sábado, 12 de março de 2011

Santana com movimento político (2) - Diferenças

Deixo esta nota da entrevista de Pedro Santana Lopes ao I que me parece interessante.

PSL ao defender até a presença do PCP no Governo num Governo de unidade nacional explica porquê: «O PCP é essencial por causa da questão da produtividade, das forças sindicais. O modelo para Portugal é o modelo da Autoeuropa minhas senhoras, não tenham dúvidas. Prémios, aumentos de salário indexados ao aumento e à melhoria da produtividade. Este é o caminho. A evolução dos custos unitários de trabalho, em comparação com a Alemanha, é como se a nossa moeda tivesse valorizado 30% nos últimos dez anos. Isso é insuportável, incomportável, aliado à dívida»

«Por isso, nesse ponto concordo com Pedro Passos Coelho. Extinção de empresas públicas, institutos públicos, privatizar, concessionar. Não em todas as áreas. No Serviço nacional de Saúde não. Na educação sim. Porquê? Tem a ver com os bens principais da vida. A saúde é um bem primeiro e eu aí não tolero que o Estado se demita, nem saia»

«Eu defendo a existência de um banco público (CGD). Também não defendo a extinção da RTP. Aí, temos diferenças»

Sem comentários:

Publicar um comentário