quarta-feira, 26 de fevereiro de 2014

Rui Moreira a desiludir e será um case-study do vazio

Rui Moreira ganhou o Porto à conta de quatro factores: 1- Ser independente; 2- Notoriedade obtida em programas e com artigos em jornais sobre futebol; 3- Congregar a elite económica e notáveis do Porto; 4- Ser um amigo, e em contraste com Rui Rio, das artes e da cultura. Então vamos à análise:

1- Independente. Rui Moreira andou durante anos a querer ser candidato a qualquer coisa. foi hipótese para CDS e PSD, mas como nunca ninguém o convidou, agora, avançou como independente, aproveitando a onda negativa contra políticos profissionais oriundos de partidos.

2- Ligação ao futebol. Representou o Porto em vários programas televisivos, escrevia na Bola às sextas. Deixou de o fazer e bem. Mas a ligação emocional com os adeptos do clube da cidade estava estabelecida.

3. Os notáveis do Porto. Criou a imagem que reunia a elite e os decisores. Em muito pouco tempo, Daniel Bessa, ex-ministro do PS e seu número 1 na Assembleia Municipal, um trunfo de peso, bateu a porta com estrondo e sem explicar porque o abandonou ainda quando aquecia o lugar.

4. O amigo das artes e da cultura. Vendeu essa imagem, contrastando com Rui Rio que tem orgasmos com números e contabilidade. No Prós e Contras dedicado, há pouco tempo, a ele, em que tinha a única cadeira ao lado de Fátima Campos ferreira, voltou a esboçar que a cultura era uma das suas prioridades. Pois bem, hoje soubemos que não vai haver outra vez feira do livro no Porto. Algo que lamento.

Podem organizar artiguinhos na Sábado para dizer que ele ouve as pessoas, o tempo escreverá com letras certas o que se tornará um case-study de vazio. Vale a aposta?

Sem comentários:

Publicar um comentário