terça-feira, 21 de maio de 2013

Leonardo Jardim, Jurgen Klopp e 2012/2013 para não esquecer

Já tenho escrito que gosto de Leonardo Jardim, é um bom treinador, sério e competente. Apesar de apostar numa boa organização defensiva, acaba por marcar bastantes golos. Não sei se fará futebol espectáculo, até porque as omeletes dependem da qualidade dos ovos, mas fico satisfeito pela escolha do leão madeirense.

Com a saída de Jesualdo, ainda muito popular no universo leonino, saliente-se a rapidez e o profissionalismo do processo de escolha e decisão, o que leva a que a próxima temporada seja preparada com calma, tranquilidade e sem precipitações. Agradecemos o trabalho de Jesualdo Ferreira e se perdemos experiência dos seus muitos anos de futebol, com Jardim ganha-se mais paixão e mais ambição. Ao professor digo obrigado, a Jardim desejo muita sorte.

Há pouco tempo li um perfil do Jurgen Klopp, o treinador brincalhão, comunicador, líder, que revolucionou o Borussia de Dortmund, quando o clube com maior assistências na liga alemã se encontrava em baixo. E ele explicava porque o escolheram: «O clube percebeu que precisava de vitalidade e foi à procura de um treinador cheio de vida, que se divertia e que se ria». Jardim está na sua cadeira de sonho e ontem até parece que já riu mais do que em toda a sua vida de treinador anterior.

Mas não podemos esquecer a miserável temporada 2012/2013. É aquela  temporada que todos temos de ter exposta na parede, para nos lembrarmos todos os dias que nunca mais poderá voltar a acontecer tal vergonha. O Sporting investiu o que não podia e a ausência de liderança de Godinho Lopes e a sua incompetência e desconhecimento total de condução de homens e gestão desportiva levou-nos ao abismo.

Vamos ter de nos reerguer dentro das nossas possibilidades, ter orgulho na nossa história, saber a força do Sporting Clube de Portugal, mas sem loucuras e sem disparates. Com dignidade, com honra, mas com os pés assentes na terra. Fazer mais com menos. Escolher melhor e com mais critério.

Como dizia nesse perfil Jurgen Klopp, e é uma lição e um bom lema para o nosso futuro próximo: «Se não tens dinheiro e queres qualidade, tens de ser valente». E o Sporting sempre foi um clube de gente honrada, com alma, com paixão pelo clube e muito valente. Cá estamos.

Sem comentários:

Enviar um comentário