quinta-feira, 7 de abril de 2011

Virtudes Cardinais: uma questão de imagem

Um jogador de um clube grande, craque e bom profissional, é adepto de outro clube. Tem direito a ir ver jogos e a festejar vitórias desse outro clube?

Claro que sim. A liberdade é isso. Porém, deve apresentar-se na primeira linha da principal claque desse outro clube, rigorosamente equipado com as cores dele?

Não, isso pode, mas não deve. Um jogador representa um clube e uma marca, é pago por ela, é ídolo de milhares de seguidores, logo, em manifestações em prol de outro clube deve ser mais discreto, pois isso pode ofender muitos que o apreciam e festejam os seus golos.

O melhor jogador de futsal do Sporting, e seu máximo goleador, Cardinal, foi apanhado na primeira linha dos Super Dragões no jogo benfica-Porto.

E o que fez o Sporting e o jogador? O clube emitiu um comunicado a garantir o profissionalismo do mesmo e no mesmo comunicado, bem, o jogador penalizou-se e pediu desculpa pelo erro cometido prometendo brio e golos.

Se tivesse sido discreto, continuando adepto do seu FC Porto, nada disto teria acontecido. Pode ser o artilheiro do futsal, mas a sua imagem saiu danificada. Uma questão de imagem.

Sem comentários:

Publicar um comentário