sábado, 25 de setembro de 2010

Cultura e redes sociais

Lia ontem no suplemento de cultura do "El Mundo", o "El Cultural" que cada vez mais são os escritores que aproveitam o Facebook e Twitter para comunicar com os seus leitores.

A peça começava assim: «Tengo salmorejo para cenar, con jámon y huevo duro picado. Y son 21.15. Una poderosa razón para despedirme por hoy. Gracias y un abrazo». Quem escreve este bocadinho de reality show é Arturo Pérz-Reverte, murciano e um dos escritores espanhóis mais reconhecidos actualmente no mundo.

Na sua página comunica com os leitores, aconselha outros escritores a como afastar o pânico da página em branco, comenta as suas prefer~encias literárias e costuma fazer "teasers" com anedotas.

Vargas Llosa, Garcia Marquez ou james Ellroy (este até é ofensivo ás vezes para os fâs) também andam por ali.

Logo, os que criticam alguns por exponenciar os seus estados de alma nas redes sociais, agora com esta dos escritores devem parar para pensar.

Não é só passando os nossos textos ou comentando o mundo que convivemos com os que nos acompanham. É mostrar um pouco de nós, os nossos gostos, o que fazemos, as músicas que ouvimos que criamos e reforçamos laços. As redes sociais são redes pessoais e de convívio, e naturalmente uma forma de promoção. Até os escritores já perceberam isso.

Sem comentários:

Publicar um comentário