segunda-feira, 24 de março de 2014

Adolfo Suárez

Partiu ontem um dos grandes políticos da Espanha democrática. Ele, felipe Gonzalez e fraga Iribarne marcaram os primeiros passos do pós-franquismo. Eram três políticos de enorme craveira.

 Adolfo Suárez  aparentava a calma que dá solidez às decisões de gabinete, mas era um político ambicioso, que um dia largou a sua UCD para criar o CDS que não teve grande expressão.

Depois de perder a mulher e filha, ambas com cancro, atingiu-o o Alzheimer que nunca mais o lembrou do seu legado importante para a história de Espanha. A última recordação viva dele que tenho é a visita que o rei Juan Carlos lhe fez, o passeio no jardim do rei e do seu presidente de Governo, numa foto para a eternidade. Muito deve Espanha àqueles dois homens.

Sem comentários:

Publicar um comentário