segunda-feira, 20 de janeiro de 2014

A obsessão de Marcelo

Há uns anos atrás, Nicolas Sarkozy dizia que pensava muito mais do que 5 vezes por dia na possibilidade de ser candidato presidencial em França. E foi.

Marcelo Rebelo de Sousa tem a mesma obsessão há anos, só não sei é se chega lá. A sua vida política é um misto da sua personalidade: hipocondríaco, jogos florentinos e instabilidade psicológica diária, que o levaram, ao fim e ao cabo, a ser um mito com pés de barro.

Pela sua obsessão, Marcelo que é um snob, é obrigado a vestir o fato de "popularucho" nas suas prédicas dominicais. É um catavento, um Rasputine sem barba, que muitas vezes diz o que não sabe e engana-se.

Ao contrário do que disse ontem, Marcelo fará tudo para ser candidato e só não o será pelas suas fragilidades psicológicas habituais. Na história do sapo e do escorpião, ele é o escorpião. De si próprio.

Sem comentários:

Publicar um comentário