terça-feira, 26 de julho de 2011

29 sanitas

O título chama a atenção, não chama? Mas é que vou mesmo falar do título.

Por motivos profissionais assisto a reuniões de câmaras. Às vezes é uma chatice, mas na generalidade agrada-me a gestão autárquica e o que a política pode fazer pelos cidadãos.

Como os meios de comunicação social têm menos recursos, a atenção por eles dispendida com estas problemáticas é menor e assim vão perdendo histórias que davam belas peças jornalísticas.

Há uns tempos atrás, um cavalheiro, numa reunião pública da CML, foi denunciar um problema. Era inquilino da Gebalis, pediu uma transferência de casa com justificação legal e a Gebalis assentiu.

O cavalheiro estava agradecido, o tom era simpático da intervenção, mas irónico. É que havia um novo problema com a nova casa que o obrigou a explodir: «o que faço com 29 sanitas em casa?».

Pois, deve ter havido um problema de comunicação e a única casa disponível era o armazém das sanitas da empresa municipal. Que bela peça jornalística que isto dava.

Sem comentários:

Publicar um comentário