quinta-feira, 30 de agosto de 2012

Quatro notas sobre a Convenção Republicana

1- Para os partidos americanos, uma Convenção é uma das alavancas para se subir nas sondagens. Mas é também uma festa onde cada um dos estados se faz representar, mostrando algumas das suas imagens tradicionais. O queijo, os chapéus de cowboy, os colares havaianos são alguns dos adereços dos delegados.

2- A forma como se prestam os tributos a figuras do partido. Ontem foi a Ron Paul, um Republicano que nunca foi um Republicano típico. Uma hstória contada como se de uma cerimónia dos Óscares se tratasse. Com política, mas com entretenimento.

3- Como se tirou o efeito da aparição de George W. Bush. Os ex-presidentes vivos habitualmente falam nestes eventos. W. Bush ainda é muito impopular, então, para disfarçarem o seu peso, puseram-no num vídeo ao lado do seu pai, que é um homem muito respeitado e ex-presidente também. E ainda misturaram com depoimentos de apoio a Romney as respectivas esposas. W. Bush sozinho seria fraco, aparecendo ao lado do pai foi um momento magnífico.

4- A mulher de Romney deu show, e na América contam as mulheres dos políticos. Mas Mitt não consegue electrizar ninguém. Paul Ryan foi efectivamente uma grande escolha para vice, ele é o adorado da actualidade Republicana e ontem o dia foi todo dele.

Sem comentários:

Publicar um comentário