quarta-feira, 9 de março de 2011

Cavaco esqueceu-se

Rezam as crónicas que Cavaco Silva foi muito duro no seu discurso de tomada de posse. Dividiu o país político e a esquerda não aplaudiu.

Cavaco fez diagnósticos mas esqueceu-se que foi conivente nos últimos cinco anos com o actual estado de coisas, refém de um tacticismo que tinha por objectivo reeleger-se.

Cavaco, hoje, teve a tentação de se vingar da campanha do BPN nas presidenciais e de agradar aos portugueses fartos de austeridade, gasolina cara e depressão imposta pela crise internacional.

Cavaco afirmou numa noite de Janeiro que seria o Presidente de todos os portugueses. Não foi, não é e ficou provado que não será.

Cão que ladra não morde. Cavaco ladrou muito alto e acordou consciências, mas campeão do valor da estabilidade não acredito que vá morder.

Sem comentários:

Publicar um comentário