-feira, 1 de agosto de 2011

Benfica: acredita quem quer no Pai Natal

Esta é a anedota do defeso e a prova de que existe uma silly-season. Se alguém acredita que este clube espanhol deu 8 milhões pelo "pai dos frangos" deve ser pessoa que acredita no Pai natal.

Uma manobra de comunicação que vai acabar com mais uma investigação dos impostos ao clube de carnide.

Oráculo (296)

«O silêncio é o adorno das mulheres»

Arturo Pérez-Reverte, in "O Assédio"

Já há solução para a defesa do Sporting: palavra de taxista

Diálogo com um taxista de Lisboa que é do Sporting:

- Taxista: «Amigo, aquilo no sábado foi muito mau»

- Eu: «A defesa é lenta e fraca»

- Taxista: «A defesa precisa de um xerife, mas eu até tinha solução...»

- Eu: «Então diga lá...»

- Taxista: «O melhor central era o careca da troika».

Mais uma vez fiquei esclarecido pela sapiência dos taxistas de Lisboa.