quarta-feira, 21 de setembro de 2016

A anatomia de um "hater"

Por certo muitas pessoas já apanharam nas suas redes sociais, indivíduos que aparecem a dizer mal de tudo e de todos, sem vos conhecerem de lado nenhum aparecem nos vossos murais também a criticar, habitualmente gente que escreve mal, que ninguém conhece de lado nenhum, que ao espreitarmos os seus murais vemos que pouca gente interage com elas.

Estes indivíduos são "haters", no seu corpo corre-lhes um veneno pérfido, a sua alma é obscura, a sua maneira de estar na vida é doentia. Algumas características são simples de detectar, por exemplo:

Quem gosta de futebol, gosta de ver um bom jogo com jogadores de qualidade. O "hater" não vê futebol, vê apenas os erros dos árbitros e disso faz a sua expressão.

Quem gosta de um programa de troca de ideias, de política por exemplo, quer ouvir gente bem preparada que consiga explicar bem aquilo que diz. O "hater" nem ouve, nem percebe nada do que dizem, mas aguarda na sombra, com a precisão de um assassino principal, o erro (que acontece quase sempre), qualquer que seja, para disparar em seguida.

Quem gosta de comprar revistas socias, gosta das fotografias, de conhecer mais na intimidade algumas pessoas mediáticas. O "hater" tem os olhos do lobo mau, saliva como o mesmo, nem vê o que lá vem, mas morde na primeira oportunidade de dizer mal.

O "hater", ao fim e ao cabo, é um infeliz, gostava de ser o que nunca será, não tem alegria no trabalho nem na sua vida pessoal, alimenta-se do ódio a pessoas que nem conhece. O problema é que há cada vez mais "haters", são resultado, também, de uma sociedade cada vez mais triste e solitária.

Sem comentários:

Publicar um comentário