quarta-feira, 3 de julho de 2013

A morte de uma classe política medíocre

Ontem, no meu facebook, comentei o manicómio em que vivíamos. Em dois dias de briefing, essa "grande manobra" de comunicação do Governo, caíram os dois mais importantes ministros. Vitor Gaspar e Paulo Portas.

Insano, e sinal dessa ópera bufa que atravessamos, foi ver o triste espectáculo de Cavaco Silva dar posse a uma ministra que nem o devia ser, como se nada se passasse, como se não visse que este Governo não tem vida, está morto.

Foram brincadeiras perigosas a mais de quem se vê hoje que não é estadista. O definhamento das lideranças é um pobre sinal das democracias contemporâneas. Mais grave é que Cavaco tudo consente, a tudo diz sim, porque perdeu o controlo.

A classe política portuguesa está completamente descredibilizada e moribunda, os seus profissionais da política que andam pelo Governo e autarquias deviam levar um cartão vermelho. A política é uma nobre arte que serve para melhorar a vida das pessoas e da comunidade. Com estes tipos não vamos lá.

Sem comentários:

Publicar um comentário