quinta-feira, 4 de setembro de 2014

Duas notas sobre Hélder Rosalino na administração do Banco de Portugal

1- Mais um caso exemplar em como dá imenso jeito passar pelo Governo, obter informação valiosa, ganhar notoriedade e a seguir já se tem a vidinha tratada.

2- O que me deixou surpreendido na notícia, foi o facto de não ter sido Marques Mendes a dar a "cacha". Ele que se tornou a Maya da política e oráculo do regime.

Sem comentários:

Publicar um comentário