segunda-feira, 4 de abril de 2011

A saída do Salvador da APECOM

Tenho estima pelo Salvador da Cunha, em 1995, quando comecei no jornalismo, ele era o editor de economia do Semanário e nas minhas primeiras duas semanas de trabalho ali convivi com ele, vendo o seu trabalho e a sua boa disposição, depois seguiu o seu caminho tornando-se empresário e criando um grupo que hoje é um dos maiores de Conselho em Comunicação.

Sempre separei o Salvador presidente da Lift, a quem, é público, desejo as maiores felicidades e o maior sucesso para a sua empresa, do Salvador presidente da APECOM.

Acho que este mandato não foi bom. Decidiu agora abandonar a APECOM (deixo o seu post onde publica a carta aos outros associados) e acho que fez bem.

Publicou estudos (que elogiei), criou os prémios Reputação (que eu muito contestei) e envolveu-se em guerras estéreis (com que não concordei). A APECOM com ele cresceu em número de empresas associadas, mas também com ele iriam sair várias como já começou a acontecer.

Neste mandato a APECOM (associação empresarial, não esqueçamos) perdeu força de representação do sector e deixou que associados se envolvessem em quezílias e ataques inacreditáveis e outros não associados fossem vítimas de pulhices por parte de seus associados.

A APECOM não é polícia nem juíz, mas assobiou para o ar e fez que nada viu. Isso, meus amigos, não se faz. No seio da sua organização devia pelo menos ter chamado a atenção dos prevaricadores.

Eu lancei um repto construtivo à APECOM, aguardei este tempo em silêncio como prometi. A APECOM nada disse e nada fez publicamente, mostrando apenas alguns a título privado a solidariedade contra certos vilipêndios, algo que agradeço e não esqueço.

Como escreveu a Virginia Coutinho, o Salvador teve a «sensatez de sair». Tenho a certeza, pelo que escreve, que continuará a ajudar no que puder a APECOM, dentro das suas limitações de tempo.

Defendo uma APECOM forte pois é importante para o nosso sector. Neste momento de alguma fragilidade, mas com futuro, tenho a certeza que a sensatez e experiência do Alexandre Cordeiro será importante para encontrar uma solução credível e de união para esta associação empresarial.

Deixo nota de esperança se o caminho for de credibilidade e de respeito por todos os players do sector.

Deixo uma nota de ainda maior esperança no caminho que a nova associação profissional dos consultores de comunicação, que em nada é incompatível com a APECOM, irá trilhar para o reconhecimento da nossa profissão e para o valor que damos aos trabalhos que fazemos.

Sem comentários:

Publicar um comentário