quinta-feira, 27 de dezembro de 2012

Canal Parlamento em sinal aberto

Como é natural, os deputados ufanam-se da abertura e transparência com a sociedade com o arranque deste canal, mas o que era preciso era saber se a sociedade está interessada neles. Como não está, as audiências serão próximas do zero.

quarta-feira, 26 de dezembro de 2012

O caso do burlão da ONU

Várias notas sobre o caso de um cavalheiro que se passava por homem da ONU:

- Portugal é um País de vigaristas encartados.

- As redacções são mais curtas, há o mesmo trabalho e menos jornalistas, e menos disponibilidade para confirmarem factos.

- Redacções são mais jovens, faltam muitos cabelos brancos para dar experiência

- Facilitismo dos media com pessoas que se dizem de reputação internacional.

- O Nicolau Santos não merecia ter sido enganado.

- Felizmente o burlão não estava assessorado por nenhuma agência de comunicação.

- Como é hábito, este burlão tinha de ter relação com o meu clube.

segunda-feira, 24 de dezembro de 2012

Feliz Natal para todos os leitores do meu blog

Para todos os que me acompanham um Feliz Natal para vocês e respectivas famílias. Que seja um momento de paz e de tranquilidade num ano que passou muito difícil pelas contingências da crise.

domingo, 23 de dezembro de 2012

António Cunha Vaz deixa o Sporting

É hoje notícia em vários jornais a saída da Cunha Vaz & Associados do Sporting. A agência de comunicação foi quem sempre acompanhou Godinho Lopes desde as eleições até agora. Nas eleições fez um bom trabalho, tornando um candidato que numa primeira sondagem privada tinha cinco por cento em potencial ganhador, como veio a acontecer.

O António é sportinguista e teve na campanha e nesta última fase a acompanhar Godinho Lopes outro grande sportinguista, o Miguel Morgado, que é um dos meus melhores amigos e meu afilhado de casamento, que é um profissional respeitado pelos jornalistas que acompanham o nosso clube.

Sei eu que o António Cunha Vaz já ponderava há vários meses abandonar o clube, agora deixa-o por livre iniciativa e tem razões para isso. Não é que não o faça com mágoa, pois por ser sportinguista gostaria de continuar a ajudar no que pudesse, mas é muito difícil trabalhar com este presidente.Dois motivos aponto eu para a sua saída:

1- Há pouco tempo conquistou a comunicação da Federação Portuguesa de Futebol e é quase incompatível estar num clube que pode atacar a FPF e ser um outro profissional seu a defender o lado da FPF. E sendo a FPF uma estrutura sólida e estável, e com potencial de boa comunicação, opta por estar com Fernando Gomes.

2- De algum tempo a esta parte a Cunha Vaz & Associados era atacada por diversas desastrosas intervenções de Godinho Lopes na esfera comunicacional, algo a que a agência era totalmente alheia de responsabilidades. Darei vários exemplos para se perceber melhor:
-Lembram-se das declarações de GL ao Record sobre o facto de Vieira não o ter atendido? Pois bem, foi GL sem consultar ninguém que ligou para o António Magalhães a dizer aqueles disparates.
-Esta quinta-feira mais dois disparates comunicacionais no próprio dia: a capa do Jornal do Sporting, miserável, a fazer lembrar a Última Ceia; e a intervenção do presidente no jantar dos Stromp a comparar-se a um «toureiro». Dois erros a que a agência de comunicação é totalmente alheia.

Como todos sabemos, para lá da evidente falta de liderança e da errância das suas decisões estratégicas, Godinho Lopes é um péssimo comunicador. A Cunha Vaz podia, e tentou, melhorá-lo, mas ele não tem jeito e em ano e meio evoluiu muito pouco em termos comunicacionais. Não sei o que se seguirá, mas o Sporting está débil na comunicação, está sem força e sem influência. Um pouco à imagem do actual estado do Sporting em termos gerais.

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

Figura de comunicação de 2012: os consultores de comunicação

Este ano não houve, no meu entender, figuras que se destacassem. O mercado está em retracção, não houve muitas conquistas, as intervenções também não foram muitas.

Numa altura em que as empresas de Conselho em Comunicação se adaptam aos novos tempos de crise e algumas têm sobrevivido com muitas dificuldades, escolho como figuras do ano da comunicação todos os anónimos que trabalham diariamente no meu sector.

Continuam a trabalhar diariamente com o maior dos profissionalismos em diferentes áreas, mas sabem que enquanto as empresas que às agências recorrem vão diminuindo o seu investimento, cortando ou reduzindo os seus "fees", o grau de exigência não diminui.

Quando a economia de um país entra em crise, onde as empresas primeiro cortam, estupidamente, é nas áreas de comunicação, publicidade e marketing. É um erro crasso de gestores que não percebem que a comunicação, a boa, é fundamental para reforçar e potenciar as suas marcas. Aliás, há ainda um grande trabalho a desenvolver pelo sector na consolidação e valorização do nosso trabalho.

Os consultores de comunicação no planeamento que elaboram, na gestão de crises, na assessoria mediática que desenvolvem são essenciais no trabalho de uma agência. Sabemos que muitas vezes quando há uma empresa de comunicação contratada, isso advém da credibilidade da mesma ou muitas vezes na confiança na pessoa que lidera e que dá visibilidade a essa empresa de Conselho em Comunicação.

Mas são os consultores anónimos que, todos os dias, fazem rolar o trabalho. O líder, o CEO, é um  embaixador, um relações públicas, que depende muito do bom trabalho realizado pelas suas equipas´.

É para estes anónimos trabalhadores, que nunca sabem muitas vezes o dia de amanhã, pois temos uma profissão muito parecida com um treinador de futebol, em que deparamos com oscilações de humor dos clientes e com oscilações de resultados que não dependem só de nós que deixo esta homenagem.

Que mantenham o bom trabalho em 2013, pois um sector forte de Conselho em Comunicação só se faz com o competente trabalho diário dos consultores de comunicação.

Empresa portuguesa tem responsabilidade social no Brasil

A VILT é uma empresa fundada por três portugueses que tem tido uma internacionalização com clientes de referência muito importantes. Opera na área das TI, onde é conhecida pela sua inovação, qualidade e versatilidade.

Tem 10 anos de existência, está há 5 anos em Espanha e entrou no Brasil. Por ali já conquistou clientes fortes e terá, por certo, sucesso. Hoje em dia é fundamental para as empresas agirem e tornarem-se parceiras da comunidade onde estão, chama-se a isto responsabilidade social

Depois de abrir escritório em São Paulo no início deste ano de 2012 - e com a consciência social característica da VILT desde a sua fundação - a VILT encetou colaboração com o Instituto Cândido, entidade reconhecida pelo excelente trabalho de desenvolvimento social que realiza no Brasil.

Durante o ano de 2013 a VILT apoiará o projeto "Oficina de Hardware" que permitirá a jovens desfavorecidos entre os 13 e os 18 anos desenvolverem capacidades no domínio da manutenção de equipamentos de informática, podendo este ser o primeiro passo para o futuro profissional destes jovens. 


É de louvar que, mesmo noutros países, empresas portuguesas tenham esta capacidade de se unir a causas sociais.

quinta-feira, 20 de dezembro de 2012

A trapalhada do Instagram

Muitos aderiram maciçamente e sem restrições, depois veio a surpresa. Aqui fica um texto que recomendo sobre esta mega confusão.

quarta-feira, 19 de dezembro de 2012

Obama é personalidade do ano da Time

Foi reeleito presidente dos EUA é um facto importante, mas também já ganhou um Nobel da Paz e poucos perceberam porquê, tal como aconteceu este ano com a União Europeia. Agora ganha mais uma distinção da Time. Deve ser um estímulo, mas um sinal que o mundo está fraco de personalidades marcantes e de grandes líderes.

O meu dream team de comunicação de 2012

Este ano faço uma variável vou escolher por sector os consultores que trabalham em agências de comunicação e depois falo de outros e menciono jornalistas do sector e blogs

Banca- Telmo Carrapa (Cunha Vaz) e Sandra Silva LPM)

Saúde- Renata Pinto (GCI)

Institucional- Alexandre Guerra (Special One) José Pedro Abrantes (Cunha Vaz)

Lazer e Turismo- Carla Bulhões (LPM) Monica Mendes Coelho (Parceiros de Comunicação)

Produto- Inês Saraiva (Lift)

Desporto- João Malha (Cunha Vaz) e Gonçalo Santos (LPM)

Consumo- Sónia Dias (GCI)

Assessoria de Imprensa- Inês Santos (PressDirecto) João Reis (Lift)

Tecnologia- Rui Silva (Porter Novelli)

Projectos especiais e Marketing- Joana Machado (LPM) Maria Luis (B-Marketing)

Fora de Agência de Comunicação- Paulo Campos Costa (EDP) Joana Mil Homens (FOX) Francisca van Zeller (Bacalhôa) Vanessa Correia Marques (MCDonald`s) Sónia Marques (Adidas) João Camolas (CML)

Blogs- os mais activos para lá do meu, recomendo o Comunicação Integrada e o PiaR

Jornalistas da área- o melhor continua a ser o Rui Oliveira Marques (Meios&Publicidade) e a Ana Marcela está em boa forma (Dinheiro Vivo)

Muitos outros consultores fazem bom trabalho, a minha homenagem a eles, estes são os que conheço melhor. Feliz Natal e bom 2013 para todos.

Figuras de cera em Belém: o pior video de Natal do ano é do casal Cavaco

É ridículo o video de Natal do casal Cavaco Silva. É ver por aqui e rir.

«Amar a TAP muito mais»

Diz por aqui o cavalheiro que quer comprar a TAP que vamos «amar a TAP muito mais». Não sei se sim e a priori não me parece. É a nossa companhia de bandeira, uma boa companhia internacional e uma marca que continua muito interessante. Vender a TAP a um papa nacionalidades, tem umas 3 ou 4 segundo parece, não vai dizer nada a ninguém.

terça-feira, 18 de dezembro de 2012

Jogadores do Sporting que vão trabalhar para as minas

O meu "statement" para mais um empate do Sporting, aqui fica. Vercauteren disse que «os jogadores precisam de férias». Como eu já disse no meu mural no facebook: Férias? precisavam era de uma semana com gente trabalhadora e humilde como os mineiros. Que fossem para lá uma semana para verem o que é trabalhar com salários miseráveis.

Scorsese realiza documentário sobre Bill Clinton

Por sugestão do Eduardo Cintra Torres deparei com esta notícia do Guardian. Martin Scorsese vai produzir e realizar um documentário, para a HBO, sobre Bill Clinton.

Martin Scorsese é um génio do cinema, tem amor pela 7ª arte e já produziu documentários fantásticos como o dos Rolling Stones, ou meteu o seu dedo em documentários sobre o cinema americano e italiano.

Bill Clinton foi um grande presidente que ficou manchado por uma "mancha" num vestido azul. Mas continua a ser um dos mais populares presidentes americanos, com uma notável ligação com as pessoas e com uma oratória ao nível de Cícero ou Demóstenes, os maiores oradores da antiguidade.

Já uma vez contei que tive a possibilidade de o ver ao vivo, em Portugal, numa conferência exclusiva no Pestana Palace e é de facto um personagem electrizante. Juntando Scorsese, a máquina criativa da HBO e o trajecto de um grande político, será, quase de certeza, um documentário indispensável.

A política portuguesa é "engraçada"

Li pela fresca que na questão das pensões Cavaco Silva vai perder 5 mil euros/mês. Agora li esta notícia e vejo que Cavaco ainda estuda o Orçamento e não fala sobre pensões. Como lhe vão ao bolso, agora faz "mind games" com o Governo. A esfinge de Belém tem muita piada...

segunda-feira, 17 de dezembro de 2012

«A felicidade conjugal...

«A felicidade conjugal é extremamente difícil. Mas, quando existe, é extraconjugal»

Millôr Fernandes

A entrevista de Godinho Lopes e Jesualdo

Volto a referir para não haver dúvidas: não tenho nada contra Godinho Lopes, sempre foi educado comigo e eu com ele, agora o actual presidente pode ser um bom empresário, mas não tem jeito para ser presidente do Sporting.

A entrevista de ontem à RTP-Informação foi um erro, continuou a exibir as suas fragilidades de liderança, mostrou ser mais uma vez especialista em "flic-flacs", um débil comunicador. Ontem, no meu mural no facebook comentei desta maneira: «o presidente é fraco, o rui oliveira e costa é ridículo. É uma imagem deplorável que o Sporting ostenta nos dias de hoje. É um erro total esta entrevista, o discurso é miserável e "ilusionista"». Neste post vou destapar mais essas fragilidades, comentando o que Godinho Lopes disse, seguindo-se de umas breves palavras sobre Jesualdo Ferreira.

. «Jesualdo será treinador de todos os treinadores». GL não pode dizer isto, nenhum manager ou director desportivo no mundo é treinador de treinadores. Se Vercauteren compreendesse português, apresentaria logo a demissão pois quem é o treinador é ele. Assim, cheira-me que até ao fim de Janeiro, teremos Jesualdo no banco.

. «Estamos a 6 pontos da Europa». Pois sim, e estamos a menos de descer de divisão na pior época de sempre. E mais grave: Godinho e Vercauteren estabeleceram como objectivo a Liga dos Campeões como todos bem ouvimos. Agora GL baixa as expectativas para objectivos que habitualmente têm o Marítimo ou o Vitória de Guimarães. Este presidente não compreende a grandeza do Sporting e contribui para a bipolarização artificial que os media estão a construir, com o apagamento da nossa força e história.

. «Presidente da Liga não me respondeu». Já sabíamos que Vieira não lhe tinha respondido e agora sabemos que o presidente da Liga não responde ao melhor e maior clube português. Se GL fosse um líder temiam-no. Mas como não é, nem lhe passam cartão. isto é aceitável num presidente do Sporting? Não, não é, meus amigos.

. «O Sporting precisa de 5 milhões por mês». Desculpem mas há coisas que não se dizem. Foi pungente a exibição da fragilidade financeira do clube e reconheceu que nenhum investidor mete dinheiro «num manicómio». Mas quem é o presidente do manicómio? Ainda julgo que é ele. E não respondeu à pergunta do aumento do passivo acima de 100 milhões que o jornalista fez, citando Pedro Baltazar. Se a gestão desportiva é medíocre, a financeira não lhe fica atrás.

. «Prefiro falar do futuro». Não vislumbrei futuro nenhum e percebemos que o passado é incómodo para ele. Mas é no passado que está evidente a errãncia da sua presidência, com a saída dos seus trunfos eleitorais da direcção e do futebol e nas mudanças sucessivas no dito projecto.

. «Investimento foi fase de transição até se integrarem os jogadores da B». Portanto, gastámos 50 milhões de euros em jogadores para uma fase de transição? Quem é o responsável pela aquisição dos jogadores? Quem é o presidente da SAD?

. «Cem médicos com opinião». Podia ter escolhido outra profissão para não melindrar Eduardo Barroso. O problema de GL é que dos 100 médicos só ernesto Ferreira da Silva e o ridículo Rui Oliveira e Costa dizem bem dele. Há 98 líderes de opinião que dizem mal dele e da sua presidência. Essses já perceberam que GL conseguiu com a sua má presidência, a UNIÃO de que tanto fala dos sportinguistas contra ele.

Sobre Jesualdo Ferreira: não sei se é competente para manager. Sabe de futebol, tem o cheiro da relva, mas é um treinador de campo. Alguns elogiam a escolha, por sinal os que não são sportinguistas aplaudem, mas o universo da massa adepta do clube não gosta de Jesualdo Ferreira. E basta ler a entrevista dele, hoje, ao Jogo, para se perceber que vem para mandar e fazer o que lhe apetece. Quase me apetece dizer de antemão que não vai ficar muito tempo em Alvalade.

Por isso, termino, já vai longo, que não vislumbro nada de bom em mais esta mudança de Godinho Lopes. E cresce-me o sentimento que ele perdeu a noção do ridículo. O problema do Sporting, como ficou bem patenteado na entrevista, é Godinho Lopes.  Só ele o pode resolver. Saindo.

Devassa, a nova cerveja da Playboy

Achei piada a esta notícia da Briefing. A associação da Playboy a uma cerveja, a silhueta pretendida e a experiência de comunicação de quem bebe, com a garrafa e a lata que representarão pelas curvas e pelo alto relevo uma "pin-up". Inovar e dar prazer a quem bebe, devia ser o slogan.

domingo, 16 de dezembro de 2012

Sugestões para a semana (3)

Livros

"Peito Grande, Ancas Largas", Mo Yan, Ulisseia, 602 páginas. Do Prémio Nobel da Literatura deste ano, o romance que me acompanha agora, que foi um livro choque na China quando foi publicado e que retrata a história daquele país do fim da dinastia Qing até aos tempos de Deng Xiao Ping. Todo o livro é baseado nas mulheres.

"O Estratega", Cynthia A. Montgomery, Harvard Business School, 205 pág. Para livro mais técnico esta semana, escolho este livro simples que reúne estratégia e liderança para CEO`s. A autora dirigiu o departamento de estratégia e sabe bem o que diz. Muito interessante.

"Um Homem Inquieto", Henning Mankell, Presença, 476 pág. Apesar de todo o furor da trilogia mais lida de sempre do campo dos policiais ser a de Stieg Larsson, para mim é Hening Mankell o maior expoente da literatura policial nórdica. O seu inspector Kurt Wallander é magnífico e a prosa e a intriga são sempre escorreitas e aliciantes.

Cinema

Caixa de Andrei Tarkovski, que engloba os geniais "Stalker" e Solaris" e o belíssimo "O Espelho". Um dos grandes realizadores da história do cinema, complexo, mas magistral. Recomendo para quem é cinéfilo e não apenas uma pessoa que gosta de ver uns filmes acompanhados de pipocas

"O Inquilino", de Roman Polanski, um thriller psicológico de um grande criador e que é incontornável.

Filmes da semana na televisão escolho dois de Martin Scorsese: uma obra-prima, "Touro Enraivecido", no Hollywood, e outro, que não sendo um dos seus melhores filmes, é uma bonita homenagem ao cinema e que passa na sexta no TVC1, "A Invenção de Hugo".

Documentários

Billie Holyday Forever, no ARTE na terça-feira às 2.55h sobre uma das melhores cantoras de jazz.

O Destino da Índia, no ARTE, terça-feira às 21.40h, através de uma família de Nova Deli a história da Índia, da independência aos nossos dias.

A Vida é um Sopro, um documentário à venda na FNAC sobre o grande Oscar Niemeyer

Séries

Boss, a estreia da segunda temporada, na 4a feira às 22h no TVSeries. Aguardo com enorme expectativa depois da primeira temporada me encher as medidas com as manobras de Tom Kane, "mayor" de Chicago. Como disse na altura: se West Wing era poesia, Boss é prosa, retratando as verdadeiras maquinações e pulsões dos homens de poder e dos seus assessores.

Copper. Estreia hoje à noite na FOX, às 22.30h, uma série policial passada em Nova Iorque, no final do século XIX. Já me disseram que agarra e é fantástica

Música

Na televisão, no canal de concertos, os Cure ao vivo em Berlim, segunda-feira às 12.50; e recomendo Quincy Jones ao vivo em Montreux a celebrar 50 anos de carreira, com diversos convidados. Passa 4ª às 8.50h

Para presente de Natal e uma vez que morreu este genial criador esta semana, das minhas estantes recomendo Unique Ravi Shankar, numa "indian night live", (aliás, é o que estou a ouvir como fundo enquanto escrevo este post) em Estugarda, em 1988. CD que ainda havia na FNAC há pouco tempo

Restaurante

Para quem gosta de japonês de qualidade e com bom serviço, agora com um chefe com muitos locais de eleição no currículo, recomendo o sítio onde jantei esta quinta e sexta-feira: Sushi Fashion do Chiado, em frente ao Governo Civil na zona da Baixa.

A barbárie de Connecticut

Um rapaz de 20 anos, solitário e com distúrbios de personalidade, cometeu um dos maiores massacres nos Estados Unidos, matando 20 crianças e mais 6 adultos.

É impressionante pela barbárie, é impressionante pela incompreensão dos motivos que levaram a este desfecho. O rapaz não tinha Facebook, não gostava de ser fotografado, não permitia que divulgassem fotografias suas.

A mente humana é ainda um campo por desbravar, as pulsões do mal já motivaram muitos livros e filmes, mas continuará incompreensível. O que sabemos é que o mundo é perigoso e a qualquer momento, em qualquer lugar, pode acontecer algo de inexplicável. E não sabemos como evitar uma barbárie destas.

sábado, 15 de dezembro de 2012

Confirmado: Jesualdo Ferreira novo manager do Sporting

Posso confirmar, e dizer em primeira-mão, que Jesualdo Ferreira já está contratado para manager do Sporting, algo que será confirmado amanhã pelo próprio Godinho Lopes em entrevista que vai dar na televisão. Será o coordenador de todo o futebol do Sporting.

Como também já disse no meu mural e twitter, Luis Natário que hoje foi dado pela imprensa como novo administrador da SAD, recusou o convite de Godinho Lopes antes do jogo com o Nacional. Só dou, neste caso, as novidades.

Durão e Guterres querem a ONU

Dá o Expresso à estampa que António Guterres e Durão Barroso estão de olhos postos e com vontade para serem os maiorais da ONU. Vamos por partes:

1- António Guterres, é um homem estimável, honesto, tenho estima por ele, muito inteligente e culto. Não foi um bom Primeiro-Ministro e quando viu a «lama» no seu caminho foi-se embora.

2- Durão Barroso é uma daquelas personagens criadas pelos media que pouco deixa de memória. É ambicioso, tem sido um medíocre presidente da Comissão Europeia, um fraco Primeiro-Ministro e à primeira oportunidade foi-se embora, marimbando-se para a coligação que tinha.

Conclusão: Têm ambos fugas no seu historial. Que rico curriculum para senhor do mundo...

A Vida é Bela: um empreendedor falhado

O Expresso dá chamada de primeira página e foto grande no caderno de Economia, e muito alegre, a António Quina, o fundador da Vida é Bela.

Durante vários anos foi apresentado como um jovem empreendedor de sucesso e o Expresso parece que continua a pensar da mesma maneira. Hoje, este empresário cuja empresa faliu, refugiou-se no Brasil sem pagar diversas despesas que contraíu, deixando fornecedores em colapso e uma montanha de pessoas que comprou os seus serviços em protesto.

Mas a Vida é Bela e o Expresso - se calhar é ironia, mas é uma pobre ironia - continua a achar que balões, páraquedas e outras experiências dão motivos para gáudio a um empreendedor que falhou.

Tantas pequenas e médias empresas que têm obtido sucesso lá fora, pelo seu mérito, pelo seu dinamismo, pela sua inovação deviam ser tema de um jornal de referência.

Uma entrevista a um dono de um projecto que acabou até pode ser notícia, mas continuar o tom de promoção de um empreendedor falhado e refugiado no Brasil é algo que não compreendo.

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Não se muda a história...

«Não se muda a história com lágrimas»

"Terra em Transe", filme de Glauber Rocha

O caso Izmailov

Marat Izmailov é um grande jogador de futebol, é pena é passar a maior parte do tempo na enfermaria ou a ter treinos ligeiros.

Os sportinguistas gostam dele, eu também, mas vai com 29 anos, muitas temporadas no clube, mas poucos jogos feitos. Quando está bem, é o jogador com mais classe do plantel, o problema é que raramente está bem.

Para lá das lesões que afectaram, parece-me que há ali um problema mental e de comportamento difícil de resolver. Ainda acrescido com o facto de ter um empresário que é um "trouble-maker" e, que me lembre, foram poucos os jogadores que agencia que tiveram grande sucesso.

O Sporting já devia ter vendido Izmailov. Agora, fala-se de uma troca ou saída para outra colectividade portuguesa. Não sei se é verdade, mas estou-me marimbando. O que importa realçar é que este é um activo praticamente inactivo. E, consequentemente, dá prejuízo.

Eu queria que ele jogasse sempre e pusesse o seu talento ao serviço do clube. Como isso me parece impossível, que vá embora. Temos o João Mário, da B, para lançar para o nosso meio-campo.

Um líder precisa de...

«Um líder precisa de força moral»

"Terra em Transe", filme de Glauber Rocha.

O lixo da internet

A ler, do Henrique Monteiro.

quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

Assunção Cristas desautoriza Álvaro Santos Pereira

É muito difícil um Governo funcionar bem, ter uma coordenação boa e conseguir passar mensagem, quando temos dois ministros desavindos no espaço público. É muito difícil mesmo.

"Lincoln" de Spielberg a liderar apostas para os Óscares

É o que se vê pelas nomeações dos Screen Actors Guild e que confirma outros prémios. A listagem dos nomeados para cinema e televisão pode ser vista por aqui.

Maus ecos de Angola

Desde que a Justiça portuguesa decidiu investigar uma série de homens do regime de Angola, de lá as reacções não são boas. Não estará fácil a vida para os empresários portugueses, alguns negócios em perspectiva em Portugal foram adiados (caso da compra do grupo editorial de Joaquim Oliveira). Não sei bem o que ditarão os próximos tempos.

quarta-feira, 12 de dezembro de 2012

Com as buscas se rebenta uma reputação

Na semana fez manchete de jornal que Medina Carreira tinha sido alvo de buscas da PJ. Hoje é Teixeira dos Santos e Almerindo Marques.

No caso de Medina Carreira, afinal, a montanha pariu um rato. Nestes casos não sei. Mas sei uma coisa: que estas buscas noticiadas violando o segredo de justiça mancham a reputação dos visados, que ficam na boca do povo e depois nunca mais a conseguem recuperar. E a nossa reputação, juntamente, com a saúde, é o nosso bem mais precioso.

O primeiro tweet do Papa Bento XVI

«Eu vos abençoo a todos». Foi assim que Bento XVI se estreeou para já 669 mil seguidores na rede. Eu que tenho conta no Twitter agradeço a benção.

A inteligência e o instinto

«Com o aumento da inteligência, o instinto desaparece»

No filme "O Segredo da Porta Fechada", de Fritz Lang

Beyoncé numa lata de Pepsi

Não sei se os consumidores vão sentir alguma coisa de especial quando agarrarem numa lata de Pepsi com a Beyoncé. Mas a associação de marcas a estrelas poderosas continua a ser uma aposta firme. Ainda mais quando essa ligação se estreia na final do Superbowl, o evento desportivo mais mediático dos Estados Unidos. O carisma de uma estrela é um forte aliado no marketing e nas consequentes vendas de um produto. Sempre assim foi, sempre assim será.

Os dois "tweets" mais populares de 2012

Via Luis Paixão Martins fiquem a saber quais os dois "tweets" mais partilhados de 2012.

terça-feira, 11 de dezembro de 2012

Sapatos vermelhos para relembrar mulheres desaparecidas

Vi esta acção de marketing para recordar o crescente número de mulheres desaparecidas em Ciudad Juarez. Centenas de sapatos vermelhos para não esquecer os pés que os podiam calçar.

Lembrei-me de mais dois "Sapatos Vermelhos". Um, uma das obras-primas do cinema britânico, de Michael Powell e Emeric Pressburguer, sobre uma bailarina que esquece tudo o que importa na vida para se entregar à sua carreira, acabando por suicidar-se.

Os outros "Sapatos Vermelhos" que me lembrei são de um filme coreano, de Yong-Giun Kim, sobre uns sapatos dessa cor que são encontrados no metro e como todas as mulheres que os possuem acabam por desaparecer.

Não sei se os promotores da acção em prol das desaparecidas, na cidade fronteiriça do México com os Estados Unidos conheciam estes filmes, mas que é uma acção de comunicação que chama a atenção é um facto.

A nuvem negra sobre o Sporting

Hoje, podemos dizer que os primeiros sinais de mau tempo para esta direcção, começaram no dia do despedimento do Domingos Paciência. O treinador para o triénio, alicerce de um dito projecto que afinal não veio a acontecer. nem ao nível da gestão nem dos resultados desportivos. Foi nesse dia que a direcção do Sporting perdeu o controlo e entrou numa espiral de disparates nunca vista anteriormente.

Depois, a nuvem negra instalou-se definitivamente desde a final da Taça de Portugal, e para quem se lembra, choveu bem nesse dia. Foi um erro a renovação com Sá Pinto e ontem ficou bem patente o miserável trabalho físico e a desagregação de uma equipa que foi trabalhada por ele.

Vercauteren herdou o mau, mas ainda não soube e hoje duvido que tenha competência para dar a volta à equipa. é um treinador banalíssimo, sem voz de comando, discreto demais, demora a fazer substituições e não tem uma ideia de jogo. É um erro de casting cometido pelo novel «modelo presidencialista» anunciado por Godinho Lopes e foi ele o responsável único pela sua contratação-

Importa hoje esclarecer os sócios do seguinte e disse-o na altura. Godinho Lopes queria Scolari, mas não houve autorização financeira para o contratar e o brasileiro já tinha debaixo de olho o «escrete canarinho», como agora se pode constatar.

Havia quatro hipóteses reais em cima da mesa: Gerets (que não pedia um salário elevado, mas não aceitava só até ao final da época); o melhor e que já obteve uma vitória fora no Valência esta semana, e que eu anunciei julgo em primeira mão no meu twitter, Ernesto Valverde (que pedia 1,5 mas dois anos de contrato); Leonardo Jardim (Godinho queria um estrangeiro); e Vercauteren, o único que aceitava tudo. E veio ele. Não sei se ficámos bem servidos, infelizmente.

Mas a nuvem negra que assola Alvalade vem de cima. Da falta de liderança, das mudanças de rumo ao fim de ano e meio, da desorganização evidente na estrutura, da comunicação desnorteada e sem influência e de avultados investimentos em jogadores que hoje vemos serem um logro, deixando em ano e meio o aumento dó passivo em mais 100 milhões de euros.

Godinho Lopes comanda esta página negra nunca antes vivida, e já parece "karma" que a nuvem negra teima em não abandonar o horizonte de Alvalade. Ontem à noite foi um vexame, mas o que ainda mais me marcou foi a resignação dos adeptos, como se nem tivéssemos capacidade de comprar um guarda-chuva para, preventivamente, nos defendermos desta nuvem negra.

Estamos sem alma, roubaram-nos a nossa alma. Continuamos a amar o Sporting Clube de Portugal mas estamos desapontados e no limite da nossa paciência. Sinceramente, não sei o que fazer e acho que muitos milhares também não sabem. Isso significa que estamos presos num labirinto sem futuro, com esta direcção.

«Acabou a crise»

Por aqui leio o que diz François Hollande. «Crise na zona euro está ultrapassada», mas não sei se está. Poucos têm esperança no futuro, não há sinais de esperança. Quando assim é, estas doses de optimismo são precipitadas.

segunda-feira, 10 de dezembro de 2012

Fantasy Luxury Experience regressa em 2013 e com internacionalização

O Fantasy Luxury Experience, que se realizou no sábado no Alcântara-Café prometia ser o evento do ano. E foi.

Sucesso de público, cheia a casa, produção fantástica e bem cuidada, pessoas bonitas que aderiram ao "dress-code", música ao vivo com a Carol Curry fantástica, durante o jantar, performances live engraçadas. A aura da festa foi perfeita.

Face ao sucesso obtido, o José Alves, a Paula Martins e o Sérgio Nóbrega, os responsáveis do sucesso, já anunciaram o regresso do Fantasy em 2013, em Dezembro.

Para lá dos presentes terem ficado encantados com o momento de comunicação que viveram, os principais patrocinadores, a Viborel, através da Laurent Perrier, e a Bacalhôa também apreciaram o retorno que obtiveram com a aposta que fizeram. Estão todos de parabéns.

O Fantasy é um evento com potencial para crescer e, provavelmente, vai tornar-se o primeiro evento de marca portuguesa a exportar-se para outras terras. Angola e Brasil dou por certo que são mercados onde a qualidade e a excelência deste evento farão muito sucesso também.

Da minha parte e da minha equipa, foi com muito gosto e amizade que nos associámos ao Fantasy. Cá estaremos para voltar a ajudar quando precisarem.

Uma boa medida do Governo para cortar gorduras no Estado

Sob a tutela do ministro Miguel Relvas, o Governo avançou para o primeiro levantamento jamais feito em diversos ministérios tendo por objectivo poupar ao nível da tecnologia.

A obtenção de poupança, como podemos ver pela manchete da economia do Expresso, andará na casa dos 500 milhões de euros/ano e só em 4 ministérios foi vista a existência de informática dispendiosa e subutilizada.

O Plano de Racionalização das TIC é um momento de coragem política em que o Governo não pode ceder a lobbys, corporações e interesses instalados. Todas as poupanças e cortes nas gorduras do Estado são bem vindas, pois são elas que permitirão retirar o garrote nos impostos das pessoas. E isso, nós agradecemos também.

domingo, 9 de dezembro de 2012

Sugestões para a semana (2)

Livros

The Candidate (what it takes to win - and hold - the White House), Samuel L. Pompkin, edição Oxford, 350 páginas. À venda na FNAC com a garantia de George Stephanoupoulos: «ninguém que eu conheça estudou melhor a ligação entre a mente dos eleitores e a máquina de uma campanha presidencial americana». Aborda diversas campanhas como as de Hillary clinton e Rudolph Giuliani em 2008 e é um manual bom de leitura para quem faz campanhas.

"Rei, Dama, Valete", Vladimir Nabokov, Relógio d`Água, 270 pág. Nabokov inspira-se em Flaubert, mas com referências a Macbeth, de Shakespeare. Um triângulo amoroso nas praias do Báltico. Escrita lapidar e memorável.

"As sete maravilhas do mundo", Steven Saylor, Bertrand, 356 pág. Neste regresso de Saylor, assistimos a como o magnífico Gordiano, o grande detective que conviveu com Cícero, César, Pompeu, nasceu para se tornar o "Descobridor", quando tinha 18 anos de idade. Para quem, como eu, já leu todos os livros com Gordiano, este seu retorno à juventude é indispensável.

Cinema

O Porteiro da Noite, de Liliana Cavani. Um brutal filme desta realizadora que nunca saltou para a ribalta, com Dirk Bogarde e Charlotte Rampling. Anos depois da II Guerra Mundial, um porteiro de um hotel em Viena vê uma bela mulher entrar. Só que ele era um oficial das SS num campo de concentração e ela uma deportada. Lucia (Rampling) sente de novo uma atracção pelo seu carrasco.

Olhos Negros, de Nikita Mikhalkov. Um dos últimos papeis magistrais de Marcello Mastroiani, um filme belíssimo que vi há tantos anos no cinema Mundial. Um filme comovente de um homem que conta a história da sua vida e da mulher da sua vida.

Na televisão, o filme da semana para mim passa no AXN Black. "O Homem que queria ser Rei", de John Houston. Um bom actor, Sean Connery, e outro genial actor, Michael Caine, com diversão e cinismo a caminharem para os seus sonhos.

Documentários

A Selva da Indústria da Caridade. No ARTE, 3a-feira, 21.25h. Na França e Alemanha quase 6,5 mil milhões de euros vão para fundações e associações de índole caritativa. Mas quanto desse dinheiro chega realmente aquem precisa?

Apostas desportivas - mafia e corrupção. Esta madrugada no Odisseia. Tem-se alargado o espectro de pessoas que faz apostas on-line. Como elas podem influenciar, mal, o desporto.

"Rencontre dans l`Espace. Em 3D a vida de um astronauta a visão da Terra numa estação orbital. No sábado no ARTE às 21.20.

Séries

Scandal. Estreia na Fox, na quarta-feira às 22.20. Com a actriz negra mais "hot" do momento, Kerry Washington que vai gerir crises para a empresa da ex-directora de comunicação de um presidente americano.

Revenge. Para quem não quer esperar pelos episódios a exibir pela Fox Life, desta série que eu gosto bastante, comprem a caixa com a primeira temporada completa. Só posso dizer que a última "deixa" da Emily Vancamp, no último episódio, é um forte convite para aguardar pela segunda temporada.

Música

Bryan Ferry canta Bob Dylan, no canal Concertos, 162 da ZON, amanhã às 15.10h. E na terça-feira, Duran Duran em Wembley com os grandes sucessos, no mesmo canal, às 21.30h.

Para presente sugiro o "Best of" de Donald Byrd, um trompetista magistral, que junta jazz e soul.

Restaurante

Rubro. No Campo Pequeno, sempre com uma boa oferta de vinhos, um restaurante de influência espanhola, com boa carne, mas se forem por mim, experimentem o polvo salteado.

A evitar, pois também tenho o direito de dizer os meus desamores. Carnalentejana, no Rego, onde tive esta sexta-feira o pior jantar de 2012. posso dizer que me trouxeram três bifes e nunca acertaram. Dos sete que jantámos, só um ficou satisfeito. Só não mandei vir o livro de reclamações porque os empregados foram educados e correctos, pediram desculpa pela má cozinha. Aceito e registo. E divulgo.

sábado, 8 de dezembro de 2012

Os problemas de comunicação do Governo vistos por mim hoje no DN

Hoje, o Diário de Notícias, na página 3, ouve os politólogos José Adelino Maltez, André Freire e eu próprio, enquanto especialista em comunicação sobre os problemas comunicacionais do Governo. O que disse é simples:

Que o Governo tem tentado com boa vontade, mas não da melhor maneira, passar as suas mensagens. Ao contrário de José Sócrates, onde cada iniciativa política era cuidadosamente estudada, em termos de comunicação, antes de ser aplicada, o actual Executivo tem o condão de poucas medidas marcarem a agenda e quase sempre parece que estão a reagir e não no controlo dos acontecimentos.

Há também uma falha de coordenação. No anterior Governo PS, havia um núcleo duro, restrito e o epicentro da comunicação estava em S: Bento. Hoje desconhecemos quem faz a coordenação e a comunicação é difusa.

Num quadro de um Governo de coligação e em tempos em que não há dinheiro nos bolsos dos portugueses, passar a mensagem é sempre mais difícil.

José Adelino Maltez tem uma análise muito interessante e que reproduzo: «Passos Coelho não sabe poesia, não sabe  utilizar a metáfora, precisa de um assessor literário. Paulo Portas não desperdiça um minuto, sabe o valor das palavras».

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Um reformado com a 4a classe sabe mais que António Costa

Lembram-se das imagens televisivas de um senhor idoso, que assumiu sem problemas ter apenas a 4a classe, e que na cara de António Costa exibiu com bom senso que a obra do Marquês estava mal feita porque faltavam sarjetas nas mesmas?

Pois bem, para lá do caos que gerou com as suas brincadeiras no trânsito, vejo por esta notícia, que o senhor idoso tinha razão e mostra a incompetência dos técnicos e executivo da Câmara Municipal de Lisboa. E sem esquecer que as brincadeiras custaram quase um milhão de euros. Em tempos de crise, é obra!

«Gozar com o pagode»

Foi com esta expressão que faz título do post e mais esta: « O que não lhe fica bem é fazer dos portugueses um conjunto de atrasados mentais que não são capazes de perceber as coisas», que Marques Mendes atacou Vitor Gaspar.

Julgo que a maior parte dos portugueses normais não suporta Vitor Gaspar, mas há soundbytes que se tornam muito pesados quando são ditos por um actor político. Mendes tem um bom programa de intervenção política, eu tenho simpatia por ele há muitos anos, mas há palavras que levam para um populismo que nunca foi a marca dele.

Na comunicação política um soundbyte forte pode granjear simpatias momentâneas, mas pode ter efeitos perversos no futuro.

quinta-feira, 6 de dezembro de 2012

10 Trends para 2013

A ver este pequeno http://www.youtube.com/watch?v=bCDs7zQELpM&feature=youtu.bevídeo

Oscar Niemeyer

Tinha uma enorme admiração por este grande arquitecto, li a sua biografia onde me fascinava a sua capacidade de adaptar o espírito do povo brasileiro ao seu traço que era inovador e será eterno.

Não gostava muito de andar de avião, se pudesse, preferia ir numa carroça para ver uma obra. Na construção de Brasília, na primeira vez que andou de avião, com Juscelino Kubitchek, o grande presidente brasileiro antes da ditadura, e que teve a ideia da construção da nova capital, estava em pânico.

Mas fora esta história, Niemeyer era um homem de cultura, de intervenção social e política. Uma das suas frases que guardo dizia assim: «Não me sinto importante. Arquitetura é meu jeito de expressar meus ideais: ser simples, criar um mundo igualitário para todos, olhar as pessoas com otimismo. Eu não quero nada além da felicidade geral».

A sua arquitectura de curvas era uma arquitectura dinãmica, de felicidade, de optimismo. R.I.P Oscar Niemeyer.

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Fantasy Luxury Experience

É no sábado, dia 8, que se realiza o Fantasy Luxury Experience. Mais do que um evento fantástico, é uma experiência de comunicação que assistirão no Alcântara-Café, um dos espaços mais bonitos de Lisboa.

Para o jantar, já é difícil, pois já está esgotado, mas a seguir, com a presença de diversos dj`s será uma festa animada que ajudará a esquecer o momento menos bom que o País atravessa.

Com um "main sponsor" como a Laurent Perrier, que só se associa a eventos de requinte e glamour, como´os Óscares, ou com a qualidade da Bacalhôa que terá vários bares só de vinhos, o evento é um dos momentos do ano. Depois do sucesso, que será pela certa, o Fantasy voltará noutras alturas. 

A minha Lisboa para o Pensar Lisboa

O Diogo Agostinho teve a gentileza de me convidar para um questionário no Pensar Lisboa sobre a cidade onde nasci. Aqui ficam as minhas palavras.

Os 3 princípios da Administração Pública

1- Demora mais fazer as coisas rápido

2- É mais caro fazer barato

3- É mais democrático fazer em segredo

Em "Yes Minister", um dos grandes clássicos das séries de tv

Cristiano Ronaldo investe em "app" portuguesa

Saber investir é um dos segredos para ter uma velhice mais tranquila. Leio por aqui que Cristiano Ronaldo vai investir e ser embaixador de uma aplicação portuguesa. As novas tecnologias têm uma rendibilidade interessante e importante para a nossa economia que uma estrela global como CR invista numa marca portuguesa.

Sobre lideranças

Quando se aponta cada vez mais que há uma falta de qualidade nas lideranças globais, deixo este post com um livro sobre o tema.

terça-feira, 4 de dezembro de 2012

Pinto da Costa abre porta de saída

Leio por esta notícia declarações de Pinto da Costa a dizer que não fica nem mais cinco anos á frente do Porto. Deixo umas notas:

1- Nos últimos dez anos já disse isto umas 5 vezes, por isso não sei até que ponto acredito.

2- No dia em que ele sair da sua cadeira de sonho, o futebol português vai mudar. Sem ele, essa colectividade perde um líder que aprendeu tudo de José Maria Pedroto.

3- No dia em que sair vai haver uma balcanização dessa colectividade. Vão ser muitos em guerra aberta para ocupar o lugar dele. Nomes possíveis: Rui Moreira, Alexandre pinto da Costa, Fernando Gomes (o da federação), Fernando Gomes (o bibota de ouro), Angelino Ferreira, António Oliveira e Antero Henrique, o último, para mim, o melhor e que herdará todas as manhas do Papa.

4- Nesse dia o Porto vai viver momentos quentes, vai saber-se muita coisa que está escondida com o rabo de fora.

Qualidade de vida em Lisboa piorou

Leio esta notícia sobre a queda no ranking da qualidade de vida nas principais cidades, de Lisboa. Não era nada que não se soubesse de antemão.

Para lá confusão e disparate do Marquês e Avenida da Liberdade, e julgo que António Costa neste momento estará arrependido das mudanças que fez, e se assim é, não deve ter medo de pedir desculpa e voltar ao modelo anterior, temos uma cidade mais suja, pouco cuidada e com pouca atenção para com os lisboetas.

Apostou-se no Terreiro do Paço e Intendente, mas esqueceu-se tudo o resto em Lisboa. Vive-se do fogacho para a imprensa e há um vácuo numa ideia estratégica para a cidade. O que é engraçado de verificar, é que todos julgam que António Costa é imbatível em eleições. Efectivamente, os portugueses, e no caso os lisboetas, contentam-se com pouco.

segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Decorações de Natal em Lisboa

Foram gastos mais de 200 mil euros em decorações de Natal, mas desde Setembro que Lisboa já estava enfeitada com as cores referentes à época.

O Natal chegou mais cedo, vestido de pilaretes vermelhos e brancos no Marquês e na Avenida da Liberdade, fazendo das mesmas quase que artérias do terceiro mundo e não avenida e praça principal de uma capital europeia. O caos no trânsito, entretanto, mantém-se.

O maior inimigo do Homem

«O inimigo do homem não são os micróbios, mas o próprio homem, o orgulho, os preconceitos a estupidez, a arrogância. Não há classe que lhe seja imune, nem sistema que ofereça uma panaceia»

Henry Miller, "O colosso de Maroussi", edição Tinta da China

domingo, 2 de dezembro de 2012

Sugestões para a semana

A partir de agora, espero todos os domingos pelo meio da tarde deixar diversas sugestões de lazer, em diversas áreas. É uma espécie de meu serviço público que não terão de pagar.

Livros
"D. Pedro, o Rei-Imperador", Javier Moro, editora Planeta, 515 páginas
Como indica o título é um romance histórico, mas com boas fontes que garantem o rigor de uma biografia de D. Pedro I do Brasil e D. Pedro IV de Portugal. Prosa ágil, mas deste autor há um outro livro melhor do qual uma vez dei nota: "O sari vermelho", sobre a família Nehru/Gandhi e a história da Índia. Mas é recomendável para conhecer melhor a "fuga" de D: João VI para o Brasil de quem Napoleão disse que foi o único homem que o enganou.

"António e Cleópatra", Adrian Goldsworthy, Esfera dos Livros, 520 pág. Do mesmo autor já tinha sugerido dois outros livros: "César" e "Generais Romanos", obras fenomenais. Este é um estudo da relação entre a raínha do Egipto e o herdeiro de César. Uma paixão que levou, com a morte de ambos, ao nascer da dinastia de Octávio Augusto, uma das maiores fases de crescimento e prosperidade do império romano.

"O colosso de Maroussi", Henry Miller, Tinta da China, 282 pág. Da magnífica colecção de literatura dita de viagens, mas que é mais de narrativa das impressões e paixões humanas, este é o livro que me está a encher as medidas actualmente. Miler vai à Grécia, a Corfu, ter com outro grande escritor, Lawrence Durrell, a partir daí é uma escrita única tão bela como os mares da Grécia, que são únicos para quem já teve o prazer de os conhecer.

"O Julgamento dos cinco lords", Sente/Julliard, Asa, 64 pág. Álbum de BD que regista o regresso dessas duas personagens míticas: Blake e Mortimer. Não tem a profundidade dos álbuns antigos, mas é boa leitura para os fâs destes heróis.

Cinema (a comprar)
"O segredo da porta fechada", de Fritz Lang. Um clássico genial, uma mulher que se apaixona, vai para a casa do homem, mas onde tudo é bizarro. Jogos de luzes e sombras para criar um filme sombrio, tenso, mas digno de um dos grandes mestres de Hollywood com raízes na Alemanha.

"Glauber Rocha"- caixa que reúne 5 filmes do maior realizador brasileiro. Dois deles, "Terra em Transe" e o inesquecível "Deus e o Diabo na Terra do Sol" estariam numa lista dos 100 melhores filmes de sempre e ainda há "Barravento", "A Idade da Terra" e "António das Mortes - O dragão da maldade contra o santo guerreiro". Imprescindível para cinéfilos.

Cinema (em casa, do que dá esta semana os meus destaques)
-O melhor dos filmes dos TVCines é "As Vinhas da Ira", de John Ford, baseado num livro de John Steinbeck, com prodigioso papel de Henry Fonda. Sobre as migrações dos americanos em busca de uma vida melhor durante a Grande Depressão. 9horas, segunda-feira no TVC2
-Quarta, às 17.15, TVC3, um grande filme, candidato a diversos prémios, mas subvalorizado. "No vale de Elah", de Paul haggis, com Tommy Lee Jones, nomeado para Óscar, sobre o regresso dos soldados do Iraque.
-No mesmo dia, às 17.50h, no TVC4, "Antes que o Diabo saiba que Morreste". Filme soberbo do grande Sidney Lumet, com interpretações sem mácula de Philip Seymour Hoffman, Marisa Tomei e Albert Finney.
- Na sexta, às 22h, TVC2, "A Comédia do poder", filme francês de Claude Chabrol com personagem de Isabelle Hupert. Em Fraça, e Chabrol era um mestre, continua-se a fazer grande cinema.

Séries

-Estreia esta semana a 2a temporada de The Killing, na Fox, não esquecer que é a série americana, uma versão da fabulosa e muito superior The Killing, de produção dinamarquesa e que que deu há pouco tempo no AXN Black
-Outra regresso, no SyFy, A Ameaça de Andrómeda, série de ficção científica baseada no filme clássico com o mesmo nome.
- Chamo a atenção que em CSI, no AXN saiu no último episódio a protagonista Marg Helgenberger e vai entrar para o lugar a Elizabeth Shue, É para breve e a série esta temporada melhorou em relação às duas últimas temporadas.
- Não esquecer, a rolar como um disco, na TVCSéries, Treme, na sua terceira temporada. Disse a rolar como um disco, pois esta série de autor, de David Simon, criador de The Wire, trata da reconstrução de New Orleans ao som da música que é a base da série. É um mimo que tem passado despercebido a muita gente.

Documentários (deixo alguns que vou deixar a gravar)

-Os multimilionários do Tea Party, sobre se este movimento ultra conservador era mesmo nascido das pessoas ou se foi financiado por interesses poderosos. Dá no Odisseia
- Secrets of Bangkok, no Travel Channel, sábado às 13h. Sobre uma das cidades mais fascinantes do mundo.
-No mesmo dia, no História, às 20.20h, Stonehenge a descoberto, um dos lugares mais místicos e mais desconhecidos e a sua relação com a época em que foi construído
-No ARTE, durante a semana, vários episódios, às 18, "Nas costas do Báltico", viagem pelos países banhados por aquele mar.
.- No Odisseia, A Mafia, série que começa com Sam Giancana e passa sobre outras personagens. Começa ás 23h na quinta-feira
-Na RTP2, na sexta às 23.30h, um documentário que já vi e recomendo sobre o Goldman Sachs, o banco que manda no mundo
-Para os curiosos da Manga, a BD de origem asiática, um salto à manga coreana (a Manhwa) no ARTE, na quinta-feira às 2.30 da manhã

Música

Há uma pérola para quem tem ZON na posição 162. Um canal de concertos com os grandes nomes da música. Deixo os 4 que vou gravar: hoje às 20.55h, Bjork live in Cambridge, em 1998, durante o Homogenic Tour; Simply Red, concerto de despedida em Sidney, às 6 da manhã desta madrugada; amanhã, às 13.20h, Jamiroquai em Montreux, para quem, como eu, já o viu ao vivo sabe que vai dar um bom espectáculo; e amanhã também, às 16.50,um concerto para 100 mil pessoas no Palácio de Versalhes, de Cerrone o criado da onda Disco.

Restaurantes

Em tempos de crise e de reuniões de amigos e colegas para jantares de natal deixo dois restaurantes baratos, sem pretensões, mas onde se come bem e perto um do outro. A "Adega do Dantas", na rua que leva ao miradouro de Santa Catarina e a "Adega das Mercês" no Bairro Alto, atrás do bar Mahjong. Bom atendimento, quase à antiga e saem satisfeitos por 15 euros, o que é muito barato nos dias de hoje.

Divirtam-se.

-

É por isto que José Mourinho é o maior

Disse a hora a que ia estar no relvado para o poderem assobiar, mas vejam a reacção das pessoas. Batalhão de fotógrafos atrás a registar o momento. Um líder dá o peito às balas, consegue, sozinho, enfrentar o mundo. Por estas imagens é que ele é uma personagem de excepção e o melhor treinador do mundo. É português, chama-se José Mourinho.

sábado, 1 de dezembro de 2012

Camarada Jerónimo

Ontem li na revista do Sol uma pequena reportagem, quase biográfica, sobre Jerónimo de Sousa onde ouviram diversos políticos de outros partidos. Todos disseram bem dele.

Conheço muitos políticos, não é o caso de Jerónimo de Sousa, mas a ideia que tenho dele é a de um tipo porreiro. Homem humilde, de trabalho, batalhador, simples e profundamente genuíno.

Fazem muita falta políticos como ele. De honestidade à prova de bala e com capacidade de gerar facilmente empatia. É a sua simpatia que tem permitido os resultados eleitorais constantes do PCP, depois dele não sei como vai ser, mas provavelmente assistiremos a uma nova liderança de ruptura geracional.

Mas é um gosto a política portuguesa ter um camarada Jerónimo.

sexta-feira, 30 de novembro de 2012

As nossas viagens

«A mestria das grandes coisas alcança-se com a realização de coisas insignificantes. A viagem pequena é para a alma tímida tão formidável como a grande viagem para a alma grandiosa. As viagens realizam-se interiormente, e as mais arriscadas, escusado será dizê-lo, fazem-se sem sair do mesmo lugar»

Henry Miller, "O colosso de Maroussi", edição Tinta da China

New York Times mostra um País desolador: Portugal

Depois do New York Times ter contribuído para pôr Lisboa na moda, com diversas reportagens sobre a nossa cidade, agora vem a fase da desolação, como se vê por aqui.

«Um país em que 21 por cento dos idosos vive na pobreza, em que dos 1,4 milhões de desempregados apenas 370 mil recebem apoios mensais do Estado», e assim se abate a reputação de um País. Mas estavam os jornalistas e fotógrafos a fazer o seu trabalho. Nós é que não temos feito o nosso, ao nível do combate à crise.

quinta-feira, 29 de novembro de 2012

Messi ganha em humildade, Ronaldo em comunicação

«Messi supera a Cristiano en "inteligencia emocional" y "humildad", mientras que el portugués demuestra más "sentido del humor", "carisma" y "habilidades comunicativas"», diz um estudo que o AS deu à estampa.

Qualquer leigo poderia chegar a essa conclusão, mas ainda diria que em, comunicação, Cristiano Ronaldo teria de melhorar bastante. Porém, CR tem imagem mais impactante exactamente pela ausência de humildade que às vezes ostenta.

Ambos são ambiciosos, despertam paixões e ódios, mas são duas poderosas marcas globais e qualquer aparição ou declaração tem repecussão comunicacional.

Duas regras essenciais da comunicação política

«Em política temos de dizer as coisas com tacto e delicadeza. E saber quando estar calado»

Yes Minister, série de tv

Anderson Cooper na Nazaré

Uma das estrelas da CNN, Anderson Cooper, está na Nazaré para reportagem com o surfista Garrett McNamara que no ano passado ali surfou uma onda de 30 metros.

Para Portugal é fantástica esta reportagem. E coloca-nos pela via da comunicação como um dos spots de atracção para quem pratica esta modalidade. Devemos, na nossa promoção turística, procurar nichos que façam a nossa diferenciação pela qualidade. Os desportos de mar são um deles.

quarta-feira, 28 de novembro de 2012

Paulo Ferreira novo director de informação da RTP

Aos amigos deseja-se o melhor, uma amizade que vem desde a nossa viagem em trabalho, para os jornais em que estávamos na altura, a acompanhar António Guterres a Paris, acho que foi lá para 1996. O Paulo Ferreira é um bom jornalista, sério, honesto e independente. Terá uma difícil tarefa na RTP, mas desejo-lhe as maiores felicidades

Como se cozinha o funeral de Mourinho

José Mourinho é um treinador genial, um líder com uma capacidade de comunicação fora-de-série, bateu todos os recordes aos serviço do Real Madrid, pode bater todos os recordes a nível mundial, mas mesmo assim, por algum provincianismo castelhano nunca caiu no goto da imprensa espanhola.

Este ano, está já há muitos pontos do Barcelona, os jornais espanhois diariamente atacam-no, a UEFA faz tudo para o torpedear e tentaram que o balneário implodisse.

Quando eu vejo Xabi Alonso a defendê-lo, Casillas, hoje, a fazer o mesmo, só me lembro de Júlio César a ser esfaqueado: «Até tu, Brutus?». Quando estes jogadores, do núcleo duro que nunca esteve com ele, aparecem a dar a cara em sua defesa é porque já estão a cozinhar a sua demissão.

Papa Bento XVI abre conta no Twitter

Todos os meios são importantes para passar a mensagem, mesmo pelas pessoas que nem são utilizadores da internet.

É o caso do Papa Bento XVI que não é grande fâ das novas tecnologias, mas que, via o Luis Paulo Rodrigues e esta notícia, vejo que vai abrir conta no twitter.

Duvido que consiga meter orações em 140 caracteres, duvido que seja ele a escrever o que quer que seja, duvido que ande de telemóvel a disparar impressões para o twitter. Mas é um canal de comunicação que tem com os fieis, vamos ver como o utilizará.

Um paradoxo da política e da sua comunicação

«Ironia do momento: quanto mais os nossos representantes se aplicam a ser simples, directos, próximos das pessoas, "comunicantes", mais os seus discursos se tornam inaudíveis, enfadonhos, desmobilizadores»

Gilles Lipovetsky, A Sociedade da Decepção, Edições 70

A sociedade da decepção

«A civilização do bem-estar colectivo fez desaparecer a miséria absoluta, mas fez aumentar a miséria interior, o sentimento de viver uma "subexistência" por todos aqules que não participam na "festa" consumista que fora prometida a todos»

Gilles Lipovetsky, A Sociedade da Decepção, Edições 70

terça-feira, 27 de novembro de 2012

A direita mais estúpida do mundo

Era uma máxima habitual para falar da direita francesa, que ela era a mais estúpida do mundo. As eleições para a liderança da UMP, num processo pós-Sarkozy, vieram provar essa máxima.

Os dois candidatos chamaram tudo um ao outro, ainda tornaram a política mais repelente para os cidadãos e agora o ex-primeiro-ministro Fillon, faz um grupo parlamentar autónomo.

Enquanto isto, Hollande afunda-se na popularidade, sem oposição, os franceses cada vez mais odeiam os políticos e naturalmente os partidos dos extremos agradecem.

Eduardo Barroso deixa presidência da AG do Sporting

Segundo o Jogo, citando declarações ditas pelo próprio no programa da TVI24 onde é comentador residente, Eduardo Barroso deixará em breve as funções de presidente da Assembleia Geral do Sporting.

Respeito-o como sportinguista, sei que tem muitas vezes o coração ao pé da boca, mas julgo, como escrevi no passado, que enquanto desempenhasse um importante cargo na família verde e branca não deveria estar como comentador num programa televisivo e num jornal, pois muitas coisas que disse deram notícia e agitaram o clube sem necessidade.

Cometeu erros, mas não deixa de ser sportinguista. Mas não esqueço, e ninguém esquece, que foi eleito por uma lista que não foi a declarada vencedora após um processo de afinações que fica na história negra do Sporting. Muitos dos votos que teve, não foi por ele próprio, ao contrário do que pensa. Muitos votos se devem a ser candidato na lista de Bruno Carvalho, algo que ele rapidamente esqueceu, aceitando  o cargo e sendo conivente em muitos momentos com a actual direcção.

Confesso que tenho mais simpatia, bastante até, pelo adepto Eduardo Barroso, do que pelo presidente da AG.`Às vezes, os bons sportinguistas como ele é, são mais úteis na bancada do que nos camarotes do poder. Foi uma experiência que viveu e houve momentos em que apertou a direcção também (também não esqueço) e no actual momento, devia apertar mais. Vivemos uma das páginas mais negras da nossa história centenária, Eduardo Barroso ainda vai a tempo de a ajudar a ultrapassar. Só depende dele, mas deixo-lhe os meus cumprimentos pela tarefa que cumprirá até ao momento em que decidir abandonar o cargo.

O futebol não pode ser um mundo à parte

Vejo, por aqui, que o presidente da Federação Portuguesa de Futebol se queixa que os clubes pagam 100 milhões de impostos. Meu caro senhor, o futebol não pode ser um mundo à parte.

O futebol tem receitas televisivas e de patrocínios astronómicos, paga salários galácticos e tem de pagar os impostos que são devidos. As empresas portuguesas estão asfixiadas com impostos, há casos diários de insolvência e o que é que o futebol quer? Regimes de excepção?

Pois, nem pensar. Os clubes que aprendam a ser bem geridos e que se responsabilizem e punam os gestores danosos. O futebol não pode viver no mundo das maravilhas com gestores irresponsáveis.

Rodrigo Saraiva à frente Parceiros de Comunicação

O meu amigo Rodrigo Saraiva assume a direcção da Parceiros de Comunicação, onde estão vários bons consultores de comunicação que respeito.

É uma nova etapa, um grande desafio, na vida do Rodrigo a quem, como amigo, só posso desejar as maiores felicidades e que desenvolva um bom trabalho de promoção dos seus clientes.

Na hora de saída deste projecto, e outros se seguirão por certo, deixo as minhas homenagens à antiga directora da Parceiros, a Susana Monteiro, pessoa que muito estimo também.

Welcome à "Welcome"

A Enzima Amarela, depois do Briefing, Advocatus, Fibra e Store, lança a Welcome. Um novo agregador sobre a área de Turismo e Lazer, um dos sectores onde Portugal tem fortes possibilidades de crescimento. À administração e ao director, Hermínio Santos, os votos das maiores felicidades.

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

4 coisas que a internet veio potenciar e o desafio que falta fazer

A partilha
A conversa
A colaboração
A acção colectiva

«O grande desafio é a passagem da conversa à acção colectiva, ou como diz Clay Shirky, mudar de "concordamos ou ou discordamos" para "vamo-nos juntar e fazer qualquer coisa em relação a isto"».

Lido ontem no Público e concordo que o desafio é o que falta para potenciar a internet.

"Amazon" é do Brasil ou do Perú?

Uma querela cibernáutica afecta uma das mais conhecidas marcas de compras on-line: a Amazon. Brasil e o Perú reclamam o domínio porque dizem que o interesse público é maior do que uma entidade comercial explorar um nome ligado à natureza e ao equilíbrio da Terra. Esta é daquelas polémicas que não sei o que darão, pelo menos dão para entreter.

Processo aos utilizadores do Twitter

O senhor Alistair McAlpine, antigo tesoureiro do partido Conservador britãnico, foi envolvido num escândalo de pedofilia denunciado pela BBC. Era mentira. Como seria natural, processou a conhecida estação pública por ofensa ao seu bom nome e reputação, ganhou o processo e arrecadou mais de 200 mil euros.

A novidade, e que poderá fazer escola para os maus utilizadores das redes sociais, é que decidiu processar todos os que no twitter fizeram eco das acusações infundadas. Disse o Público que «é um passo disciplinador inédito».

É um facto e julgo que positivo. Há muita gente que usa as redes sociais, e muitas vezes escondidos na cobardia do anonimato, que se dedica a inventar e a escrever falsidades manchando a reputação de várias pessoas.

Um dia, os maus utilizadores das redes sociais vão dar-se conta que não podem impunemente escrever o que bem lhes apetece, sem sofrer as consequências.

A Marca Portugal é melhor lá fora que cá dentro

Li esta notícia do Expresso sobre a reputação da Marca Portugal. Naturalmente, é possível que seja melhor lá fora do que cá dentro. Lisboa, por exemplo, está na moda em diversos media internacionais, fruto de campanhas bem gizadas pelo Turismo de Lisboa, algo sobre o qual já dei nota noutro post.

Também temos dois ícones do desporto-rei todos os dias nas páginas dos jornais, logo, o nome de Portugal vale muito mais do que há dez anos atrás. Mas são os portugueses, cá dentro, que vivem o País. As suas fragilidades, a crise endémica, uma Justiça que não funciona, empresários, na maior parte dos casos, vivendo do investimento público e pouco empreendedores, elites incultas e débeis.

Portugal, cá dentro, tem uma reputação mais frágil por culpa dos decisores. Lá fora a imagem é diferente, não vivem os nossos problemas diários.

domingo, 25 de novembro de 2012

Sporting um clube grande, com grande coração

Os grandes clubes, para lá dos títulos, dos adeptos, dos atletas que fazem a sua história, têm responsabilidades sociais com a comunidade.

É de saudar a atitude do Sporting Clube de Portugal que disponibilizou a sua equipa principal de futebol para disputar, no estádio municipal de Portimão, um jogo com uma selecção do Algarve, revertendo as receitas para as vítimas do tornado que assolou aquela região.

Podemos ter muitos problemas, mas continuamos com grande coração, como só os grandes o têm.

O que cria o humor, segundo Charles Schulz (pai dos Peanuts)

«A felicidade não cria humor. Ser alegre não tem piada. A tristeza é que cria o humor»

Charles Schulz (pai dos Peanuts)

sábado, 24 de novembro de 2012

Marcelo Rebelo de Sousa e os amúos dos políticos

«O homem português amua, o que é uma coisa rara. Os políticos amuam imenso. As pequenas coisas passam à frente das grandes coisas. Perde-se um tempo infindo a gerir pessoas e pequenas questões»

Marcelo Rebelo de Sousa

Nós e os bancos

«Se tu roubas um banco, és preso. Mas se o banco te rouba, não te resgatam a ti, resgatam o banco»

Brad Pitt, hoje na revista do Expresso

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Portugal deixa de ir ao Festival Eurovisão da canção

O festival da canção revelou muitos novos talentos da música portuguesa e consagrou outros grandes nomes. Nos seus tempos áureos, anos 70 e 80, fazia parar o País, havia forte luta entre as canções e os que as apoiavam, tinha enorme sucesso de audiências e era um fenómeno, também, de comunicação.

Com o tempo foi perdendo fulgor, banalizou-se e mostrou apenas o pior e o nacional-pirosismo. Em termos de Eurovisão, Portugal nunca ganhou e com a nova decisão por voto telefónico, na maior parte das vezes, ganharam países de leste.

Por esta notícia, leio que Portugal vai deixar de estar presente. Os últimos certames têm sido medíocres, nada temos a ganhar com isso. A RTP dá razões financeiras como justificação. Poupam umas coroas, mas era mais honesto se dissessem que deixavam de ir lá porque aquilo não presta para nada.

"Information is power" da VILT - resumo do Pedro Reis e Luis Paixão Martins

Realizou-se ontem no CCB a conferência "information is Power", organizada pela VILT. Para lá das apresentações da empresa, ouviram-se também intervenções da Open Text, do Banco de Espanha e Loterias y Apuestas de Espanha que versaram sobre as soluções e a inovação que a VILT, uma PME portuguesa, tem implementado com sucesso. Mas a abrir a mesma esteve o Pedro Reis, presidente da AICEP, e Luis Paixão Martins, fundador da LPM.

Pedro Reis - falou sobre a importãncia da internacionalização da economia portuguesa e sobretudo das PME`s e do seu trabalho de empreendedorismo que leva a que procurem novos mercado para mostrar as suas soluções e competências.
Valorizou o reconhecimento da qualidade dos quadros técnicos portugueses e como isso é reconhecido fora de portas. Fez um discurso optimista, de esperança, reconhecendo que não importa apenas às empresas portuguesas lutarem na base dos preços, mas sim na sua qualidade e a nível interno o sector público deve estar ao serviço das empresas, pois é nelas que se criam riqueza e postos de trabalho.
Mostrou a importãncia de focalizar a nossa oferta, escolher bem os mercados, falando da capacidade da VILT ter já excelentes clientes em Espanha e Brasil, dois mercados preferenciais.

Luis Paixão Martins - foi um momento de comunicação, como ele abriu a brincar, na conferência falou-se de prosa e ele ia falar de poesia. Chamou a atenção para o facto de haver menos audiências e menos leitores, menos jornalistas e mais consultores de comunicação.
Exibiu a falência do modelo do "gate-keeper, a partir do momento em que se democratizaram as plataformas que permitem a cada indivíduo estabelecer a comunicação, havendo nos actuais tempos uma autonomia comunicacional dos cidadãos, algo que não sucedia no passado.
Falou sobre os pais da disciplina de Relações Públicas e Conselho em Comunicação, Ivy Lee e Edward Bernays, com a preponderãncia actual da escola do segundo.
«O ciclo da notícia é cada vez mais curto e a vida é feita de episódios», disse.

Aaron Sorkin escreve argumento sobre Steve Jobs

Aaron Sorkin é um argumentista que é uma estrela como um qualquer actor de Hollywood. "West Wing" deu-lhe a aura de genialidade que continuou em "Newsroom" ou no cinema em "A Rede Social".

Sorkin vai escrever agora um filme sobre Steve Jobs. Conta-se que Jobs lhe pediu uma vez um argumento para a produtora Pixar, que criou "Toy Story" e "Cars". Sorkin disse-lhe que gostava da Pixar, mas que não se via capaz de pôr a falar um objecto inanimado. Ao que Jobs lhe retorquiu: «da primeira vez que os faças falar, nunca mais serão inanimados».

O que motiva Sorkin a escrever sobre Steve Jobs, é que ele representa o sonho americano e como um projecto nascido numa garagem se pode tornar um êxito mundial e chegar a todo o lado. Dois génios, vamos ver o que uma película fará da escrita e de uma vida para a história.

Duas notas sobre Godinho Lopes para os sportinguistas mais "desatentos"

Depois do que vi ontem, que nos entristeceu a todos, é tempo de dizer, honestamente e com verdade, que este ano e meio temos vivido das páginas mais negras do Sporting. Não sei para onde caminhamos. Parece que falta tudo: liderança, gestão desportiva e financeira.

Julgo que a maior parte das pessoas deu o benefício da dúvida, nos tempos iniciais, a este presidente. É assim que deve ser. Estar atento, ver as medidas tomadas e depois analisar, elogiando o que é bom, criticando o que é errado. Um ano e meio depois, o balanço só pode ser negativo. Nem os mais "talibans" de Godinho Lopes podem dizer o contrário. E há duas notas que têm de ser bem claras: a falta de liderança e a responsabilização.

1- Nenhum presidente joga em campo, é um facto que todos sabem. Onde ele joga é na liderança que impõe ao clube. Godinho Lopes demorou ano e meio a descobrir o modelo «presidencialista à Pinto da Costa», como disse na RTP-Informação. Algo que eu sempre disse que o Sporting precisava, mas de um modelo presidencialista à João Rocha e não como o das antas. O problema é que eu não conheço o sucesso de nenhuma empresa ou instituição sem um bom líder. E Godinho Lopes não é um líder. Por isso, sem liderança, é impossível vencer.

2- Godinho Lopes é presidente também da SAD. E sabendo as dificuldades financeiras do clube, a que ele não soube dar a volta nem apresentar os investidores que anunciou na entrevista ao Expresso de Dezembro de 2012, investiu 60 milhões de euros em jogadores, dos quais já alienou muitas percentagens de passes. Ano e meio depois "descobre" que o ADN do Sporting é a formação. Ano e meio para descobrir sr. engenheiro? Então e quem se responsabiliza com o aumento do passivo para cerca de 120 milhões de euros e 60 milhões no futebol para vermos a desgraças que temos assistido em campo? Quem se responsabiliza por esta gestão ruinosa da SAD? Quem? Pois eu digo: Godinho Lopes, Castro Guedes e Luis Duque, que eram os seus administradores têm de ser responsabilizados.

Godinho Lopes é presidente do Sporting. Legalmente deve continuar, mas há uma altura na vida em que o presidente tem de parar e fazer uma auto-reflexão: «terei eu jeito para ser presidente do Sporting?». Eu acho que ele não tem jeito.

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

As certezas que os políticos têm

Leio por aqui que Almeida Santos «acredita que Armando Vara será absolvido». São as certezas dos políticos habituados a que a culpa morre solteira e nunca nenhum é condenado.

O que é que se ganha em eleger com votos um presidente europeu?

Reza esta notícia que o sucessor de Durão Barroso será escolhido através de voto popular de todos os europeus. O que é que se ganha com isto?

1-O espectáculo de virem a Portugal uns senhores estrangeiros fazerem campanha, mas que ninguém conhece de lado nenhum

2- Por questões de bairrismo, os maiores países, com maior população, estarão mais bem colocados para ganhar a eleição.

3- Vamos ter uma espécie de Festival da Eurovisão da canção. Se se juntar o bloco de Leste. ganha sempre.

4- Vão os europeus sentirem-se mais europeus por escolherem um presidente? Não. Pois não há uma identidade europeia, mas sim nacional.

Logo, pouco se ganha com isto.

A demissão de Nuno Santos da RTP

Não o conheço pessoalmente, mas sempre o tive em conta de pessoa competente e séria. A sua saída da RTP é fruto de desconfiança por causa de imagens da última manifestação e respectiva carga policial. É um motivo estranho, mas parece ser o único. Julgo que estava a fazer bom trabalho no canal público, nomeadamente, na modernização e dinamização da RTP-Informação, por isso, é uma perda. E mais uma vez a RTP é notícia negativa, o que não é bom.

quarta-feira, 21 de novembro de 2012

Cavaco perdeu a memória e é uma vergonha

«O Presidente da República afirmou hoje que o país precisa de “ultrapassar estigmas” e voltar a olhar para os sectores que esqueceu nas últimas décadas: o mar, a agricultura e a indústria». A memória está má, a hipocrisia é um pecado e Cavaco devia ter vergonha, pois foi ele com a sua governação de betão que enterrou o mar, a agricultura e a indústria.

Marcelo Caetano queria assessoria de comunicação e não censura

Uma tese premiada que merecerá leitura e que reforça a ideia da "Primavera marcelista". Uma historiadora, Susana Cavaco, apresenta essa novidade. Que Marcelo Caetano queria substituir a censura, acabando com ela, e introduzindo a assessoria de comunicação.

Faria por certo bem. O que é estranho é que 40 anos depois, um Governo ainda não tenha percebido isso, trabalhando com profissionais competentes (havendo, naturalmente, honrosas excepções). Pode-se governar mal por incompetência, mas nunca se governará bem sem boa comunicação.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Não sei como será o futuro do Estoril Open

Perdendo o seu mais antigo e maior patrocinador, fica muito difícil para João Lagos manter um torneio que dava notoriedade a Portugal e à região. E para algumas figuras ditas do jet-set ficam com menos um sítio para ir almoçar de borla.

O problema de comunicação da RTP

O Governo tem falhado na comunicação já o disse e é um facto indesmentível. Mas há dossiers em que, por culpa própria, tem errado.

Um deles é a RTP. Já vi diversas opinões e proto-decisões divergentes. Agora o novo presidente da RTP, Alberto da Ponte, volta a ser notícia por dizer que o serviço público só pode ser plenamente realizado com os dois canais de televisão, como se pode ler por aqui.

É caso para dizer, organizem-se. Porque esta coisa de fazer constar um horizonte de extinção da 2 e passagem a privados da 1, desmentido ontem pelo homem que o Governo nomeou é inacreditável. Se o Governo é medíocre na comunicação, tem de se dizer, honestamente, que tem tratado com os pés os media e particularmente a RTP.

Deve um CEO ter uma conta de twitter?

Isto a propósito de Rupert Murdoch que tem uma conta activa de twitter. Julgo que deve, se souber trabalhar com ela, até porque o seu nome foi visado em variados processos sobre os seus jornais e as redes sociais são uma possível linha de defesa e de passar a sua mensagem.

segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Parabéns ao Marco Chagas

Faz hoje 56 anos uma das pessoas que mais respeito no desporto português. Marco Chagas foi um enorme atleta, de uma modalidade que muito gosto mas que atravessa uma fase difícil, sendo o português que mais vezes ganhou a Volta a Portugal em Bicicleta.

Acima dele, para mim, só o deus Joaquim Agostinho que tanto orgulho, vitórias e adeptos trouxe para o Sporting Clube de Portugal. Marco Chagas é também um grande sportinguista e hoje segue o caminho de comentador televisivo da modalidade, ele, que juntamente com Luis Lopes (no atletismo), é o comentador mais sabedor daquilo que narra com sabedoria, categoria, simplicidade e bom humor. Os meus parabéns e desejo de muitos anos de vida e que continue a promover o ciclismo que tanto precisa.

A gravata de Hollande e a Sarkomania

O novo presidente francês desbaratou, em menos de um mês, o seu estado de graça, tendo níveis de popularidade bastante baixos. Para lá disso, na tradicional conferência de imprensa alargada o que marcou a sua imagem foi a gravata.

É que por um qualquer motivo inexplicável, a gravata fugia sempre para a direita algo que marcou as redes sociais e depois saltou para os media tradicionais. Para acentuar esta "fuga para a direita", cresce a Sarkomania.

Isto é, camisolas, chávenas e outras peças recordando Nicolas Sarkozy que, em pouco tempo, sai do limbo e já começa a ser recordado, falando-se já do seu regresso. Moral da história: em política a memória é curta, mas ainda mais curtos são os estados de graça.

domingo, 18 de novembro de 2012

Dinheiro português nas ilhas Caimão

«Investimentos nacionais neste paraíso fiscal, o mais usado pelos portugueses, recuaram para 6,9 mil milhões de euros no ano passado». Leio esta notícia e vejo também que, no dito ano passado, os investimentos eram de 12,2 mil milhões. Como dizia um anúncio, há coisas fantásticas não há?        

sábado, 17 de novembro de 2012

TV Rural

Leio no I que o PSD e o CDS pediram para que regressasse à RTP um programa parecido com o mítico TV Rural, apresentado por Sousa Veloso.

Ele acabou nos anos de Cavaco, quando o fervor do novo-riquismo e do dinheiro fácil levou tudo para o êxtase de uma economia de serviços e se perdeu agricultura, pescas e indústria.

Nos dias de hoje regressa-se à lavoura e deseja-se mais indústria. O pedido dos dois partidos é interessante, até porque o TV Rural ficou na história da nossa televisão. Mas não deixa de ser ainda mais interessante como os dois partidos do Governo põem em causa a má governação e falta de visão de Cavaco Silva.

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Uma boa questão do Renato Póvoas

Aqui no post dele, colocada ao Álvaro.

Pinto da Costa perito em manobras de "distracção"

Pinto da Costa sabe tudo sobre futebol, são muitos anos de experiência de comunicação e controlo dos poderes ocultos do futebol.

Ontem criticou asperamente a deslocação da selecção nacional ao Gabão (nisso até concordo com ele. Ganhar 800 mil euros à conta dos jogadores dos clubes pondo a sua integridade em risco num batatal e com uma atitude miserável no jogo não prestigia a nossa bandeira), mas bem sabemos que no que lhe interessa está resguardado.

O ataque feroz à federação do ex-administrador portista Fernando Gomes, é pura distracção, porque no que lhe interessa a faderação e a arbitragem não lhe vão falhar. Com o Sporting, a quem nos últims tempos elogia o presidente porque lhe dá jeito pois é um presidente fraco e sem influência, tem os probemas resolvidos, como vimos com a marcação das penalidades inexistentes no seu estádio. Com o Braga trata mais sorrateiramente e com a outra colectividade de Lisboa trata em breve do assunto.

São 30 anos de manipulação do poder oculto, as palavras sobre Paulo Bento, que ele aprecia, e os ataques à federação são meras cortinas de fumo.

O que veio verdadeiramente Merkel cá fazer...

...não sei porquê mas, ao ler isto, cheira-me que o consórcio alemão vai ficar com a ANA.

quinta-feira, 15 de novembro de 2012

O patrão e o psiquiatra podem achar estranho não ter perfil no Facebook

Leio por aqui, no Dinheiro Vivo, e também acho estranho quem hoje não anda pelo facebook.

Gesto feio de quem perdeu eleições limpas

Mitt Romney foi um contendor que fez o melhor possível. Perdeu, sendo o candidato que mais dinheiro gastou na campanha presidencial americana, agora diz isto. É feio e reforça a sua condição de perdedor.

Responsabilizar e criminalizar a má gestão nos clubes de futebol

Falo em termos genéricos, mas podia aplicar directamente ao meu clube, para quando a responsabilização e criminalização pessoal da má gestão em clubes de futebol?

Quem vive acima das suas possibilidades, aumentando o risco futuro de existência dessas instituições e SAD`s, deve ser claramente responsabilizado. As gestões têm rosto, têm pessoas que tomam decisões. São elas as culpadas de maus negócios e da insustentabilidade das instituições que dirigem, por isso a Justiça movida por um qualquer adepto ou accionista da SAD deve ser um caminho a ser movido no futuro e que tornará muito mais limpo e transparente o futebol português.

Uma greve geral sem efeito

Doze rapazolas, que julgo não pertencerem à CGTP, com os seus desacatos, apagaram comunicacionalmente a greve geral que mobilizou milhares de pessoas que tinham todo o direito de protestar contra as medidas de austeridade impostas pelo Governo.

quarta-feira, 14 de novembro de 2012

Cavaco calado

A esfinge de Belém voltou ao seu estado natural: o silêncio.

A responsabilidade social dos actores

Vejam este video com actores da Globo contra a construção de uma barragem na Amazónia. Por cá julgo que não vi nada disto. Com honrosas excepções, as nossas actrizes posam semi-nuas para capas de revistas, fazem presenças e discotecas ou estão-se marimbando para a responsabilidade social. Por isso, também, é que a Globo é um modelo de profissionalismo, uma escola de actores e se sabe envolver com a comunidade.

Oráculo (398)

«O tempo de enganar os homens está a acabar»

D. Pedro. Em "D.Pedro - O Rei Imperador", de Javier Moro, editora Planeta.

terça-feira, 13 de novembro de 2012

A prisão de Vale e Azevedo

Era uma ofensa para qualquer português informado, assistir a reportagens de Vale e Azevedo com vida de luxo em Londres quando por cá decorriam vários processos contra ele.

A sua prisão, muitos anos depois das acções interpostas pela Justiça, é importante pois não podem famosos e poderosos continuar sem condenação a circular à vontade por´onde lhes apetece. A credibilidade da Justiça assim o exige.

A prisão de Vale e Azevedo é também um sinal sobre a irracionalidade, tradicional, do mundo do futebol. Onde os adeptos ligam pouco a quem comanda os seus clubes, desde que ganhem troféus ou façam determinado tipo de discursos. O mundo do futebol também precisa de ser honesto e credível.

segunda-feira, 12 de novembro de 2012

Guerra «do poder ao mais alto nível» em Portugal contra Angola

O «Jornal de Angola único diário angolano e jornal oficial do regime», como diz esta notícia do Público, faz um editorial contra as investigações noticiadas pelo Expresso a «heróis nacionais» desse País dizendo que é um ataque do «poder ao mais alto nível em Portugal».

Pois bem, não sinto nada do «poder ao mais alto nível em Portugal» contra o capital angolano, bem pelo contrário. Esses empresários para lá das compras que fazem para o seu património e usufruto pessoal, estão a comprar tudo o que querem em Portugal, detendo participações significativas em áreas como telecomunicações, banca, energia e media.

Logo, o editorial desse jornal devia centrar-se apenas no contra-ataque aos mecanismos da Justiça, que decidiu investigar essas pessoas. De resto, «o poder ao mais alto nível em Portugal» come à mesa de Angola.

O factor Franky Vercauteren

Nenhum sportinguista gosta de viver os problemas que o clube enfrenta actualmente. Gosta de vitórias, de títulos, de estar com a alma alegre.

A vitória de ontem não apaga os problemas existentes, eles continuam lá, mas dá uma injecção de moral aos adeptos que se encontravam à beira da depressão.

Vencer o Braga, para mim, é natural e uma obrigação, não é motivo de festejo sensacional. É assim a ordem natural das coisas quando um Grande, muito Grande, como o Sporting é, enfrenta uma colectividade mais pequena.

Aliás, foi de mestre terem levado o sr. António Salvador, antes do jogo, ao Museu do Sporting para o empreiteiro, que é um bom presidente, diga-se, mas deslumbrado como um novo-rico, ficar a conhecer bem o que é a grandeza e a história de um clube Grande.

E deixo nota positiva a Franky Vercauteren. As melhorias que se sentem são trabalho dele. A equipa estava um caos e mal preparada, mas as suas mudanças cirúrgicas (sem receio de apostar na equipa B, como no caso de Eric Dier e Esgaio no banco) e o seu discurso racional e tranquilo de quem é uma raposa no futebol podem ajudar a que se atinja o objectivo da Champions. Ontem, foi um momento de optimismo, esperemos que assim continue.

Tudo dito sobre o caso Isabel Jonet

Basta ler aqui o que a Alda Telles escreveu e subscrevo.

domingo, 11 de novembro de 2012

As camas que desfazem carreiras

Nos Estados Unidos foram muitas carreiras políticas que já terminaram por adultério. O carácter e a honra são algo que os eleitores gostam de ver impolutos. Se há uma imagem familiar construída - sempre um alicerce importante na comunicação política como se pôde ver com as mulheres de Obama e Romney muito recentemente - o adultério mancha inapelavelmente essa personagem.

Por vezes há excessos e fundamentalismos a mais, mas as camas continuam a desfazer carreiras. Agora foi David Petraeus, o general mais unânime após Eisenhower. Mantém a relação extra-conjugal desde 2006, mas só agora se soube. Talvez porque nunca desmentiu uma possível corrida presidencial em 2016.

sábado, 10 de novembro de 2012

O video do prof. Marcelo

Leio esta notícia e, sinceramente, estou-me marimbando para mais esta enorme e gravíssima crise nacional e nefasta para o orgulho patrioteiro de um bando de marialvas nas redes sociais.

O filme do prof. Marcelo é mais um episódio ridículo de quem se tornou um bobo da corte e é pena. Como candidato a Lisboa foi uma nódoa, como líder do PSD foi uma desgraça. Marcelo faz as suas mariolices de politiquinha na tv para gáudio de um País inculto e que lê pouco.

O que desejo ao prof. Marcelo é que vá entreter apenas a família e que não me chateie.

Já não há pedófilos no caso Casa Pia

Foram milhares de páginas de processo, milhares de horas de inquirição, milhares de páginas de jornais, milhares de horas de televisão e afinal agora chega-se à conclusão, ou não, que leio por aqui, que não havia pedófilos. Isto tudo é uma vergonha nacional.

Como se faz um ícone pop

Qualquer ícone pop é um fenómeno de comunicação, espreite por aqui os passos para a criação de uma estrela.

sexta-feira, 9 de novembro de 2012

Shakespeare escreveria hoje para a HBO?

Uma interrogação engraçada colocada aqui pelo El Pais no sábado passado. O mundo das séries continua a ser, actualmente, muito mais interessante em termos narrativos do que o cinema.

«Cada plano de Mad Men é uma fotografia de capa», diz Jorge Carrion, autor de um livro que recomendo "Teleshakespeare", para os apreciadores de séries de tv.

As lágrimas de Barack Obama

Comunicação política é saber relacionar um candidato com os seus eleitores e jogar com as suas emoções. Depois do abraço a Michelle, agora vêm as lágrimas de Barack Obama. Em termos imagéticos Obama é poderoso, falta mostrar resultados a uma presidência pífia.

quinta-feira, 8 de novembro de 2012

James Bond - Skyfall

Sou fanático do agente mais conhecido e menos secreto do mundo. Já vi todos os seus filmes mais de uma vez e tenho-os todos. Ontem, fui ver o último e que comemora os 50 anos da série.

Começo pelo mau. Javier Bardem exagera um bocadinho como vilão, tornando-se quase grotesco, e faltam "bond girls" no filme, que trazem sempre charme. As de Skyfall não ficam minimamente na "memorabilia" de Bond.

Daniel Craig faz o seu terceiro filme e dois deles são dos melhores de todo o universo Bond. "Casino Royale" e "Skyfall". Neste celebram-se, como já disse, os seus 50 anos. E regressam duas figuras lendárias: Miss Moneypenny e Q. E assistimos a um novo M, Ralph Fiennes, que mostram que as aventuras de Bond estão aí para muitos anos.

Sam Mendes é um grande realizador e trouxe para este filme um dos seus companheiros habituais: Thomas Newman, um dos maiores e melhores autores de bandas sonoras de Hollywood, como o provam "American beauty", "Road to Perdition" e "Revolutionary Road", por exemplo, todos filmes com carimbo de Mendes.

Este é um Bond com outra profundidade dramática, já assim o é desde "Casino Royale", onde temos uma das melhores "Bond girls" de sempre, Eva Green, no papel da mulher por quem Bond se apaixona, Vesper Lynd. Bond evoluiu da "macheza" de Sean Connery e do charme de Roger Moore, para uma personagem complexa que Daniel Craig, excelente actor, interpreta bem.

Este é o filme onde regressamos às origens de Bond, à sua família (imagens fantásticas da Escócia) e onde o agente perde na casa da família a sua segunda  mãe, M (Judi Dench). Bond é um homem solitário, quase normal. E todo o filme é isso, um bom trabalho de actores.

Depois está lá tudo o que importa de Bond: uma das melhores perseguições da história da saga, a das motas nos telhados de Istambul, o combate em cima do comboio, um genérico e uma música de Adele fabulosos.

E Bond, para lá daquelas imagens de Xangai e de barco no mar, à noite, em Macau, geniais, volta a Londres. Mas não a magia actual da cidade, mas a cidade dos subterrâneos, obscura como o novo Bond é. E voltam as bandeiras da Grâ-Bretanha, tantas como nunca se viram em anteriores filmes. Bond regressou às suas origens, num mundo onde já não são outras nações os inimigos, mas apenas homens. 007 volta ao serviço e tem muito para fazer. Mais 50 anos de trabalho pela frente, como os fâs desejam.


A imagem mais popular no Facebook

É esta. Apenas um abraço.

quarta-feira, 7 de novembro de 2012

Rescaldo das eleições americanas

Seria histórico se Mitt Romney ganhasse, pois são poucos os presidentes que não conseguem a reeleição. Obama tinha as eleições ganhas até ao momento do primeiro debate. Aí, num dia mau, abriu a porta a um ressurgimento de um candidato que estava a marcar a campanha com diversas "gaffes!.

Depois, o furacão Sandy ajudou, pois num momento de crise ressalta a imagem presidencial e Romney ficou sem campanha durante três dias. Nenhum dos dois candidatos me encheu as medidas, considero fracos.

Mas a vitória de Obama prova, mais uma vez, que os americanos preferem a simpatia à eficácia, pois Romney nunca conseguiu passar a imagem de ser um tipo com quem jogamos basquetebol ou bebemos uma cerveja. Karl Rove tentou "recentrar" o discurso de Romney, mas como vimos nos "swing states" não conseguiu dar a volta.

Não sei como serão os próximos quatro anos de Obama, mas no debate sobre política internacional nunca se falou da NATO e muito menos de política europeia. Sendo assim, a América fica centrada em si e não ajudará a reerguer uma Europa em crise. Isso é mau para Portugal.

segunda-feira, 5 de novembro de 2012

A cultura e a religião na actualidade

«A cultura deveria preencher o vazio que a religião ocupava outrora. Mas é impossível que isso aconteça se a cultura, atraiçoando essa responsabilidade, se orienta decididamente para a facilidade, evita os problemas mais urgentes e se torna mero entretenimento»

Mario Vargas Llosa, " A Civilização do Espectáculo", Quetzal

O intelectual na civilização do espectáculo

«Na civilização do espectáculo, o intelectual só interessa se seguir o jogo na moda e se se tornar um bobo da corte»

Mario Vargas Llosa, "A civilização do espectáculo", Quetzal

domingo, 4 de novembro de 2012

Furacão Sandy e as alterações climáticas

Recomendo leitura deste artigo onde se fala do perigo do Homem continuar alheio às alterações climáticas.

A ditadura de Manuela Ferreira Leite

Já foi infeliz uma vez, volta a sê-lo com estas declarações. Manuela Ferreira Leite fala das dificuldades da democracia, mas apesar dos seus problemas é o regime da liberdade. Ditadura nunca mais.

sexta-feira, 2 de novembro de 2012

O cinema e os presidentes da América

Um texto e galeria interessante, do El Pais, sobre alguns dos presidentes americanos no cinema.

quarta-feira, 31 de outubro de 2012

O estranho caso de Fernando "Taveira" Ulrich

Já ontem no meu mural do facebook achei estranho a influência que os filmes de Tomás Taveira têm sobre banqueiros. O presidente do BPI falou em «aguenta, aguenta» sobre a capacidade dos portugueses suportarem mais austeridade.

O que ele não sabe é que há declarações que enfurecem os portugueses que estão fartos de austeridade. Após as suas declarações, logo surgiram movimentos nas redes sociais a defender boicotes ao seu banco e até a levantar-se o dinheiro do mesmo.

Hoje, em dia, com a comunicação que se globalizou e proletarizou, todos têm direito e liberdade para se exprimirem. E muitos decisores ainda não perceberam que têm de ter um cuidado suplementar com as afirmações que fazem, correndo assim o risco de que a mesmas se tornem uma crise de comunicação para as suas Marcas.

Guerra das Estrelas terá mais 3 filmes

Uma boa notícia para os fâs da saga criada por George Lucas, que vendeu a produtora  Lucas Film à Walt Disney, como pode ver aqui. "Star Wars" é uma saga que bateu recordes de bilheteira por todo o mundo, que deixou personagens míticas e que continuará a ser uma galinha dos ovos de ouro. Alegrem-se as plateias.

terça-feira, 30 de outubro de 2012

Máscaras de Halloween são sondagem na América

Na América leva-se a sério a popularidade de venda de máscaras com os candidatos presidenciais, como se pode ler aqui. Só na América,

O teclado de Vitor Gaspar

«Gaspar escreve devagarinho no portátil apenas com os dois dedos indicadores. Achei que vocês gostariam de saber isto», diz a minha amiga Ana Catarina Santos, da TSF, no twitter.

Empresas não estão preparadas para crises nas redes sociais

Segundo o que podem ler aqui. E o estudo constata meramente a realidade.

segunda-feira, 29 de outubro de 2012

Bento XVI e Pedro Passos Coelho

O nosso primeiro-ministro defende a emigração para os que têm falta de oportunidades. Bento XVI, que não deve conhecer as palavras de Pedro Passos Coelho, como poderão ler aqui, defende o direito a não emigrar. Deve ser um conflito entre a terra e o céu sem solução à vista.

Quando Madonna é vaiada em palco

Ter uma estrela a fazer de cabo eleitoral numa eleição é um trunfo na comunicação política. Bruce Springsteen e Madonna apoiam Barack Obama nos concertos. É raro uma diva ser vaiada em palco. Pode ver por aqui o momento em que isso aconteceu em New Orleans, ao pedir para votarem em Barack Obama. Um sinal de que as coisas estão renhidas por lá.

A vitória de Lula em São Paulo

O PT meteu todas as fichas na escolha do "prefeito" de São Paulo, a maior cidade do Brasil. Lula chegou a dizer que foi a campanha mais difícil da sua vida e as coisas estavam tão difíceis que Dilma só nos últimos dias da 1ª volta se associou à mesma.

Fernando Haddad estava muito em baixo nas sondagens quando arrancou, a sua vitória de ontem sobre José Serra é uma enorme vitória de Lula que expôs todo o seu carisma e popularidade para a ganhar. Haddad é assim o político do futuro do PT, com a benção de Lula e Dilma.

domingo, 28 de outubro de 2012

Amália

Não sou particularmente adepto de fado nem de festivais musicais. Mas um dos melhores concertos que vi na vida foi o dos 50 anos de carreira de Amália Rodrigues, no Coliseu.

Ali, para lá da voz, música e palavras, vi de perto o seu carisma, senti a sua alma e a força de uma diva. Amália é uma bandeira portuguesa, reconhecida em todo o mundo. Tudo o que continue, com qualidade, a preservar a sua memória e a sua marca é de saudar. Por isso saúdo esta notícia, com mais um livro sobre a sua carreira e vida.

sábado, 27 de outubro de 2012

Escuta a Passos Coelho é crime da Justiça e do Publico

Miguel Sousa Tavares bem faz notar hoje no Expresso as brincadeiras da Justiça e do Público. Qualquer jornal que ponha que um político seja escutado, sabe perfeitamente que isso levanta dúvidas sobre o seu carácter e honorabilidade. A chamada não é nada, é apenas para tentar manchar Pedro Passos Coelho que neste caso está impoluto. É uma vergonha para a Justiça e para um jornal que está sem rumo.

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

A ditadura informativa da China

Para ler por aqui, como um regime verdadeiramente capitalista continua a controlar e a vetar informação como ditadura que sempre foi.

A diferença entre informar e comunicar

Apliquem a empresas ou a vocês mesmos, um artigo muito interessante.

quinta-feira, 25 de outubro de 2012

A saída da AR de Francisco Louçã

Só uma nota: eu não tenho especial simpatia por Francisco Louçã e por vezes tornava-se um cansativo pregador. Mas era um parlamentar importante e criativo, significativo para a democraticidade do nosso parlamento. Por isso, é a nossa política que perde com o seu abandono.

A entrevista de Godinho Lopes e uma sugestão construtiva

Como habitualmente, tento ser justo nos meus comentários. Sobre a entrevista de Godinho Lopes, ontem, a Fátima Campos Ferreira farei duas análises: a técnica e a de sportinguista.

Tecnicamente, foi num momento certo, numa fase muito conturbada do clube, algo que o presidente reconheceu ser natural pois houve muita especulação, decorrente da indefinição sobre o treinador e modelo a seguir. Godinho Lopes foi treinado, bastava ver certos pormenores, mas muitas vezes saiu da pré-agenda definida pela agência de comunicação que o acompanha, por força da contundência da entrevistadora.

 Mas, globalmente, foi eficaz, sobretudo para muita gente que se encontrava desmotivada e desolada com o seu consulado, não sendo uma grande entrevista pois houve várias cambalhotas e revoluções que para os mais atentos chegam a chocar. Estancou muitas perdas de confiança da parte dos adeptos e associados. Tem de rever uma postura, mas puramente de técnica de comunicação, algo que a maior parte das pessoas não está habilitada para comentar, pois nunca trabalharam em comunicação: quando aguarda as perguntas, não se chegue para trás na cadeira e olhe de cima para baixo, pois é um misto de sobranceria e desconfiança. A comunicação não é apenas evidências e factos, tem variáveis que derivam da linguagem corporal e do campo do subliminar, mas isto é crítica construtiva e pode melhorar.

Agora, vamos à análise dos temas que mais interessam aos sportinguistas:

Regime presidencialista - Foi uma das novidades da noite. Quantas vezes. e há quanto tempo,  aqui escrevi para os que acompanham o meu blog regularmente, que o Sporting «precisa de um modelo presidencialista à João Rocha»? Godinho muda a sua maneira de dirigir o clube, isso é positivo. Mas tem dois problemas: 1- Não nos podemos esquecer que o projecto que foi sufragado em eleições não era este, apresentou um elenco de "estrelas" que já foi embora e demorou ano e meio a perceber uma evidência; 2- Não basta falar em «regime presidencialista», pois para termos esse regime temos de ter um líder, uma pessoa com essas características inatas e não sei, pela percepção que dá, que GL as tenha.

Fracasso no modelo do futebol profissional- Assumiu o fracasso na gestão do futebol profissional, quando tantas vezes muitos escreveram que havia dois Sportings: O clube e o da SAD, dois quintais que funcionavam desligados, logo, não funcionavam bem. GL inverte esta opção, assumindo o futebol. Tem um problema: não percebe nada de futebol e quem escolheu para a SAD e futebol também não (já darei sugestão construtiva sobre este tema).

O ADN da formação - Todos já sabemos que é a nossa jóia da coroa. GL diz agora que será essa a prioridade. Porém, em ano e meio comprou 24 jogadores e foram gastos 60 milhões de euros. Quem paga a irresponsabilidade desta opção? Sem esquecer que já muitos passes de jovens jogadores não pertencem ao Sporting mas a fundos sem rosto.

O treinador- Reconheceu que Scolari era o seu treinador, algo que já tinha escrito e era verdadeiro. Não chegou a acordo porque exigiu 2 a 3 milhões de garantias para assinar, esqueceu-se de dizer isso. Anunciou o Franky Vercauteren, que foi o único que aceitou assinar até ao final da época, pois Freitas deixou outro treinador contratado para a próxima e por isso não veio Ernesto Valverde, que não aceitou a duração do contrato. Mas a partir deste momento, Vercauteren, é o melhor treinador do mundo, porque é nosso, e temos de apoiar.

Investidores- Como ontem escrevi, infelizmente, não há investidores. Por isso deixaram de ser prioridade. GL referiu-se a muitos dos opinion-makers na imprensa e televisão que falam do Sporting e que prejudicam a vinda de investidores. Devia estar a referir-se a Rui Paulo Figueiredo que falou de gestão catastrófica de 70 milhões da SAD, em Almoçageme, e veio nos jornais, de João Pedro Varandas que vê um microfone e excita-se (ambos da sua direcção e que terá de mandar calar), e adiversos elementos da AG, do Conselho Leonino e ex-presidentes que todos os dias falam. Mas também não se pode esquecer que um mês para apresentar treinador leva a uma situação de indefinição que nenhum investidor deseja.

Por último, já vai longo, uma sugestão construtiva: para a SAD e futebol, GL que vai assumir a pasta, escolheu 3 pessoas sem vivência, conhecimento e percepção do que é  mundo do futebol. Como ontem referi, de Borges Rodrigues não falo, pois não conheço, mas não é do futebol; Silva e Costa, mais um elemento da Maçonaria, é um nome impronunciável, estão na SAD. Para director do futebol, é assim que está no site do clube, escolheu o Paulo Farinha Alves. GL ontem retrocedeu, depois das críticas justas que constatou serem verdadeiras, e referiu que ele não vai ficar com o futebol, mas sim «em questões de organização e contratos». Ora, nestas duas vertentes, o Paulo é competente pois é um magnífico advogado. Sendo assim, falta um homem de confiança para o futebol, que conheça o mercado, agentes, jogadores e organização.

O Sporting tem nos seus quadros a solução ideal para o futebol, e que muitos dizem que foi o melhor profissional que entrou nesta gestão de GL, nos seus quadros. O Paulo Menezes, director de scouting internacional, para lá de sportinguista, tem toda a competência nesta área, sempre fez o trabalho de campo de Carlos Freitas, conhece de trás para a frente o mercado de jogadores e agentes FIFA, não se deixa enganar por amadores, é muito discreto, quase não fala, conhece os activos do clube. Não o digo só por ser amigo dele há 20 anos, é porque é mesmo bom. Tem detectado jogadores importantes, conhece a gestão e organização dos melhores clubes do mundo, conhece os tempos de comunicação, pois foi jornalista e editor de dois jornais, e trabalha com profissionalismo e paixão pelo clube. Basta GL falar com ele, aqui fica a minha sugestão construtiva, mais uma, desta vez para o futebol.