quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

O Turismo de Lisboa

O meu amigo Luis Paulo Rodrigues, agora radicado no Brasil, chamou hoje a atenção para o facto do nosso País irmão ter registado apenas 6 milhões de turistas. Hoje, de manhã li que Lisboa teve mais de 10 milhões de dormidas e 600 milhões de receitas para os nossos hotéis.

Já o tinha escrito, bom trabalho do Turismo de Lisboa, cada cêntimo que gasta em marketing e comunicação é bem gasto para bem da nossa economia. No caso do Brasil, os brasileiros vão ter de aprender connosco neste sector.

Rui Moreira a desiludir e será um case-study do vazio

Rui Moreira ganhou o Porto à conta de quatro factores: 1- Ser independente; 2- Notoriedade obtida em programas e com artigos em jornais sobre futebol; 3- Congregar a elite económica e notáveis do Porto; 4- Ser um amigo, e em contraste com Rui Rio, das artes e da cultura. Então vamos à análise:

1- Independente. Rui Moreira andou durante anos a querer ser candidato a qualquer coisa. foi hipótese para CDS e PSD, mas como nunca ninguém o convidou, agora, avançou como independente, aproveitando a onda negativa contra políticos profissionais oriundos de partidos.

2- Ligação ao futebol. Representou o Porto em vários programas televisivos, escrevia na Bola às sextas. Deixou de o fazer e bem. Mas a ligação emocional com os adeptos do clube da cidade estava estabelecida.

3. Os notáveis do Porto. Criou a imagem que reunia a elite e os decisores. Em muito pouco tempo, Daniel Bessa, ex-ministro do PS e seu número 1 na Assembleia Municipal, um trunfo de peso, bateu a porta com estrondo e sem explicar porque o abandonou ainda quando aquecia o lugar.

4. O amigo das artes e da cultura. Vendeu essa imagem, contrastando com Rui Rio que tem orgasmos com números e contabilidade. No Prós e Contras dedicado, há pouco tempo, a ele, em que tinha a única cadeira ao lado de Fátima Campos ferreira, voltou a esboçar que a cultura era uma das suas prioridades. Pois bem, hoje soubemos que não vai haver outra vez feira do livro no Porto. Algo que lamento.

Podem organizar artiguinhos na Sábado para dizer que ele ouve as pessoas, o tempo escreverá com letras certas o que se tornará um case-study de vazio. Vale a aposta?

domingo, 23 de fevereiro de 2014

Congresso do PSD e as suas personagens

Este congresso do PSD, no Coliseu, antevia-se sem grande história. E não teve. Tornou-se a coroação de Pedro Passos Coelho, marcada pela presença de diversas personalidades que lhe deram essa bênção. Desde que as reuniões magnas perderam o seu carácter electivo, perderam também a sua dose dramática e florentina. No entanto, caracterizou-se por alguma diversão e bons discursos.

Pedro Passos Coelho - O Primeiro-Ministro apresentou resultados, proferiu longos discursos, mas não consegue chegar ao coração das pessoas. Louva-se a sua coerência e racionalidade no caminho que traçou, porém, ausente ainda está a palavra do último dia do congresso: esperança. É com ela que se conquista o eleitorado, cansado de tanta penúria. Mas deixou uma grande máxima: "Não somos nós que escolhemos o tempo, é o tempo que nos escolhe a nós".

Pedro Santana Lopes - os grandes tribunos sabem sempre as leis da oratória. Deu o seu lado social, do conhecimento que advém da Santa Casa, deu a dica sobre a saúde e a Justiça, bens que não têm preço, deu também as suas dúvidas no nosso relacionamento com a União Europeia. Gozou com os proto-rivais presidenciais que apareceram a correr no congresso, humanizou a Pedro Passos Coelho ao referir que ele tem consciência social. Saiu aclamado e ovacionado de pé, optando por um discurso de homem de Estado.

Marcelo Rebelo de Sousa - fez um grande discurso. Explorou a faceta em que é especialista nos dias de hoje: um "entertainer", um bobo da côrte. Por isso, divertiu. É um comunicador nato e com isso destroçou António José Seguro. Caiu na ratoeira de falar antes de Santana, depois de ter dito nesse dia que não ia ao congresso e depois falou uma hora, fez política, chamou «irritante» a Passos e saiu também aclamado. foi um elemento chave no folclore deste conclave.

Paulo Rangel - az bons discursos, tem energia e luz próprias, tornou-se personagem fulcral para a comunicação política deste congresso, ao ser apresentado como cabeça-de-lista nas europeias. Terá os holofotes em si nos próximos meses num combate que será diícil.

Sugestões para a semana (2/2014)

Livros

O Assassino do Aqueduto, Anabela Natário, Esfera dos Livros, 295 pág. Uma ex-jornalista com um livro crú e seco, sobre Diogo Alves, o homem que aterrorizou Lisboa no século XIX.

A Guerra de Mourinho, Diego Torres, Lua de Papel, 259 pág. Li-o de uma penada. Escrita acutilante, mas dando sempre carga negativa ao melhor treinador do mundo. Torres oi um dos jornalistas que mais o odiou. Mas o livro é muito interessante de ler.

A Maldição de Dain, Dashiell Hammett, Porto Editora, 256 pág. Literatura policial teve em Hammett um dos seus maiores criadores e inovadores. O livro é de 1929, mas tem todos os ingredientes que os que gostam de policiais apreciam no género.

Cinema

As Voltas da Vida (Trouble with the curve), Robert Lorenz. Uma bela película com Clint Eastwood e Amy Adams. Gira à volta de um descobridor de talentos do baseball, mas é tudo sobre as curvas da vida.

A Vida em Tempo de Guerra, Todd Solondz. A bom preço pode adquirir a continuação de "felicidade", um dos melhores de Hollywood das últimas décadas. Passou despercebido nas salas, agora pode vê-lo em casa.

Séries

Na terça, às 21.35h, estreia no AXN Black, a última temporada de "The Killing", a série dinamarquesa que é uma das melhores europeias de sempre.

Restaurante

Andaluz, ali em Santa Marta, um restaurante de boa comida portuguesa, sempre cheio, com muita qualidade e preços acessíveis.

sábado, 22 de fevereiro de 2014

Passos perguntou: «estamos melhor ou estamos pior?»

Na sua primeira intervenção no Congresso do PSD, Pedro Passos Coelho apresentou uma longa lista de resultados económicos e perguntou em termos de balanço da acção realizada: «estamos melhor ou estamos pior?».

Ricardo Costa com a inteligência e astúcia que se lhe reconhece, no comentário na SIC-Notícias, viu que era uma pergunta que queimava. Pois os resultados são bons, mas se perguntarem o mesmo aos portugueses que ainda não sentiram esses resultados no bolso, a pergunta era capaz de ter resposta negativa.

No início da semana, quando vários desses resultados positivos se tornaram conhecidos e muita gente se alegrou nos media e nas redes sociais, tive a ocasião de perguntar no meu mural o seguinte: «as pessoas que estão alegres com os dados económicos já perguntaram aos vossos pais se também estão alegres?».

Uma coisa é a realidade contabilística dos números, outra é a percepção das pessoas. No Lisbon Summit da revista Economist, Passos Coelho airmou que «a percepção sobre Portugal mudou em termos internacionais». É verdade, mas ainda não chegou ao coração das pessoas.

sexta-feira, 21 de fevereiro de 2014

O Congresso do PSD

A política portuguesa já teve o seu epicentro em congressos do PSD. Também, noutros tempos, as audiências televisivas eram boas. Desde Sá Carneiro, o partido tem uma vertente trágica, de dramas, de maquinações, de personagens marcadas, que acentuam o seu lado espectacular e de entretenimento.

Mas este vai ser um congresso vazio de emoção. Terá uma série de discursos tecnocratas, será importante na revitalização de Pedro Passos Coelho enquanto líder do PSD. Vão ouvir-se milhares de minutos com os bons indicadores económicos, mas também que é necessário criar mais esperança nas pessoas.

Este é um congresso sem vocação dramática. Servirá apenas para marcar ponto, não terá história como outros tiveram.

quarta-feira, 19 de fevereiro de 2014

Coca-Cola em cápsulas

Numa das suas últimas edições, a revista brasileira Veja trazia duas páginas sobre como a Coca Cola, uma das marcas mais reconhecidas no mundo, se continua a conseguir reinventar.

Criada em 1886 pelo americano John Pemberton, era vendida em copo e criada numa "drugstore" de Atlanta. Só depois de invadir outras cidades americanas, começou a ser produzida em massa e passou para o vidro.

Nos tempos modernos evoluiu, apostou na sua comunicação e marketing, e cresceu mundialmente. Há pouco tempo a companhia comprou 10% da Green Mountain. O objectivo é que a Coca Cola tenha novo know-how e entre no negócio das cápsulas para que em casa o consumidor possa ter a sua bebida à sua maneira.

Essa ainda maior proximidade com o consumidor semeia toda a mudança nos hábitos actuais. E torna a experiência ainda mais pessoal. Marcas modernas para tempos modernos.

terça-feira, 18 de fevereiro de 2014

A percepção é mais importante que a realidade

Pedro Passos Coelho hoje no Lisbon Summit da Economist disse, pode ler aqui,  que a «percepção dos media sobre Portugal mudou». É verdade e a prova de que a percepção é muito mais importante que a realidade.

segunda-feira, 17 de fevereiro de 2014

A construção de uma marca

«A construção de uma marca passa pelas sucessivas e diversas interacções que ela tem com o seu público alvo. Cada experiência do utilizador com a marca contribui para colocar um pouco de argamassa na sua percepção».

Conrado Adolpho, «Os 8Ps do marketing digital»

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

As tostas de Maradona

Para mim Maradona é o melhor jogador da história do futebol e para lá dos campos é um ícone mundial e uma figura desassombrada que diz o que lhe apetece.

Para quem já foi a Nápoles, como eu já fui, sabe-se que ali ele é Deus. Basta sair do comboio e estão logo presentes postais, bandeiras, posters dele com as cores azuis da equipa da cidade. Há um altar com cabelos de Maradona. É um fenómeno de adoração justo, pois foram os melhores anos de sempre daquela equipa, quando ele envergava a camisa 10.

Maradona foi agora a Itália por motivos fiscais. Mas aproveitou para ir ver o Nápoles-Roma, para as meias-finais da Taça de Itália. Entrou ao intervalo e todo o estádio cantou o seu nome. Depois do jogo, na autoestrada para Roma, foi perseguido por adeptos. Em vez de se mostrar enfadado, ou fugir ao seu contacto, parou na estação de serviço, levou os adeptos com ele, entrou e disse: «tostas para todos». Um astro ainda se torna mais divino quando convive com os adeptos que o adoram. Grande Diego Armando Maradona.

A propaganda para o marketing político

«A propaganda está para o marketing político como a publicidade está para o marketing comercial. Ambas são actividades de persuasão».

Edson Athayde, «A publicidade segundo o meu tio Olavo», Chiado Editora

quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Cristiano Ronaldo há dez anos que não muda numa coisa

Ontem postei sobre a ligação da Jaguar a José Mourinho, mostrando como as marcas ganham ao associar-se a personalidades com notoriedade e boa reputação. Nesse post, falava também do casamento Cristiano Ronaldo/BES que tem sido também positivo.

Mal sabia que, hoje, Cristiano Ronaldo faz dez anos dessa sua ligação com o banco e o BES decidiu fazer este vídeo curto mas eficaz sobre a ligação ao melhor jogador do mundo.

quarta-feira, 12 de fevereiro de 2014

O novo carro de José Mourinho

É uma táctica de marketing, habitual nos dias de hoje, uma marca aliar-se a uma figura de prestígio e com notoriedade forte. As marcas mais poderosas procuram as grandes estrelas para uma associação que traga essa notoriedade e reputação.

Em Portugal temos dois grandes embaixadores reconhecidos em todo o mundo: Cristiano Ronaldo e José Mourinho. No primeiro caso, associamos logo ao BES que a seu tempo soube cativar o melhor jogador do mundo para diversas campanhas realizadas em Portugal e Espanha.

No caso do melhor treinador do mundo a sua ligação a um banco julgo que terminou, mas nesta notícia, que pode ler aqui, constata-se que a Jaguar uma marca de luxo mundial e forte na Grã-Bretanha nem hesitou em dar o primeiro modelo do seu novo carro desportivo a José Mourinho.

A associação das grandes marcas às grandes estrelas compensa.

A importância dos pormenores

«O pormenor certo vale milhões. Quem tem o detalhe, tem tudo»

Edson Athayde, «A publicidade segundo o tio Olavo», Chiado Editora

terça-feira, 11 de fevereiro de 2014

O objectivo central da comunicação e relações públicas

«O objectivo central das RP é criar e desenvolver palcos (mediáticos ou não), isto é, locais, momentos, conceitos, oportunidades que nos ajudem a transformar a ignorância em conhecimento, a apatia em interesse, o preconceito em aceitação, a hostilidade em compreensão»

Luis Paixão Martins, no prefácio de «A Queda da Publicidade e a Ascensão das Relações Públicas» de Al Ries e Laura Ries

segunda-feira, 10 de fevereiro de 2014

Rock in Rio: muito mais que um espectáculo de música

Neste sábado, o "Dinheiro Vivo" trazia uma conversa com a Roberta Medina. Ali, ela dizia: «O Rock in Rio é um projecto de comunicação, é feito por e para marcas». E é verdade.

As pessoas que lá vão movem-se pela música, são muitos milhares, mas em volta da arena estão as marcas, as empresas que o patrocinam. Os consumidores do Rock in Rio vivem uma experiência que são as marcas que têm de aproveitar. Daí a sua presença publicitária, o desejo de contacto com esses fãs da música.

Cada dia de concerto equivale ao contacto com uma tribo. Os Medina trazem as estrelas, mas são as marcas que têm de fazer as suas activações e a sua comunicação. É delas o evento.

sexta-feira, 7 de fevereiro de 2014

Como combater a mentira

- Eli Gold: «Sabes como se combate a mentira?»
- Peter Florrick: «Com a verdade»
- Eli Gold: «Não, com uma mentira ainda maior»

Em "The Good Wife"

quinta-feira, 6 de fevereiro de 2014

Saramago o escritor e o dos saneamentos políticos

Há menos de uma semana, Woody Allen teve uma filha adoptiva a expor no New Yok Times que o realizador a molestava sexualmente. Daí o debate se a sua obra seria beliscada pela sua vivência pessoal. A sua reputação ficou afectada, a sua obra que é indelével ao tempo não.

José Saramago é um Nobel da literatura portuguesa. A sua obra é conhecida por milhões de leitores. Há quem seja grande fã, outros não gostam, mas a sua importância é inegável. Hoje, uma polémica sobre um livro que retrata os saneamentos políticos que levou a cabo quando esteve no Diário de Notícias e que danificam a sua imagem..

Pode a obra de um homem ser questionada pelas suas más atitudes pessoais? É uma reflexão que fica ao cuidado de cada um.

quarta-feira, 5 de fevereiro de 2014

A Golpada Americana

Fui ver o filme que tem muitas nomeações para os Óscares. É um filme giro, que retrata uma época, os anos 70, aliás, é esse o seu forte. É um bom entretenimento, mas não é um grande filme, até a sua trama, "o golpe", é fraca.

O realizador, David O. Russel está a tornar-se um bom criador de personagens e dá bons papeis aos seus actores, como fez em "Guia para um Final Feliz", mas é mediano. Por isso, o que se destaca do filme é o trabalho de três geniais actores; Christian Bale, Amy Adams e Jennifer Lawrence e o crescimento de Bradley Cooper.

Quando quiserem ver uma golpada de qualidade, espreitem "A Golpada" ("The Sting). Um filme de George Roy Hill, com Paul Newman e Robert Redford, que ganhou Óscar de melhor filme e melhor realizador na época. Quando o virem, perceberão que a indústria de Hollywood perdeu qualidade e se tornou mediana.

terça-feira, 4 de fevereiro de 2014

A colecção Miró e os amanuenses do Governo

Os portugueses pagaram todos a corrupção e a má gestão do BPN. No meio dos activos tóxicos, para os quais a Miss Swap ainda ontem meteu mais 100 milhões do nosso bolso, estavam 85 pérolas, uma colecção de obras de Miró.

No sábado, vários especialistas em arte desaconselhavam, no Expresso, a venda das mesmas. Como é óbvio, ter 85 obras de Miró dava para fazer um museu que seria mais um foco de atractividade em Portugal, mas os amanuenses do Governo, os catedráticos em Excel, mas incultos, decidiram o contrário.

Este caso foi despertado pelas redes sociais, os jornais seguiram, no caso o Público, e depois entrou na arena política. Mas isto não é um caso político, é um caso de insensibilidade, de desconhecimento, de falta de mundo de quem nos governa. É um crime de lesa Pátria.

A palestra de Mourinho contra o City ou a arte de um líder

«Eu não falei antes do jogo, foi o Billy, o massagista, quem deu a palestra à equipa. Ele gritava no seu forte sotaque escocês -  'grrr, grrr, grrr' -, que não consegui perceber nada. Estou a falar a sério! Mas os jogadores batiam palmas. Era palestra do Billy e ele foi fantástico. Não percebi nada, mas parece que o jogadores perceberam. A última vez que falei com os jogadores foi a meio do dia».

José Mourinho, depois de ter dado um banho táctico contra o Manchester City e ter ganho.

segunda-feira, 3 de fevereiro de 2014

A conversa e o sorriso para vender

«A retórica é a base da persuasão. Como me disse um amigo de origem libanesa: "se não tem uma boa conversa e um belo sorriso escusa de tentar ser vendedor"»

Edson Athayde, "A publicidade segundo o meu Tio Olavo», Chiado Editora

domingo, 2 de fevereiro de 2014

Sugestões para a semana (1-2014)

Livros

Mistérios, Knut Hamsun, Cavalo de Ferro, 294 páginas. Um dos maiores escritores, norueguês que venceu o Nobel num dos seus melhores livros a não perder. Uma personagem misteriosa, Johan Nagel que chega a uma aldeia e desperta o seu lado mais negro.

Mão Morta - Um Crime em Calcutá Paul Theroux, Quetzal, 358 páginas, Um dos maiores escritores de viagens com um personagem que tem a mão morta para criar um novo livro e que descobre a musa que lhe faltava.

A Publicidade segundo o meu Tio Olavo, Edson Athayde, Chiado Editora, 250 páginas. A reedição de um dos clássicos da publicidade em Portugal escrita por um amigo meu, o Edson.

Cinema

Na televisão
A não perder hoje e amanhã todos os filmes de João César Monteiro no TVC2
"Não", de Pablo Larrain, um dos melhores filmes do ano passado com a história do publicitário e da campanha que ajudou a derrubar a ditadura de Pinochet. Passa,no TVC2 na 4a às 20h
"Reality", de Matteo Garrone. O realizador que levou ao cinema "Gomorra" neste filme que conta a história de um napolitano que concorre ao Big Brother e tem a sua vida real transtornada.

A comprar a bom preço na FNAC
"O Fugitivo", de John Ford. Realizador dos maiores da história do cinema e que não tem filmes maus, baseia a sua história num romance de Graham Green e com Henry Fonda no papel principal.
"Mildred Pierce", de Michael Curtiz. Um dos maiores papeis na carreira de uma das grandes actrizes de Hollywood, Joan Crawford.

Séries

Estreia hoje no TVSéries a série que é o maior sucesso nos EUA, "True Detective", com Woody harrelson e Matthew McConaughey
Treme a 4a temporada e a reconstrução de New Orleans ao som da música. Série de David Simon, criador de The Wire
O regresso de Walking Dead na Fox amanhã
E no sábado o Sundance Channel repõe os 4 episódios de "Secret State" às 9.30 da manhã, com Gabriel Byrne no papel de PM britãnico.

Documentários

Os Jogos de Putin, no ARTE, 5a feira às 7.55h. Prestes a arrancar os Jogos Olímpicos de Inverno em Sotchi, aqui se verá como Putin gastou milhões para mostrar o seu poder ao mundo.
Na 3a, às 19.50h, no ARTE "Des armes pour le monde", sobre o negócio de tráfico de armas.

Restaurante

Bom e barato para comer um bom bife, o Café Império na Alameda é uma boa recomendação.

Assim nasceram os Simpsons

Para ver aqui como nasceu a série conhecida de todos.