segunda-feira, 13 de junho de 2016

Sugestões para a semana

Livros

"Chega de Saudade", Ruy Castro, Tinta da China, 492 páginas. Um dos livros que leio neste momento, uma edição recente e magnífica. Ruy Castro tem inúmeras obras de eleição sobre a sociedade e personalidades brasileiras. Aqui é a origem da Bossa Nova, um livro riquíssimo recheado de grandes figuras: Vinícius, Jobim, João Gilberto, Nara Leão, Ronaldo Boscoli, Roberto Menescal, Carlinhos Lyra. Uma delícia de construção, tão sonora e elegante como a música que estes génios criaram. Imperdível.

"Augusto", Adrian Goldsworthy, Esfera dos Livros, 582 pág. Para quem gosta de história este é um dos livros a não perder, É História mesmo, não é ficção histórica, pois o autor é um especialista. Não é tão bom como os seus outros dos quais já dei nota, "Júlio César" e "Generais Romanos", mas Augusto é uma personalidade fascinante, ele é que consolidou o império romano na companhia da sua mulher, a maquiavélica Lívia, e por isso são as bases da nossa civilização que inundam este livro.

"A Amiga Genial", Elena ferrante, Relógio d`Água, 264 pág. Este é apenas o primeiro volume que dá o nome a esta tetralogia de Nápoles a qual já li na íntegra. Já tinha recomendado e tirado frases para as redes sociais, é uma obra fabulosa de quem domina todas as técnicas do romance. É fascinante acompanhar a vida de Elena e Lila e toda uma galeria de personagens que se entrelaçam connosco,

Cinema

Dos mestres do cinema russo, no Nimas, esta semana dois filmes inéditos nas salas portuguesas: "O Tio Vânia" e "Siberíada", ambos de Andrei Konchalovsky. Mas de todo o ciclo que tem passado desde Abril, e que praticamente já vi todo, deixo-vos os que considero indispensáveis: para lá de todos os Eiseistein, vejam mesmo o "Ivan, o Terrível" nesta cópia restaurada que é genial, recomendo "O Homem da Câmara de filmar", de dzigo Vertov; "A Casa na Praça Trubnaia", de Boris Barnet, e dois que nunca tinham passado em Portugal: "Asas" e "Ascensão" de Larisa Shepitko
Na Cinemateca, esta semana recomendo o ciclo de Orson Welles e na continuação da mostra da  obra de Vincente Minnelli, "Lust for Life"  (A Vida Apaixonada de Van Gogh) e sobretudo "Cobweb" (Paixões sem freio). E Minnelli, passada toda a sua carreira inicial ligada a musicais, tem filmes geniais dos quais destaco três que vi neste ciclo: "The Clock" (um dos mais belos da história do cinema), "Undercurrent" e "Madame Bovary" com uma das mulheres mais belas de Hollywood, Jennifer Jones, num papel magistral.

Séries

Esta é uma altura em que os principais canais se resguardam para a rentrée e assim as estreias são poucas. Por isso destaco, no Netflix, "Bloodline"(1ª e 2ª temporada), uma séria nota 5, como uma série deve ser, de guião, de personagens marcantes e, neste caso, com grandes actores. Ali verão Sissy Spacek, Sam Shepard, Kyle Chandler (formidável) e depois, na 1ª temporada, Ben Mendelson com um papel que é uma das personagens mais mal formadas que já vi. Mau, sem escrúpulos, marcante; e a quarta temporada de "Orange is the New Black" que se estreia esta semana e as anteriores são sensacionais.

Documentários

George Martin, o produtor dos Beatles diz: «Um produtor tem de ter tacto e saber lidar com um artista». No Odisseia, às quartas, Soundbreaking. Sobre música, mas sobretudo com os produtores que marcaram a história da música em diferentes áreas; Quincy Jones, George Martin, Jay-Z, Phil Spector, tantos outros.
No Netflix há uma série que é quase documentário e hei-de escrever mais detalhadamente sobre ela pois adorei a 1ª temporada. Chama-se "Chef`s Table". Mas é muito mais do que uma série sobre gastronomia, uma realização perfeita e atractiva, vários pontos do mundo com imagens maravilhosas. A ver.

Restaurante

Eu gosto muito da Camponesa em Santa Catarina. Excelente cozinha, quanto a vinhos deixem o dono recomendar e o ambiente é excelente. Não é barato, mas não é nenhum assalto ás carteiras e é bem ali no meio de tudo.

Sem comentários:

Publicar um comentário