sexta-feira, 9 de abril de 2010

Emídio Rangel

Vi diversas reacções plenamente bem elaboradas sobre a performance de Emídio Rangel no Parlamento. rangel portou-se como uma semente do ódio tentando tornar-se "spin doctor" de Sócrates.

Para desviar as atenções de algo que qualquer formiga já percebeu, desatou a atacar a Justiça (algo que terá de ser acompanhado) e as agências de comunicação.

Como jornalista uma das suas obrigações é tentar falar verdade, por isso se sabe algo devia denunciar as más práticas que falou, se não devia estar caladinho.

Não me esqueço do papel de Rangel na televisão em Portugal. Não me esqueço também que foi ele a lançar Sócrates tanto na SIC como na RTP, juntando-o a paineis de comentadores.

E não me esqueço que na RTP-N e ao sábado no "Correio da Manhã» tem-se revelado mais socratista do que o próprio Sócrates.

Se lançou aleivosias, também me posso dar ao luxo de perguntar a Rangel se esta defesa acirrada que faz de Sócrates é de consciência ou se será a troco de algo.

Rangel quis vestir a pele de D. Quixote de uma causa perdida, virou apenas cavaleiro de triste figura.

Sem comentários:

Publicar um comentário