sexta-feira, 23 de novembro de 2012

"Information is power" da VILT - resumo do Pedro Reis e Luis Paixão Martins

Realizou-se ontem no CCB a conferência "information is Power", organizada pela VILT. Para lá das apresentações da empresa, ouviram-se também intervenções da Open Text, do Banco de Espanha e Loterias y Apuestas de Espanha que versaram sobre as soluções e a inovação que a VILT, uma PME portuguesa, tem implementado com sucesso. Mas a abrir a mesma esteve o Pedro Reis, presidente da AICEP, e Luis Paixão Martins, fundador da LPM.

Pedro Reis - falou sobre a importãncia da internacionalização da economia portuguesa e sobretudo das PME`s e do seu trabalho de empreendedorismo que leva a que procurem novos mercado para mostrar as suas soluções e competências.
Valorizou o reconhecimento da qualidade dos quadros técnicos portugueses e como isso é reconhecido fora de portas. Fez um discurso optimista, de esperança, reconhecendo que não importa apenas às empresas portuguesas lutarem na base dos preços, mas sim na sua qualidade e a nível interno o sector público deve estar ao serviço das empresas, pois é nelas que se criam riqueza e postos de trabalho.
Mostrou a importãncia de focalizar a nossa oferta, escolher bem os mercados, falando da capacidade da VILT ter já excelentes clientes em Espanha e Brasil, dois mercados preferenciais.

Luis Paixão Martins - foi um momento de comunicação, como ele abriu a brincar, na conferência falou-se de prosa e ele ia falar de poesia. Chamou a atenção para o facto de haver menos audiências e menos leitores, menos jornalistas e mais consultores de comunicação.
Exibiu a falência do modelo do "gate-keeper, a partir do momento em que se democratizaram as plataformas que permitem a cada indivíduo estabelecer a comunicação, havendo nos actuais tempos uma autonomia comunicacional dos cidadãos, algo que não sucedia no passado.
Falou sobre os pais da disciplina de Relações Públicas e Conselho em Comunicação, Ivy Lee e Edward Bernays, com a preponderãncia actual da escola do segundo.
«O ciclo da notícia é cada vez mais curto e a vida é feita de episódios», disse.

Sem comentários:

Publicar um comentário