quinta-feira, 31 de julho de 2014

O contraste no Banco de Portugal

A cada dia que passa, vemos bem a diferença e o contraste entre quem geria o Banco de Portugal. Carlos Costa desempenha o seu papel enquanto entidade supervisora, Vitor Constâncio fechou os olhos, fez que não viu nada. Um é bom, o outro foi medíocre.

Sem comentários:

Publicar um comentário