quinta-feira, 22 de agosto de 2013

Deixem o Sporting trabalhar

Este é um texto preventivo para uma época que se espera mais conturbada na casa dos outros do que na nossa. Amanhã deve sair a sentença do caso Bruma e a novela do Verão voltará de novo em força, até porque o Sporting começou bem e convém a outros perturbar a nossa equipa.

Antes da época começar, chamei a atenção para o facto da necessidade de termos os pés bem assentes no chão, começar um novo ciclo, com mais realismo e menos disparates, mais tranquilidade e menos megalomania. O caminho trilhado pela direcção do Sporting foi esse e não houve quaisquer promessas, nem bravatas de patamares miríficos de glória.

A pressão, assim, passa para os outros. Resta-nos trabalhar, em silêncio e bem organizados, sabendo que os primeiros passos no futebol estão a agradar a toda a massa associativa, fruto de uma escolha feliz, que elogiei no momento, a de Leonardo Jardim, que é um treinador metódico, racional, mas que sabe muito bem o que está a fazer.

Por isso, cabe também aos media deixar de andar a morder os calcanhares ao nosso clube e passar a estar vigilante onde andam as mega-negociatas e a confusão que aí vem. Passem a olhar ali para o lado onde um presidente teve meses para resolver um problema grave com Cardozo e não conseguiu resolver, onde há notícias de jogadores que querem o Cardozo de volta e mau ambiente no balneário de Jesus e onde houve um caso Oblak que tentaram abafar. 

Onde uma direcção gasta dezenas de milhões de euros num comboio de sérvios que, ou muito me engano, nunca chegará a lado nenhum. Onde a mesma direcção está preocupada e a ver que a rescisão com o treinador custa 8 milhões e onde hoje já se comenta que se gasta muito dinheiro em jogadores, mas ninguém planeia o futebol e não há organização.

Não têm suficiente para se entreter com Carnide? Quanto ao Sporting, deixem-nos trabalhar.

Sem comentários:

Enviar um comentário