quinta-feira, 5 de dezembro de 2013

A Bola, Record e Jogo - análise da sua estratégia

Uma análise ao que se passa actualmente na imprensa desportiva, a sua postura e as suas estratégias para um futuro próximo.

O Jogo - É um jornal moderado, tenta uma linha de racionalidade com todos os clubes, evitando quezílias. Tem uma direcção actual pouco marcante e o facto evidente disso é que muita gente não sabe quem é o seu director.
Os seus próximos passos serão melhor conhecidos a partir de Janeiro, fruto da entrada de novos accionistas, António Mosquito (angolano) e Luis Montez (muito experiente e inovador na rádio). Mas, apesar do seu centro de vendas ser o Norte, auguro que nos próximos tempos irá, a partir de Lisboa, apostar mais no Sporting, será a sua aposta, será o FCPorto de Lisboa. E não estranhava nada que mudasse a sua direcção e a mudasse para sul.

Record- Na sua história e estratégia, tentou sempre estar mais próximo do Sporting, contrabalançando a influência do Benfica na Bola.
Mudou de direcção há poucos meses, reforçou-se com António Tadeia, uma das pessoas que mais gosto de ler e ouvir falar de futebol (ontem a sua crónica sobre Jesus e Eriksson era notável), precisa de mudar cronistas que não trazem leitores (Pedro Adão e Silva e José António Saraiva) e tem de rever a última página que é espaço perdido. Dou a sugestão construtiva de na última ter um perfil (algo que os jornais fazem pouco e tem muita leitura), uma história de vida, de um dos desportistas em destaque do dia.
Mas para director fez uma escolha polémica, não discuto os seus méritos, mas como leitor tenho o direito de questionar as suas opções. João Querido Manha virou a agulha para a Luz e hoje o Record alinhou com o Benfica. São várias manchetes a puxar pelo "impuxável", a capa de ontem fez-me lembrar o Jornal do Benfica de há uns anos atrás. E a novela da posição do Sporting no campeonato é ridícula. Não sei se vai roubar leitores à Bola, mas arrisca-se a perder muitos leitores do Sporting e no Porto não entra.

A Bola - tem o perfil mais institucional de todos os desportivos, é uma Marca reconhecida e com força no universo da nossa diáspora e é aí que já estão a jogar. Tradicionalmente, sempre esteve perto do Benfica, mas vendo a reviravolta editorial do Record, optaram por namorar o Sporting e tratá-lo bem (magnífica promoção da organização internacional leonina do futsal) com boa informação e promoção, abriram canais com o Porto e vão morder os jornais rivais.
Estão a consolidar a Bola Tv e vão apostar mais nas transmissões de modalidades amadoras e na oferta para Iphone, Ipad e outras plataformas verão em breve como estão muito à frente da concorrência onde também já andam na audiência dos jornais on-line.
É uma estratégia de manter Benfica, conquistar audiências no Sporting e entrar devagar no Porto. Estão a jogar melhor que os adversários e a linha editorial está racional e coerente para esta jogada.

Sem comentários:

Enviar um comentário