sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Duas notas sobre Godinho Lopes para os sportinguistas mais "desatentos"

Depois do que vi ontem, que nos entristeceu a todos, é tempo de dizer, honestamente e com verdade, que este ano e meio temos vivido das páginas mais negras do Sporting. Não sei para onde caminhamos. Parece que falta tudo: liderança, gestão desportiva e financeira.

Julgo que a maior parte das pessoas deu o benefício da dúvida, nos tempos iniciais, a este presidente. É assim que deve ser. Estar atento, ver as medidas tomadas e depois analisar, elogiando o que é bom, criticando o que é errado. Um ano e meio depois, o balanço só pode ser negativo. Nem os mais "talibans" de Godinho Lopes podem dizer o contrário. E há duas notas que têm de ser bem claras: a falta de liderança e a responsabilização.

1- Nenhum presidente joga em campo, é um facto que todos sabem. Onde ele joga é na liderança que impõe ao clube. Godinho Lopes demorou ano e meio a descobrir o modelo «presidencialista à Pinto da Costa», como disse na RTP-Informação. Algo que eu sempre disse que o Sporting precisava, mas de um modelo presidencialista à João Rocha e não como o das antas. O problema é que eu não conheço o sucesso de nenhuma empresa ou instituição sem um bom líder. E Godinho Lopes não é um líder. Por isso, sem liderança, é impossível vencer.

2- Godinho Lopes é presidente também da SAD. E sabendo as dificuldades financeiras do clube, a que ele não soube dar a volta nem apresentar os investidores que anunciou na entrevista ao Expresso de Dezembro de 2012, investiu 60 milhões de euros em jogadores, dos quais já alienou muitas percentagens de passes. Ano e meio depois "descobre" que o ADN do Sporting é a formação. Ano e meio para descobrir sr. engenheiro? Então e quem se responsabiliza com o aumento do passivo para cerca de 120 milhões de euros e 60 milhões no futebol para vermos a desgraças que temos assistido em campo? Quem se responsabiliza por esta gestão ruinosa da SAD? Quem? Pois eu digo: Godinho Lopes, Castro Guedes e Luis Duque, que eram os seus administradores têm de ser responsabilizados.

Godinho Lopes é presidente do Sporting. Legalmente deve continuar, mas há uma altura na vida em que o presidente tem de parar e fazer uma auto-reflexão: «terei eu jeito para ser presidente do Sporting?». Eu acho que ele não tem jeito.

Sem comentários:

Enviar um comentário