sexta-feira, 8 de julho de 2011

Em estado de choque

Fiquei completamente surpreendido com a muito triste notícia da morte do Diogo Vasconcelos, homem das telecomunicações e que foi mandatário digital de Cavaco Silva.

Gostava dele e ele também tinha simpatia por mim e era leitor deste blog como sempre me dizia, não gostava muito quando atacava o Presidente da República, o que era natural, mas ficou grato quando escrevi que um dos principais sinais de modernidade nas últimas presidenciais foi a escolha de um mandatário digital.

Parte aos 49 anos e ainda tinha muito a dar ao nosso país. É uma lamentável perda, tal como também a da Maria José Nogueira Pinto.

Conto uma história: em Novembro o actual presidente da Federação Académica do Porto, decidiu fazer umas jornadas Diogo vasconcelos, como homenagem ao primeiro presidente dessa Federação, o Diogo, e como símbolo de qualidade, competência e mérito, reconhecido em Portugal e além-fronteiras.

E pediu-me, pela minha boa relação, para o convidar se aceitava dar o seu nome a essas jornadas. O Diogo, com generosidade acedeu. Hoje, julgo que será justo que essas jornadas mantenham o seu nome para todo o sempre, seria uma excelente homenagem.

Sem comentários:

Publicar um comentário