quarta-feira, 3 de julho de 2013

Comunicação, briefings e Governo por quem sabe

«Coordenar a Comunicação de um Governo, sobretudo em momentos de Crise, é das tarefas mais difíceis que existem ao cimo da terra. Tenho a maior compreensão pelas pessoas que desempenham essas tarefas.
Dito isto, invoco a minha qualidade de profissional veterano para dizer que é absolutamente surreal colocar a desempenhar essas tarefas pessoas que não têm qualquer experiência nesse tipo de tarefas....
As pessoas foram escolhidas porque razões? Porque aparecem a fazer comentários na TV? Porque escrevem bem em blogues? Porque dão conferências engraçadas, interessantes e motivadoras?
Refiro-me a pessoas que não possuem a mínima das experiências, a mínima das características para as funções que foram chamadas a desempenhar (e que, adicionalmente, devem ter o ego do tamanho da lua porque não se dão conta das suas limitações).
Chamo a atenção para este assunto apenas porque os mesmos “critérios” de escolha parecem ter estado na origem dos convites para várias pastas do Governo.
Por exemplo, o ministro das Finanças que acaba de sair reconhecendo que falhou em toda a linha tinha alguma experiência profissional, real, concreta que o indicasse para as tarefas que desempenhou? E o ministro da Economia, tem alguma experiência empresarial? E por aí fora.
Quem seleccionou a equipa de Governo deve supor que os treinadores desempregados que comentam os jogos da SportTV são os melhores treinadores do mundo»
 
Luis Paixão Martins - retirado do seu mural no facebook

Sem comentários:

Publicar um comentário