quarta-feira, 7 de maio de 2014

A narrativa da saída limpa

O Governo tem direito a construir a sua narrativa de sucesso. Estipulou um rumo, teve pouco jogo de cintura que podia ter dado sinais dele umas vezes, e nunca abdicou dele, lançou antes o DEO e depois apresentou a saída limpa como uma grande vitória.

Enquanto narrativa e retórica para os mercados até pode ser eficaz. Mas há uma coisa que já salientei e que é muito mais importante: governar, fazer política, deve visar a melhoria da vida das pessoas. Não sei se as pessoas percebem bem o que é isto de saídas limpas, cautelares e afins. Sei apenas que percebem duas coisas: não querem ser violentadas a torto e a direito com impostos para tudo e querem mais dinheiro nos bolsos. Quando estes dois itens forem alcançados, que se celebre a narrativa.

Sem comentários:

Publicar um comentário