quarta-feira, 31 de outubro de 2012

O estranho caso de Fernando "Taveira" Ulrich

Já ontem no meu mural do facebook achei estranho a influência que os filmes de Tomás Taveira têm sobre banqueiros. O presidente do BPI falou em «aguenta, aguenta» sobre a capacidade dos portugueses suportarem mais austeridade.

O que ele não sabe é que há declarações que enfurecem os portugueses que estão fartos de austeridade. Após as suas declarações, logo surgiram movimentos nas redes sociais a defender boicotes ao seu banco e até a levantar-se o dinheiro do mesmo.

Hoje, em dia, com a comunicação que se globalizou e proletarizou, todos têm direito e liberdade para se exprimirem. E muitos decisores ainda não perceberam que têm de ter um cuidado suplementar com as afirmações que fazem, correndo assim o risco de que a mesmas se tornem uma crise de comunicação para as suas Marcas.

Guerra das Estrelas terá mais 3 filmes

Uma boa notícia para os fâs da saga criada por George Lucas, que vendeu a produtora  Lucas Film à Walt Disney, como pode ver aqui. "Star Wars" é uma saga que bateu recordes de bilheteira por todo o mundo, que deixou personagens míticas e que continuará a ser uma galinha dos ovos de ouro. Alegrem-se as plateias.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Máscaras de Halloween são sondagem na América

Na América leva-se a sério a popularidade de venda de máscaras com os candidatos presidenciais, como se pode ler aqui. Só na América,

O teclado de Vitor Gaspar

«Gaspar escreve devagarinho no portátil apenas com os dois dedos indicadores. Achei que vocês gostariam de saber isto», diz a minha amiga Ana Catarina Santos, da TSF, no twitter.

Empresas não estão preparadas para crises nas redes sociais

Segundo o que podem ler aqui. E o estudo constata meramente a realidade.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Bento XVI e Pedro Passos Coelho

O nosso primeiro-ministro defende a emigração para os que têm falta de oportunidades. Bento XVI, que não deve conhecer as palavras de Pedro Passos Coelho, como poderão ler aqui, defende o direito a não emigrar. Deve ser um conflito entre a terra e o céu sem solução à vista.

Quando Madonna é vaiada em palco

Ter uma estrela a fazer de cabo eleitoral numa eleição é um trunfo na comunicação política. Bruce Springsteen e Madonna apoiam Barack Obama nos concertos. É raro uma diva ser vaiada em palco. Pode ver por aqui o momento em que isso aconteceu em New Orleans, ao pedir para votarem em Barack Obama. Um sinal de que as coisas estão renhidas por lá.

A vitória de Lula em São Paulo

O PT meteu todas as fichas na escolha do "prefeito" de São Paulo, a maior cidade do Brasil. Lula chegou a dizer que foi a campanha mais difícil da sua vida e as coisas estavam tão difíceis que Dilma só nos últimos dias da 1ª volta se associou à mesma.

Fernando Haddad estava muito em baixo nas sondagens quando arrancou, a sua vitória de ontem sobre José Serra é uma enorme vitória de Lula que expôs todo o seu carisma e popularidade para a ganhar. Haddad é assim o político do futuro do PT, com a benção de Lula e Dilma.

domingo, 28 de outubro de 2012

Amália

Não sou particularmente adepto de fado nem de festivais musicais. Mas um dos melhores concertos que vi na vida foi o dos 50 anos de carreira de Amália Rodrigues, no Coliseu.

Ali, para lá da voz, música e palavras, vi de perto o seu carisma, senti a sua alma e a força de uma diva. Amália é uma bandeira portuguesa, reconhecida em todo o mundo. Tudo o que continue, com qualidade, a preservar a sua memória e a sua marca é de saudar. Por isso saúdo esta notícia, com mais um livro sobre a sua carreira e vida.

sábado, 27 de outubro de 2012

Escuta a Passos Coelho é crime da Justiça e do Publico

Miguel Sousa Tavares bem faz notar hoje no Expresso as brincadeiras da Justiça e do Público. Qualquer jornal que ponha que um político seja escutado, sabe perfeitamente que isso levanta dúvidas sobre o seu carácter e honorabilidade. A chamada não é nada, é apenas para tentar manchar Pedro Passos Coelho que neste caso está impoluto. É uma vergonha para a Justiça e para um jornal que está sem rumo.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

A ditadura informativa da China

Para ler por aqui, como um regime verdadeiramente capitalista continua a controlar e a vetar informação como ditadura que sempre foi.

A diferença entre informar e comunicar

Apliquem a empresas ou a vocês mesmos, um artigo muito interessante.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

A saída da AR de Francisco Louçã

Só uma nota: eu não tenho especial simpatia por Francisco Louçã e por vezes tornava-se um cansativo pregador. Mas era um parlamentar importante e criativo, significativo para a democraticidade do nosso parlamento. Por isso, é a nossa política que perde com o seu abandono.

A entrevista de Godinho Lopes e uma sugestão construtiva

Como habitualmente, tento ser justo nos meus comentários. Sobre a entrevista de Godinho Lopes, ontem, a Fátima Campos Ferreira farei duas análises: a técnica e a de sportinguista.

Tecnicamente, foi num momento certo, numa fase muito conturbada do clube, algo que o presidente reconheceu ser natural pois houve muita especulação, decorrente da indefinição sobre o treinador e modelo a seguir. Godinho Lopes foi treinado, bastava ver certos pormenores, mas muitas vezes saiu da pré-agenda definida pela agência de comunicação que o acompanha, por força da contundência da entrevistadora.

 Mas, globalmente, foi eficaz, sobretudo para muita gente que se encontrava desmotivada e desolada com o seu consulado, não sendo uma grande entrevista pois houve várias cambalhotas e revoluções que para os mais atentos chegam a chocar. Estancou muitas perdas de confiança da parte dos adeptos e associados. Tem de rever uma postura, mas puramente de técnica de comunicação, algo que a maior parte das pessoas não está habilitada para comentar, pois nunca trabalharam em comunicação: quando aguarda as perguntas, não se chegue para trás na cadeira e olhe de cima para baixo, pois é um misto de sobranceria e desconfiança. A comunicação não é apenas evidências e factos, tem variáveis que derivam da linguagem corporal e do campo do subliminar, mas isto é crítica construtiva e pode melhorar.

Agora, vamos à análise dos temas que mais interessam aos sportinguistas:

Regime presidencialista - Foi uma das novidades da noite. Quantas vezes. e há quanto tempo,  aqui escrevi para os que acompanham o meu blog regularmente, que o Sporting «precisa de um modelo presidencialista à João Rocha»? Godinho muda a sua maneira de dirigir o clube, isso é positivo. Mas tem dois problemas: 1- Não nos podemos esquecer que o projecto que foi sufragado em eleições não era este, apresentou um elenco de "estrelas" que já foi embora e demorou ano e meio a perceber uma evidência; 2- Não basta falar em «regime presidencialista», pois para termos esse regime temos de ter um líder, uma pessoa com essas características inatas e não sei, pela percepção que dá, que GL as tenha.

Fracasso no modelo do futebol profissional- Assumiu o fracasso na gestão do futebol profissional, quando tantas vezes muitos escreveram que havia dois Sportings: O clube e o da SAD, dois quintais que funcionavam desligados, logo, não funcionavam bem. GL inverte esta opção, assumindo o futebol. Tem um problema: não percebe nada de futebol e quem escolheu para a SAD e futebol também não (já darei sugestão construtiva sobre este tema).

O ADN da formação - Todos já sabemos que é a nossa jóia da coroa. GL diz agora que será essa a prioridade. Porém, em ano e meio comprou 24 jogadores e foram gastos 60 milhões de euros. Quem paga a irresponsabilidade desta opção? Sem esquecer que já muitos passes de jovens jogadores não pertencem ao Sporting mas a fundos sem rosto.

O treinador- Reconheceu que Scolari era o seu treinador, algo que já tinha escrito e era verdadeiro. Não chegou a acordo porque exigiu 2 a 3 milhões de garantias para assinar, esqueceu-se de dizer isso. Anunciou o Franky Vercauteren, que foi o único que aceitou assinar até ao final da época, pois Freitas deixou outro treinador contratado para a próxima e por isso não veio Ernesto Valverde, que não aceitou a duração do contrato. Mas a partir deste momento, Vercauteren, é o melhor treinador do mundo, porque é nosso, e temos de apoiar.

Investidores- Como ontem escrevi, infelizmente, não há investidores. Por isso deixaram de ser prioridade. GL referiu-se a muitos dos opinion-makers na imprensa e televisão que falam do Sporting e que prejudicam a vinda de investidores. Devia estar a referir-se a Rui Paulo Figueiredo que falou de gestão catastrófica de 70 milhões da SAD, em Almoçageme, e veio nos jornais, de João Pedro Varandas que vê um microfone e excita-se (ambos da sua direcção e que terá de mandar calar), e adiversos elementos da AG, do Conselho Leonino e ex-presidentes que todos os dias falam. Mas também não se pode esquecer que um mês para apresentar treinador leva a uma situação de indefinição que nenhum investidor deseja.

Por último, já vai longo, uma sugestão construtiva: para a SAD e futebol, GL que vai assumir a pasta, escolheu 3 pessoas sem vivência, conhecimento e percepção do que é  mundo do futebol. Como ontem referi, de Borges Rodrigues não falo, pois não conheço, mas não é do futebol; Silva e Costa, mais um elemento da Maçonaria, é um nome impronunciável, estão na SAD. Para director do futebol, é assim que está no site do clube, escolheu o Paulo Farinha Alves. GL ontem retrocedeu, depois das críticas justas que constatou serem verdadeiras, e referiu que ele não vai ficar com o futebol, mas sim «em questões de organização e contratos». Ora, nestas duas vertentes, o Paulo é competente pois é um magnífico advogado. Sendo assim, falta um homem de confiança para o futebol, que conheça o mercado, agentes, jogadores e organização.

O Sporting tem nos seus quadros a solução ideal para o futebol, e que muitos dizem que foi o melhor profissional que entrou nesta gestão de GL, nos seus quadros. O Paulo Menezes, director de scouting internacional, para lá de sportinguista, tem toda a competência nesta área, sempre fez o trabalho de campo de Carlos Freitas, conhece de trás para a frente o mercado de jogadores e agentes FIFA, não se deixa enganar por amadores, é muito discreto, quase não fala, conhece os activos do clube. Não o digo só por ser amigo dele há 20 anos, é porque é mesmo bom. Tem detectado jogadores importantes, conhece a gestão e organização dos melhores clubes do mundo, conhece os tempos de comunicação, pois foi jornalista e editor de dois jornais, e trabalha com profissionalismo e paixão pelo clube. Basta GL falar com ele, aqui fica a minha sugestão construtiva, mais uma, desta vez para o futebol.

Os erros do FMI e Gaspar volta ao ataque

Há pouco tempo o FMI reconheceu que as suas políticas de austeridade têm contribuído para a recessão dos países onde intervêem. Hoje leio que o FMI diz que «é preciso cortar mais». Como este Governo só tem cortado nas pessoas, as que pagam tudo e mais alguma coisa, e não tem sido competente para queimar as gorduras do Estado, temo o pior. Quem tem um Vitor Gaspar nas finanças sabe que, infelizmente, o Estado tem sido incapaz de sair do bolso dos portugueses

Como combater a percepção da incompetência?

Podia ser aplicado a Portugal, mas esta notícia tem por base como a percepção de incompetência mina o trabalho do Governo de David Cameron.«The Government needed to strengthen its comms operation, while ‘setting a clear agenda and sticking with it’ to regain the momentum, he added».

Exactamente aplicável a Portugal, o Governo perdeu o controlo da agenda política, marcada, sistematicamente, por confusões, trapalhadas e a total falta de senso de Vitor Gaspar, que criam essa mesma percepção de incompetência.

quarta-feira, 24 de outubro de 2012

Converse lança "All Stars" homenageando Oscar Niemeyer

Uma marca de ténis de culto a celebrar um arquitecto genial e uma figura de referência da sociedade brasileira. Isto é criatividade. Apanhei aqui, via o Luis Paulo Rodrigues.

As escolhas de Godinho Lopes para o futebol

Godinho Lopes é um homem só. E as escolhas que fez para a SAD e futebol são prova disso. Para lá da solidão, está fragilizado, pois tem assistido à queda das suas principais figuras que apresentou em eleições, como peças de dominó. Neste momento, está sem escudos, qualquer que seja o mínimo problema não lhe sobrará qualquer margem de manobra para continuar na presidência do Sporting.

Sobre os que saíram, referir apenas que Luis Duque auferia 20 mil euros para pouco fazer. Não escolhia treinadores, nem jogadores, nem tinha qualquer influência nos meandros obscuros do futebol português. Portanto, no seu caso, foi uma poupança.

Sobre os que entram: para a SAD, Borges Rodrigues e Silva e Costa. O primeiro, não conheço, tenho apenas conhecimento que era da lista do Conselho Fiscal da candidatura de Bruno Carvalho e da Fundação Sporting, por isso não posso dizer nada.

Sobre Silva e Costa já tenho que dizer que é uma figura sinistra, perigosa, de fraca reputação, que já passou pelo Sporting com histórias que serão conhecidas em breve e com outras, já na actualidade, que terão de ser divulgadas. Uma das suas primeiras medidas é ter tido um carro de luxo disponibilizado pelo Sporting. Foi cooptado por Godinho Lopes e segundo a informação do site do clube sem remuneração. Pois quero ver agora quanto vai ganhar esta criatura que não acrescenta nada e é uma vergonha ter voltado ao Sporting.

Para director do futebol, Paulo Farinha Alves´, pessoa que conheço há 20 anos e com quem sempre tive boa relação pessoal até à última AG, onde me veio provocar. Como seu principal currículo, para lá de advogado, as defesas em AG e nas redes sociais de Godinho Lopes. Deve estar a ser premiado por isso. Nessa última AG, disse-me, com testemunhas ao meu lado, que «não queria nada do Sporting». Por isso, acredito que vá para o clube de borla. Se assim não for, perde a sua credibilidade junto dos sócios que apenas apoiam o clube e não se servem dele. Sobre futebol, a pasta que irá ter, sabe muito menos do que eu, e deve saber tanto de futebol como eu sei de chaminés.

Sobre o possível treinador Franky Vercauteren, auguro algo parecido com Vicente Cantatore. Espero não ter razão, prefiro equivocar-me nesta matéria. Mas como disse no arranque, escolhas fracas do actual presidente Godinho Lopes que, ainda por cima, ao contrário do que vem hoje nos jornais, não tem qualquer investidor para apresentar. Infelizmente para o futuro do Sporting não tem.

Video da Heineken com James Bond

Depois de um filme engraçado da Coca Cola, também a Heineken aproveita a maré James Bond.

terça-feira, 23 de outubro de 2012

O homem e a mulher

«O homem tem factos, a mulher tem palavras»

Provérbio italiano

As saídas de Duque e Freitas e Godinho com nota "SEM"

Ontem, mal se soube a notícia que decapita a estrutura do futebol do Sporting, escrevi o seguinte no meu mural no Facebook: «com as saídas de Duque e Freitas, e as anteriores de Carlos Barbosa, Paulo Pereira Cristóvão e de Domingos, já não fica nada do dito"projecto". Resta apenas um logro».

Godinho Lopes tem sido um presidente nota "Sem" (sim, com S e não com C). Tem sido um presidente SEM liderança, SEM estratégia, SEM projecto, SEM direcção, SEM investidores, SEM títulos e SEM os seus homens-fortes que apresentou em campanha eleitoral.

Não tenho nada contra Godinho Lopes, até o considero um homem correcto no trato com os sócios e adeptos, comigo sempre foi assim.. Por natureza, entendo que os mandatos são para cumprir. Mas em determinados momentos, os homens devem parar para pensar e reflectir se têm condições para continuar e se têm jeito para o cargo que ocupam. Essa é uma reflexão que deixo a cargo do presidente.

Não sei o que se vai seguir. Hoje, leio que Couceiro pode acumular a posição de treinador com manager. Julgo ser uma má solução. Também ouço que são homens da direcção que irão ocupar as posições na SAD, também acho péssima solução, pois nenhum é homem de futebol.

Aquilo que afecta todos os sportinguistas sem excepção, é o futuro do clube que amam. Vivemos um mau momento de gestão e desportivo, com uma evidente falta de liderança. É importante uma estratégia global para o clube, um rumo, uma voz de comando. E não vejo solução para isto nos próximos dias. Isto é que deve preocupar todos os sportinguistas.

PS: Sobre a escolha do treinador, toda a verdadeira história passada entre os dias 6 e 22 será contada. Em breve

O último debate Obama/Romney

O terceiro e último debate entre os candidatos presidenciais americanos é sempre o que tem mais audiências. Na mesa, questões de política internacional.

Obama ganhou claramente mas não por KO. Está mais bem preparado, conhece os dossiers pelo cargo que ocupa. Romney já tinha cometido várias "gaffes" nestas questões, mas não passou mal.

Romney teve uma boa reacção quando chamou a atenção para a importância da política americana, em termos económicos, não estar concentrada na China, mas olhar mais para a América Latina.

Porém, uma das evidências é que em hora e meia de debate, nenhum falou da crise europeia. Não sei que América pode liderar o mundo sem falar na União Europeia e na NATO.

segunda-feira, 22 de outubro de 2012

Ex-presidentes promovem o adultério

Como um site americano aproveita as conhecidas infidelidades dos presidentes franceses para se promover com uma campanha, que faz "buzz", por aquelas bandas.

Sobre liderança no Sporting e o nosso estado actual

Ser líder é ser responsável. É ser responsável máximo de tudo o que acontece de bom e de tudo o que acontece de mau.

Um mau líder é o que está calado quando algo corre mal e tenta passar a responsabilidade para os que estão abaixo de si.

Um bom líder escolhe uma boa equipa, se essa equipa falha ele é o responsável pelas escolhas que fez.

Se em algum sector de actividade encontram empresas, clubes, instituições com um CEO/presidente com este perfil, significa que ele não é um bom líder e não sabe o que é liderança.

O Sporting tem, neste momento, uma liderança desnorteada, uma direcção fraca, fontes oficiais do clube a falar todos os dias, personalidades do clube a falar todos os dias nos media, tem «abraços nas vitórias e facadas nas costas quando das derrotas», esta entre aspas é do próprio Godinho Lopes.

Hoje, o Sporting já não está a olhar para o abismo, está no fundo do abismo. O Sporting com a sua história centenária, com o pulmão e coração dos seus adeptos precisa de se reerguer orgulhosamente como a Fénix..

O Sporting vive os seus dias mais negros, é um desastre de gestão e de sucessos desportivos, a cara de Godinho de Lopes ontem na tribuna de Moreira de Cónegos diz tudo.

São quase dois anos de total ausência de LIDERANÇA, de um logro que está a sair caro ao clube. A nossa alma está doente, mas o amor é eterno. Vamos acordar, vamos mudar, vamos fazer uma ruptura com o roquetismo que foi quem nos levou a estes dias de pesadelo. Chegou a hora dos sportinguistas dizerem basta!

A imortalidade e a fama

«Na nossa época tem-se a impressão de que ninguém estaria disposto a pagar um euro pela imortalidade. Pela fama, como sabemos, sim»

Rafael Argullol, no Babelia do El Pais.

domingo, 21 de outubro de 2012

Duas perguntas sobre Eduardo Barroso

Não vou dizer tudo o que me apetece neste momento, confesso, porque sou uma pessoa racional e bem educada. Mas quero só perguntar aos sportinguistas duas coisas:

1- As amigas e amigos conhecem o nome do presidente da Mesa da Assembleia Geral (PMAG), assim facilmente, das duas outras colectividades rivais?

2- As amigas e amigos já viram os PMAG das outras colectividades rivais a intervirem publicamente? A contribuirem para o caos? A querer interferir na escolha de jogadores e treinadores? A revelarem as dificuldades dos seus clubes?

Acho que basta esta reflexão justa. Prefiro só ficar pela reflexão, por agora.

A prioridade de Dilma foi "Avenida Brasil"

Final de novela, de sucesso, das 8 no Brasil é religião nacional. Dizem que "Avenida Brasil" foi das melhores e mais marcanets dos últimos anos, e várias personalidades da cultura escreveram textos sociológicos sobre a trama. A presidente Dilma, como se lê por aqui, escolheu-a como prioridade.

sábado, 20 de outubro de 2012

A Soares custou-lhe muito o corte na sua Fundação...

...e por isso continua ao ataque como se pode ler aqui. Defendo a intervenção cívica de todos os portugueses, mas quando uma personalidade perde milhões de euros do Estado (Governo e autarquias) que recebia há anos e anos para a Fundação Mário Soares, isso para mim não se chama intervenção cívica, chama-se voz da algibeira.

sexta-feira, 19 de outubro de 2012

Documentário dos 50 anos dos Rolling Stones

A ver e a ler.

A elegância da política

Na política está presente o combate, mas deve prevalecer sempre a elegãncia. No combate Obama vs. Romney, depois de um duro duelo na terça-feira, vejo por aqui a elegãncia de dois contendores que se respeitam.

Duas notas sobre a venda do grupo editorial de Joaquim Oliveira

Qualquer empresário tem o direito de fazer os negócios que bem entende. Joaquim Oliveira decidiu vender o seu grupo editorial que passava por DN, JN, TSF, Jogo, Açoriano Oriental, DN Madeira e Jornal do Fundão. Os media são uma área de negócio muito sensível, pois a informação e a sua investigação são áreas sensíveis, e são fundamentais numa sociedade democrática. Deixo duas notas:

1- Mais um grupo vendido a angolanos e neste caso ainda desconhecidos. Um dia destes temos um monopólio angolano dos media portugueses, pois já angolanos entraram no capital da Impresa e da Cofina. Não é nenhuma xenofobia é apenas alguma aflição por não saber quem os controla, que interesses estão por trás destes investimentos. Que garantias temos de plena liberdade de informação?

2- Joaquim Oliveira fica apenas com a Sport Tv e com os direitos do futebol, que foram ao longo de décadas a sua jóia da coroa. Liberto das preocupações com o negócio dos media, Oliveira vai voltar a ser um player forte no mundo do futebol. Vamos ver que novidades este novo posicionamento trará.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

José Castelo Branco candidato a Sintra

A notícia não é nova, mas só me suscita três comentários:

1- Uma vez perguntaram-lhe o que achava de determinado político, respondeu: «ele é um macho fantástico»

2- A política vai conhecer o primeiro político que não é homem nem mulher. É apenas uma criatura.

3- Só nos faltava mais uma ave rara na política.

A greve da Lusa

Respeito o protesto dos profissionais da Lusa. Sem eles não se faz uma informação completa de tudo o que acontece em Portugal. O seu meritório trabalho é que faz com que projectos jornalístcos tenham notícias do nosso País, de todas as localidades, e se formos diariamente às edições on-line é fácil de ver que a informação veiculada é 80 por cento, pelo menos, originária dos jornalistas da Lusa. Por isso louvo a sua corajosa atitude, pois eles são fundamentais para uma boa imprensa ao serviço dos cidadãos.

"Newsweek" deixa de ir para as bancas

Papel é papel. O formato digital nunca substitui o prazer de folhear um jornal ou uma revista da qual gostamos. Hoje em dia, há 3 revistas semanais essenciais para mim e as que mais prazer me dão: a Newsweek, a Economist e a Veja.

A edição desta semana da Newsweek traz um texto fenomenal de Sidney Blumenthal intitulado «The great campaigner», e é sobre Abraham Lincoln, mas muitos mais temas interessantes. Continua, mais pobre, a ser uma boa revista.

A partir de Janeiro deixa de ir para as bancas, mantendo-se em formato digital. Muitas publicações passam por dificuldades económicas, mas a sua consistência de marca advem da edição em papel. Vou passar a poupar 4.50 euros por semana. Mas não fico feliz por isso.

quarta-feira, 17 de outubro de 2012

A primeira boa medida deste OE

Em Agosto, paguei milhares de euros ao Estado que ainda não tinha recebido. Por isso, saúdo esta boa medida do Governo. É um bom contributo para as PME.

A Comissão de Trabalhadores da RTP, "seja lá isso o que for"

Eu sou sempre solidário com o meu sector de Conselho em Comunicação quando ele é posto em causa. Tenho pena, mas isto é uma crítica construtiva para o Alexandre Cordeiro não levar a mal, que a Associação mais representativa do sector, a APECOM, não tome mais vezes posição quando é necessário e que alguns egos não permitam que haja mais junção de boas vontades na defesa do nosso negócio e da actividade dos seus profissionais.

Passando ao que interessa, a Comissão de Trabalhadores da RTP emitiu um comunicado contra a contratação de uma agência de comunicação que trabalharia a comunicação institucional da RTP, e bem precisa.

No caso, foi a Cunha Vaz & Associados, mas poderia ser outra qualquer e a minha indignação contra o teor do comunicado seria o mesmo. O Rodrigo Saraiva, aqui no PiaR , já comentou e eu vou acrescentar umas coisas.

 “Esta contratação de uma agência para ‘assessoria de comunicação empresarial’, seja lá isso o que for”. Foi assim que a Comissão de Trabalhadores da RTP, seja lá isso o que for, se referiu aos meus colegas.

Pois bem meus senhores, uma agência de comunicação faz um trabalho de valorização das Marcas com que trabalha. E a RTP bem precisa da sua Marca valorizada e defendida, face aos últimos resultados que tem obtido.

Uma^agência de comunicação não vai tirar trabalho a ninguém, vai valorizar sim o trabalho, que a Comissão de Trabalhadores da RTP, seja lá o que isso for, não sabe fazer nem nunca saberá.

Uma agência de comunicação não vai ensinar uma Comissão de Trabalhadores da RTP, seja lá o que isso for, a fazer televisão.

Uma agência de comunicação é uma mais-valia para qualquer empresa ou instituição e a Comissão de Trabalhadores da RTP, seja lá o que isso for, não percebe nada disso.

Tal como os consultores de comunicação respeitam o trabalho dos media tradicionais, nomeadamente da RTP, e trabalham com eles, os consultores exigem respeito da Comissão de Trabalhadores da RTP, seja lá o que isso for.

E como nota final, vejo que a Comissão de Trabalhadores da RTP, seja lá o que isso for, precisa, ela mesmo, de uma agência de comunicação. Na próxima vez, já não fará um comunicado tão mau.

Com os cumprimentos de um consultor de comunicação.







Os silêncios que minam o Governo

Este é um Orçamento de Estado da coligação PSD-CDS. Não é um OE de Passos Coelho e Vitor Gaspar. O partido de Paulo Portas está em silêncio, Jorge Moreira da Silva, ontem, também num momento se remeteu ao silêncio. São silêncios que minam uma relação e que tornam tudo mais difícil.

O "enorme investimento" na educação de Vitor Gaspar

Quando ouvi as palavras do ministro, para responder ao jornalista que lhe perguntou se «era remodelável», fiquei atónito com a ingenuidade (?), com o ridículo, com o disparate da resposta. Vitor Gaspar parece cada vez mais uma criatura que vive num universo próprio, que não é deste mundo. Por aqui fico a saber o "enorme investimento" que o País fez nele. E tenho de voltar a dizer: é ridículo.

terça-feira, 16 de outubro de 2012

Uns pagam, outros correm em Paris...

Foto do CM com José Sócrates a fazer "jogging" em Paris. Ele parece que está descansado, os portugueses não.

Sportinguistas são os melhores adeptos do mundo

Vitor Gaspar, que quase diariamente faz exames à próstata dos portugueses sem lhes pedir autorização, disse, naquele seu estilo de Mr. Bean lusitano que «os portugueses são o melhor povo do mundo».

Godinho Lopes, com a sua falta de liderança, ausência de projecto, trapalhadas habituais e gestão sem estratégia consegue, no seu estilo de Avô Cantigas, provar que pela sua calma, paciência e paixão infinita pelo seu clube, os sportinguistas são os melhores adeptos do mundo.

Porque escolhemos e votamos em mentirosos?

Via Luis Paixão Martins, apanhei este interessante artigo que convido a ler.

O poder de um logotipo

O criador da identidade da Globo e da SIC, Hans Donner, explica a importância do logotipo.

segunda-feira, 15 de outubro de 2012

Quando a Moda faz comunicação política

Os criadores de Moda também estão atentos ao que se passa nas sociedades onde vivem, Em Portugal há indignação e manifestações, e como se pode ver por aqui, Nuno Gama aproveitou a onda e no seu desfile criou um momento de comunicação política.

A campanha e o resultado nos Açores

Vários pontos de reflexão sobre a campanha e os resultados dos Açores:

1- Mais de 52 por cento de abstenção. Um alheamento assinalável dos açorianos. E mais assinalável porque existia a saída de um dinossauro no poder: Carlos César. Portanto, para lá dos que desacreditam nos políticos tradicionais e não confiam nas suas soluções, a mensagem de mudança não passou.

2-  Num partido que está no poder há 16 anos, vê sair o seu líder e obtém uma maioria absoluta, isso é uma vitória estrondosa e uma derrota inequívoca de todos os outros partidos, e há mérito de Vasco Cordeiro e nem foi preciso cantar o fado de Coimbra, apenas mostrou que era melhor e mais conhecedor dos problemas.

3- É óbvio que houve reflexo local na crise que se vive em Portugal. Mas isso não explica tudo. O resultado é um cartão amarelo a Passos Coelho, que julgo se irá alargar às autárquicas, onde poderão florescer mais candidaturas independentes e vários movimentos cívicos contra os partidos tradicionais.

4- Berta Cabral tinha a missão de alterar o ciclo político. Quando sai um líder histórico isso é mais fácil, foi assim com Mota Amaral e este era o momento com a saída de César. Agora, para o PSD tudo será mais difícil. E não nos esqueçamos, também, que ela há poucos meses era dada como uma candidata imbatível.

5- Berta Cabral seguiu uma estratégia de apagamento da sua ligação ao PSD. Podíamos dizer que era uma estratégia óbvia e que ela se irá replicar em muitas candidaturas autárquicas. Chegou a apagar o símbolo do partido na sua propaganda e fez declarações a libertar-se do caminho do PSD no Governo e do seu líder, Passos Coelho. Isso fica provado que é um caminho errado. O eleitorado indeciso valoriza três coisas: credibilidade, confiança e lealdade. Berta foi desleal com o seu partido de sempre, isso não agrada a um eleitorado indeciso e esclarecido.

6- Recorro aos meus apontamentos de campanha. Primeiro dia oficial de campanha e os temas escolhidos pelos candidatos. Vasco Cordeiro escolheu o emprego. Berta Cabral escolheu a reabilitação urbana. Pergunta de retórica: mas qual era o partido que estava no poder? Exactamente, o que estão a pensar, quem devia ter falado logo no emprego que é o tema que mais importa ao arquipélago era a candidata da mudança. E ela só o fez na recta final de campanha, prometendo a criação de 15 mil empregos, menos um zero do que Sócrates prometeu e não cumpriu. Pareceu promessa tardia, quando devia ter sido a prioridade.

7- Cada campanha quando não é nacional é um micrososmos. Quando se aplicam técnicas nacionais, válidas, mas não se conhece bem o terreno há uma dispersão de mensagem que afecta o resultado final. Vasco Cordeiro mostrou sempre maior proximidade aos problemas dos açorianos, aquelas duas imagens subliminares dele ter sido agricultor como os seus pais (agricultura é fundamental nos Açores) e de andar muito depressa que até cansava quem o acompanhava, como se tivesse pressa em resolver os problemas, foram magistrais. Faltu muita ratice na campanha do PSD e o PS venceu estrondosamente.

domingo, 14 de outubro de 2012

Godinho Lopes devia ler António Oliveira e mais duas notas

António Oliveira foi um grande jogador, um bom treinador e um magnífico observador do futebol. Nunca esquecerei, ao serviço do Sporting, o trio fenomenal de ataque do tempo de Malcolm Allison com ele, Manuel Fernandes e Jordão,os seus três golos ao Dínamo de Zagreb e a sua frase: «porque cada leão que cair, outro se levantará».

Hoje numa grande entrevista a A Bola diz tudo sobre o Sporting e era bom que Godinho Lopes, em vez de andar a dar alvíssaras a Pinto da Costa, como antes do jogo das Antas, lesse estas palavras que vou passar;

António Oliveira (AO): Diga-me quantas vezes nos últimos tempos, a não ser agora, autorizado pelo presidente ou em substituição dele, um dirigente do FC Porto falou ou deu entrevistas?

Jornalista: Raramente.

AO: Diga-me quantas vezes no Sporting, por exemplo, algum dirigente que não o presidente fala ou dá entrevistas?

Jornalista: Imensas

AO: Diga-me quantas vezes o FC Porto deixa passar uma notícia antes de haver a certeza daquilo que foi a decisão dos seus dirigentes?

Jornalista: Raramente.

AO: Diga-me quantas vezes o Sporting deixa passar uma notícia antes de haver a certeza daquilo que foi a decisão dos seus dirigentes?

Jornalista: Imensas

AO: Li que o presidente do Sporting estava com dúvidas em impor o nome do seu treinador. Mas então quem é o responsável máximo pelo clube? É Godinho Lopes ou é o conjunto de pessoas que pode pôr em causa o nome do treinador que o presidente quer? Há aqui uma falta de liderança enorme.

E noutra parte da entrevista António Oliveira diz o seguinte:

´«Porque é que, por exemplo, os treinadores nunca têm sucesso no Sporting, depois saem e têm sucesso? Então e a culpa é só dos treinadores? Ninguém mais tem culpa? Escolhe-se um treinador, diz-se que é o melhor do mundo no presente e no futuro, tem um mau resultado e é despedido? E a cena repete-se ano após anos. No modelo do FC Porto o presidente é a equipa, o dirigente é a equipa e a equipa é o dirigente e o presidente. Noutros clubes dá-me a sensação que há uma equipa de futebol e que depois os dirigentes são outra equipa. E que às vezes, se calhar sem querer, são quase adversários»

Da minha parte concluo que são correctíssimas e justas as afirmações de António Oliveira. E dou dois exemplos: 1- Godinho Lopes foi para a Rússia, enquanto lá esteve aparece um vice, joão pedro varandas, a falar. O presidente sabia? Um dos vices que mais fala e conta o que se passa dentro do clube segue o seu tutor, Rogério Alves, vê um microfone, excita-se e fala?
2-O Sporting pelas fontes oficiais do costume anunciou novo treinador até sexta-feira. Na quinta, mudaram de opinião e as mesmas fontes já colocaram nos jornais que a estrutura do futebol ia ser repensada. No sábado, as mesmas fontes já avançam que Oceano pode ficar até ao final da época.
Pois é meus amigos, um clube sem rei nem roque, sem liderança é assim. Que saudades de João Rocha.


A conspiração contra Passos Coelho

Pedro Passos Coelho tem cometido muitos erros: de casting, de comunicação, de decisão. O seu homem das Finanças tem sido um desastre nas medidas anunciadas, em avanços e recuos. Por isso, há legítimo direito à indignação e à desilusão-

Mas não posso deixar de registar que são os mesmos de sempre, dentro do seu partido, a deitarem as setas envenenadas que depois condicionam a opinião dos portugueses. São Marcelo, Pacheco Pereira, Manuela Ferreira Leite, Alexandre Relvas, Miguel Veiga, António Borges (contratado a peso de ouro mas que quando abre a boca prejudica quem o contratou) ou Eduardo Catroga (a quem o Governo não controlou).

A maior parte destes nomes é cavaquista. Quando começam a atacar líderes do PSD, parece um concerto monumentalmente dirigido por Herbert von Karajan. Só que o maestro, a esfinge de Belém, segue em silêncio como as víboras até à mordidela final.

Pois. é, a mordidela final foi a intervenção de Cavaco Silva, ontem, no Facebook, pode ver aqui. Há muitos anos que os adeptos de teorias de conspiração podem acompanhar o PSD. É sempre a mesma coisa, são sempre os mesmos, com Cavaco a sair seco entre os pingos da chuva.

sábado, 13 de outubro de 2012

Uma sondagem que abala o Governo

O Expresso publica hoje esta sondagem, um sinal inequívoco de que as coisas estão por um fio. Os portugueses perderam o respeito por quem nos governa, não confiam no Executivo nem na sua acção e não acreditam que ele chegue ao fim. E Vitor Gaspar é o bombo da festa. Quando se atinge este limite, o fim está próximo. E remodelação para o Governo ganhar alguma margem de manobra, só com a saída de Gaspar.

sexta-feira, 12 de outubro de 2012

O Clio de Assis

Aproveitou bem a Renault, com uma campanha de marketing engraçada, o disparate de Francisco Assis que quase falava enojado de um Clio, como se de belzebú se tratasse.

Esqueceu Assis que um seu camarada do PSF, Bertrand Delanoe, que é "maire" (presidente de câmara) de Paris anda todos os dias num simples Smart..

Esqueceu Assis que os portugueses estão cansados da classe política e que todos os gestos que pareçam pouco humildes são alvos de forte contestação.

E sabem os portugueses que há uma espécie de universo paralelo entre a vida real, a que toca a todos, e a vida fechada dos políticos que pouco contacto têm com as populações e os seus problemas. É neste abismo de proximidade que o futuro dos políticos actuais é pálido, já não geram respeito e confiança. É melhor estarem calados. 

O Nobel da Paz para a União Europeia

Numa altura em que vários países da União Europeias vêem cidadãos em protesto nas ruas; numa altura em que as políticas europeias são questionadas; numa altura em que não sabemos o futuro da moeda comum; numa altura em que temos uma liderança da UE miserável, de facto, não faz sentido dar este prémio Nobel.

Vieira, Moniz e Rui Costa

Não é só o meu clube que gera por vezes apreensão. Nesta colectividade da Luz há dois assuntos que considero "sui generis", à beira de eleições para a presidência..

1- A forma como um dos principais símbolos desse clube, Rui Costa, tem sido ostracizado e apagado. Falta agora saber como se posicionará nestas eleições.

2- Tenho respeito por José Eduardo Moniz e todas as pessoas têm o direito de mudar, mas o homem da televisão foi um crítico duro de Vieira e ponderou avançar contra ele há uns anos atrás. Hoje, diz que está disponível para tudo e parece integrar a guarda pretoriana de um cavalheiro que é o campeão nacional da má gestão. "Sui generis" no mínimo.

quinta-feira, 11 de outubro de 2012

Obama usa táctica polémica comprando espaço nas redes sociais

Legal é, mas não deixa de ser sintomático que Barack Obama se veja obrigado a comprar espaço nas redes sociais, só para ter um milhão de "likes". A história para ser lida aqui. E como se pode ver gerou muitos protestos e será por certo utilizada contra ele. Obama que era o candidato "cool" relembre-se.

Como o Néné do Benfica teve origem no Sporting

O João Villalobos, meu amigo e consultor de comunicação, foi uma grande aquisição para escrever no Jornal do Sporting, onde escreve por gosto uma coluna de opinião não remunerada.
Na edição desta semana escreve esta crónica que deixo neste link, sobre como o nome de um símbolo do Benfica teve origem num presidente do Sporting.

quarta-feira, 10 de outubro de 2012

Público despede 36 jornalistas

É com mágoa que leio esta notícia do Expresso. Não sei quem são os jornalistas que passarão por esta situação horrível, mas lamento. A Comunicação Social tem uma enorme importância numa democracia. Bom jornalismo e livre imprensa, ajudam a sociedade a reflectir e a conhecer a verdade.

O Público é um bom jornal de referência. Mas não se fazem bons jornais sem meios e apenas com estagiários. Desinvestir na informação é rude golpe numa sociedade democrática. Isto associado à compra de meios de comunicação por empresários estrangeiros não é um bom sinal.

Sporting: o treinador do presidente vs. o treinador da SAD

Ontem, logo pela fresca, escrevi no meu mural no facebook assim: «Acordei, vi a imprensa e estou descansado. O Sporting já tem 54 treinadores...». Tem sido um bailado de todos os nomes possíveis e imaginários. Mas na sexta-feira, no meu twitter, escrevi: «Co Adriaanse ou Ernesto Valverde», o segundo nem sequer tinha ainda sido falado, começou a ser depois disso.

Não sei ainda quem será o treinador. O que sei é que em ano e meio vamos para o terceiro treinador e esta direcção e estrutura do futebol não podem falhar de novo. Por isso, apesar de não perceber nada de futebol, Godinho Lopes está mais em cima da decisão, que será tomada pelos homens em quem confia. Logo, há da direcção um desejo e da SAD outra maneira de ver o assunto

Co Adriaanse era uma hipótese forte e foi contactado, mas dizem-me que está doente e não tem condições. Assim, o treinador desejado pela direcção era Luis Filipe Scolari. A título pessoal não julgo que fosse uma boa solução. Se tivéssemos um plantel mais velho, talvez fosse. Mas Scolari está numa fase da vida em que não ensina nada a ninguém (e temos muitos jovens que sabem jogar à bola, mas ainda não sabem jogar futebol), é caro e nos últimos clubes por onde passou foi um desastre (Chelsea despedido e no Palmeiras ficou 9 pontos abaixo da linha de água quando saiu).

Scolari seria uma mera decisão política, de sobrevivência, seria uma espécie de Sá Pinto sem sportinguismo, seria ele a carregar o clube como o Ricardo o fez na temporada passada. É duro, austero, mas teimoso e pouco versátil. Para um presidente que não é líder, Scolari daria jeito. Mas tecnicamente deixa muito a desejar e não é neste momento opção.

Do lado da SAD, outra visão e conhecimento mais profundo do futebol. A solução para treinador tem de ter em conta o plantel que temos e tem de ter um perfil ambicioso e de crescimento. Luis Enrique e Ernesto Valverde seriam as opções mais prováveis. 

O primeiro conhece o trabalho de formação, com a escola do Barcelona, mas a sua primeira experiência como técnico principal, na Roma, foi um desastre. Ernesto Valverde é um bom, respeitado e ambicioso treinador. Começou no Atlético de Bilbau, um clube que muito vive da sua cantera, até porque não utiliza estrangeiros, brilhou com o Espanhol e ganhou 3 campeonatos gregos no Olympiacos, onde é adorado e onde deu 5 a 1 ao Benfica numa competição europeia, e isso é um bom currículo.

Valverde não é um treinador de perfil alto e muita gente não o conhece. Mas muita gente também não conhecia Boloni e foi campeão e muita gente não conhecia Mirko Jozic e foi dos treinadores que melhor futebol exibiu em Alvalade. Valverde fala baixo, calmamente, tem bom balneário e resolve os problemas olhos nos olhos, algo que quem anda no futebol gosta. E é adepto de futebol ofensivo e de espectáculo, coisa que desde Peseiro não vejo em Alvalade.

Agora, tudo depende das negociações. Sendo que ano e meio de contrato com bons prémios por objectivos alcançados é o que está em cima da mesa e nunca contratos longos como vi alguns escrever. Esperemos que haja uma boa escolha e um bom treinador, que apoiaremos sempre. E não folclore nem segundas opções. O Sporting já não pode falhar mais.

PS: todos os treinadores quando são despedidos têm direito legal às suas indemnizações. O Sporting neste momento paga a Domingos (que foi mal tratado) e a Sá Pinto (que saiu desamparado mas é sportinguista). Paulo Bento saiu (também mal tratado), mas não aceitou um cêntimo mais depois do último dia em que deu treino. É nestes gestos nobres que se vê o carácter dos homens, desculpem que vos diga.



 




A maturidade da Justiça brasileira e Lula

É o caso de Justiça dos mais importantes da história do Brasil. Por lá, não existe nenhuma Cândida Almeida a dizer que os políticos brasileiros não são corruptos.

O nosso país-irmão é hoje uma potência de primeiro mundo, onde ainda subsistem algumas desigualdades mas com uma classe média a crescer, o que significa que tem diminuído a pobreza. Na origem deste salto qualitativo estão, primeiro, Fernando Henrique Cardoso e, depois, Lula. Dois grandes presidentes.

Porém, há muito que estava em investigação o designado Mensalão. O caso-bandeira da corrupção na política que envolvia vários homens do presidente Lula. Apesar da influência do poder político, a Justiça brasileira mostrou a sua maturidade e independência e condenou-os, especialmente José Dirceu, o homem mais influente do Brasil naquele tempo. Falta apenas saber se Lula sabia de todo o esquema, isso não conseguiram provar.

Este caso brasileiro exibe à sociedade e à sociedade a tibieza da Justiça portuguesa, onde os fracos são condenados em processos sumários, mas os fortes vêem os seus processos arrastarem-se anos e anos sem condenação. Por isso é que Portugal não é um País de corruptos, só por isso.

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Vegas e outras séries que destaco desta temporada

Estreia esta quarta, no TVSeries, "Vegas", uma das que aguardo com maior expectativa, deixo o resumo aqui do blog de séries do El Pais, que recomendo.

Desta nova temporada em Portugal destaco "Homeland-Segurança nacional" (2ª temporada), que começou fortíssima ontem na Fox, "Revenge" na Fox Life, e "Boardwalk Empire" (2ª temporada) no AXN Black.

Por que é que Mário Soares anda tão activo? É fácil a explicação...

Antes das eleições legislativas, Mário Soares chegou a estar com Pedro Passos Coelho, deu-lhe alguma força e disse que ele era «um homem bem intencionado».

Mas, de há umas semanas para cá, começou num enfurecido ataque contra o Governo, Passos, Portas, pedindo até a Cavaco que demita o actual Executivo e coloque outro sem convocar eleições.

Os portugueses têm motivos para se indignar, devido ao brutal assalto que lhes tem sido movido por este Governo. E em Portugal, infelizmente, a média dos salários é baixa e muita gente passa por dificuldades.

Agora, a indignação de Soares é outra. Foram milhões que a sua Fundação recebeu do Estado e de autarquias, e que agora vão acabar. Não confundam, por isso, a indignação de quem tem motivos justos para se indignar, com os que têm a motivação para se indignar dos bolsos.

A derrota de Cândida Almeida para PGR

Foram alguns meses de intensa campanha. Alguns processos travaram e chegou mesmo a dizer que «os políticos portugueses não eram corruptos». Foi uma bela operação de charme conduzida por Cândida Almeida que queria ser a Procuradora-Geral da República, como vários observadores notaram.

Quando foi anunciado que seria uma mulher, a primeira PGR da história, aguardei. Mas não era Cândida. Depois desta decisão, julgo que vários processos que, estranhamente, travaram vão reiniciar-se e outros serão acelerados. Vamos ver, então, se daqui a uns meses Cândida Almeida dirá que não há corrupção em Portugal.

segunda-feira, 8 de outubro de 2012

Sem boa comunicação não há bom Governo

A Meios & Publicidade convidou-me para escrever sobre a comunicação do Governo. Fica aqui o mesmo e agradeço o convite.

Vitor Damas: uma eterna saudade

Faria hoje 65 anos um dos melhores guarda-redes de sempre do futebol português, os outros são João Azevedo e Carlos Gomes todos ex-jogadores do Sporting.

Vitor Damas, juntamente com Manuel Fernandes, foi o meu grande ídolo de juventude. E foi sempre conversa de casa porque o meu tio foi seu guarda-redes suplente nos juniores.

Para lá de ser felino e espectacular na baliza, Damas é uma referência eterna de sportinguismo. Vi-o, muito pequeno, assobiado em Alvalade e substitído por Matos (os de início da década de 70 lembrar-se-ão do jogo com a Académica), mas mesmo quando brilhou a grande nível em Espanha, no Santander, nunca esqueceu o seu clube do coração.

Esteve muito tempo afastado de Alvalade. Foi a Rita, sua filha, pessoa muito simpática e que devia estar a trabalhar no clube e não uma série de gentalha que não interessa a ninguém e que por lá anda, que me contou a enorme felicidade e alegria que Vitor Damas sentiu quando Santana Lopes o convidou a voltar ao Sporting. Era ali que queria estar, era ali que devia ter sempre estado.

Damas é um exemplo de um atleta abnegado que defendeu e sentiu o seu clube até aos últimos dias da sua vida. Já não há heróis assim. É uma pena. E o Sporting precisa de heróis como Vitor Damas.

Oráculo (392)

«Só se conhece bem um povo através dos seus deuses»

Marguerite Yourcenar, "Arquivos do Norte", edição Difel

domingo, 7 de outubro de 2012

SIC: 20 anos com um esquecimento grave

A SIC foi fundamental para a modernidade da televisão portuguesa. Foi frescura e inovação, mais liberdade de informação.

Estamos gratos a Pinto Balsemão, mas esta televisão não existiria sem um homem: Emídio Rangel. Por isso, considero lamentável que o tenham apagado das suas comemorações. As relações podem não ser hoje as melhores, porém, há um sentimento mais marcante nas pessoas de boa educação e formação: a gratidão.

sábado, 6 de outubro de 2012

O assassínio de Sá Pinto e os eternos responsáveis

É com muita mágoa que vejo partir o Sá Pinto. O ano passado foi um psicólogo fantástico da nação leonina, mas este ano precisávamos de um treinador. E temos de reconhecer que ele não foi um bom treinador. Nisto é apenas ele o culpado.

Mas ele só foi treinador da equipa principal porque alguém o escolheu. Num momento difícil, direcção e estrutura da SAD usaram-no para salvar a pele, agora assassinaram-no sem pudor.

O treinador sentia-se sozinho e desprotegido desde o jogo com o Basileia, ninguém da direcção nem da SAD o defendeu publicamente. E naquele sábado, antes do jogo com o Gil Vicente, com três capas de desportivos onde se mostrava que havia um grande plantel e o Sá Pinto é que era mau, dizimaram-no.

Nunca neste espaço pedi demissões nem eleições antecipadas. E não o vou fazer. Mas é tempo dos responsáveis fazerem uma auto-reflexão. Godinho Lopes é o presidente que nos últimos anos menos oposição tem sofrido, menos barulho tem sentido, como o prova a última Assembleia Geral.

Os problemas do Sporting têm estado dentro do Sporting. É com tristeza que eu e muitos milhões de adeptos anónimos vêem isso acontecer. Quem mina o Sporting é quem gere mal e está lá dentro, quem é fonte de jornais e está lá dentro, quem delapida o património e a alma sportinguista e está lá dentro. É assim há 20 anos.

O problema do Sporting é um problema de liderança. Godinho Lopes é um homem trabalhador, dizem-no e eu acredito. Mas na auto-reflexão que terá de fazer é averiguar se tem jeito para ser presidente do meu clube. Pode ter muito boa vontade, mas não é um líder e não percebe nada de futebol e isso é um equívoco inultrapassável.

Vamos para o terceiro treinador em ano e meio. Vamos para duas gestões ruinosas na SAD, houve investimento, mas não há resultados. E sobretudo a auto-estima dos adeptos está em baixa. O Sporting é muito grande e muito sentido por milhões de adeptos, que não o gostam de ver fragilizado e sem alma. Precisamos de ambição, de mão forte mas democrática.

O mal do Sporting não são os treinadores, esses, são o elo mais fraco. É a incapacidade de liderança que tem marcado os últimos anos e a falta de visão global de marca e clube. Nós os adeptos estamos sempre com o nosso clube do coração disponíveis para apoiar, mas precisamos de melhores dirigentes. Que pena tenho que o sr. João Rocha já esteja em idade avançada.

Margarida Marante

A entrevista em televisão teve dois rostos femininos: Margarida Marante e Maria Elisa. Nunca fui fâ da segunda, mas gostava da acutilância da primeira.

Gosto de pessoas com um estilo definido, que marquem. Margarida Marante marcou uma época na televisão. É triste depois o seu final de vida em que de alguma maneira se deixou degradar, mas são as contingências da mesma. O que é certo, é que partiu muito cedo. Que descanse em paz.

quinta-feira, 4 de outubro de 2012

Mil milhões de utilizadores no Facebook

Quem não anda no Facebook parece que hoje está fora do mundo real, apesar de ser um mundo virtual. Como um tipo universitário inventou algo que mexe com a vida das pessoas. Não sei se é bom se é mau, depende do gosto de cada um. Eu gosto. Mas a comunicação mudou com o Facebook.

O debate de ontem entre Obama e Romney

Vi, em directo, os primeiros 45 minutos do debate entre Obama e Romney. A generalidade da imprensa e a própria equipa do Presidente, reconhecem a vitória do adversário.

O que posso dizer é simples: este Obama não é o de 2008. Há quatro anos, sentia-se a sua alma e o seu discurso vibrante de mudança. O de 2012 é um homem cansado, sem força vital, um político como os outros, que não cumpriu muitas das suas promessas.

Romney estava preparado. Depois das saudações, avança com um exemplo de uma pessoa com quem falou...no Ohio. O estado chave destas eleições. Depois avançou com determinação o seu plano para a economia, explicou alguns equívocos e martelou em duas teclas: criar empregos e proteger a classe média, algo para o coração dos indecisos.

Romney estava forte, Obama criou a percepção que não era ele que estava ali. Por isso perdeu.

50 anos de James Bond

Sou fanático do agente criado por Ian Fleming. Uma personagem eterna do cinema. Já vi todos os seus filmes várias vezes. É o machismo de Sean Connery, o drama de George Lazemby no Guincho, o humor de Roger Moore, a seriedade de Timothy Dalton, a elegância de Pierce Brosnan e a dureza de Daniel Craig. De tudo um pouco se criou o mito de Bond.

São os genéricos dos filmes, as bandas sonoras inolvidáveis, todas as mulheres fantásticas, os carros, os vilões, os gadgets e as histórias. Se escolhesse alguns, escolheria: «From Russia with love», «Ao serviço de sua Majestade», «Thunderball», «Moonraker», «Casino Royal» e «Never say never again», o Bond que não foi oficial com Connery, Klaus Maria Brandauer, Barbara Carrera (uma das mais explosivas Bond Girls) e Kim Basinger.

Os fâs de Bond esperam sempre o próximo, que traz na realização Sam Mendes, e ainda Javier Bardem. Caro James Bond, muitas felicidades e muitos anos de vida. 

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Vitor Gaspar: um ministro brutal

Falhou em todas as suas medidas, falhou em todas as suas previsões. Fala com a gravidade de quem faz um exame da próstata aos portugueses, mas ainda não reconheceu que falhou. As suas terapias levaram ao estrangulamento de empresários e das famílias, mas nunca apresentou um significativo programa de corte na despesa pública.

É o próprio ministro que classifica como "aumento impressionante", o que vai exigir nos impostos dos portugueses. As pessoas estão decepcionadas, desmotivadas, sem esperança. E os mais descontentes são os que confiaram que este Governo iria ultrapassar o caos deixado pelo anterior.

É tudo brutal, não sei o futuro, mas o presente é negro.

O miúdo que insultou Passos e o outro que brincou com o Sporting

1- Todos temos direito à indignação. Mas não é por se exibirem palavrões que a razão cresce. Passos foi a uma universidade e foi insultado por um aluno. Tal como achei obscena a acção do segurança do Primeiro-Ministro com o miúdo e, especialmente, com o operador de imagem da TVI, também não acho educado nem razoável que se soltem improprérios a torto e a direito. Indignação sim, mas com educação.

2- Outro miúdo fez um criativo vídeo sobre o Sporting que se tornou viral e saltou para os media tradicionais. É fervoroso sportinguista, diz ele, e eu acredito. O humor é uma arma da inteligência e saber rir de nós próprios é uma virtude da razão. O vídeo é engraçado, humorado e brinca, com respeito, com o estado de alma dos sportinguistas. Não tem mal nenhum e com o humor devemos saber ultrapassar os nossos males.

A fraude do BPN custa a todos nós e continua sem responsáveis

Ao ler esta notícia do Público, vemos que a intervenção do Estado sobre o BPN já custou 3405 milhões de euros, mas pode vir a custar 6509 milhões.

Anda um povo a ser estrangulado para tapar o buraco de um banco de vigaristas, onde Cavaco Silva teve mais valias com acções que possuiu. Nunca o Estado devia ter dado cobertura a esta canalha que nos faz agora pagar esta fraude.

E o mais grave de tudo é que só Oliveira e Costa aparece na lista dos responsáveis, apesar de andar ao fresco. É uma vergonha nacional que estimula a revolta dos portugueses que bem gostariam que todos os responsáveis fossem presos e responsabilizados criminal e financeiramente.

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Liderança (depois apliquem ao que quiserem)

Ser líder é ser responsável. É ser responsável máximo de tudo o que acontece de bom e de tudo o que acontece de mau.

Um mau líder é o que está calado quando algo corre mal e tenta passar a responsabilidade para os que estão abaixo de si.

Um bom líder escolhe uma boa equipa, se essa equipa falha ele é o responsável pelas escolhas que fez.

Se em algum sector de actividade encontram empresas, clubes, instituições com um CEO/presidente com este perfil, significa que ele não é um bom líder e não sabe o que é liderança.

Governar para Bruxelas

Basta ler esta notícia do Expresso, para se perceber o que sempre soubemos. Bruxelas tem por cá uma delegação sob a sua responsabilidade. Essa delegação, antes de apresentar qualquer iniciativa, primeiro aguarda aprovação da casa-mãe e só depois é que fala com os portugueses. É assim um Governo em Portugal.

Jornalistas de economia

«Um jornalista de economia é uma espécie de ajudante de vidente»

em "O mar em Casablanca" de Francisco José Viegas

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Valentim Loureiro: o "coronel" Ramiro Bastos de Gondomar

Lia esta notícia do Negócios e lembrava-me como Jorge Amado fez um retrato dos "coroneis" na figura de Ramiro Bastos, agora na SIC o papel de António Fagundes em "Gabriela".

O "coronel" era o que mandava, se preciso a tiro, em tudo na terra. Ficava décadas no poder, anquilosava-se no mesmo e julgava que tudo dependia de si. Claro está, a terra pouco evoluía, porque a figura do "coronel" se sobrepunha a tudo.

O major Valentim Loureiro está assim em Gondomar. Ainda é o "coronel" dessa terra. Julga que põe e dispõe em tudo. É por isso que são importantes os ventos de mudança.

Regresso da Guerra dos Sexos

A Globo descobriu que o filão dos "remakes" está a dar. Depois de "O Astro", "Cabocla" ou "Gabriela, Cravo e Canela", vem aí uma das mais engraçadas novelas dos tempos em que os portugueses só tinham dois canais: "A Guerra dos Sexos". Por cá, estes "remakes" também garantem boas audiências, logo, também deverá andar em breve pela SIC.

A herança pouco "cool" de Bob Marley

Para ler aqui.