quinta-feira, 4 de abril de 2013

A saída de Miguel Relvas

Foi sempre o número 2 de Pedro Passos Coelho, construiu com o labor de uma formiga a sua ascensão à liderança do PSD e a Primeiro-Ministro. Foi sempre o seu braço-direito.

No Governo perdeu parte da sua influência para Vitor Gaspar e tornou-se, também muitas vezes por culpa própria, o saco de pancada preferido do mesmo.

Não sei como será o futuro proximo, mas teve outros motivos e momentos para apresentar a demissão, agora não percebo e não sei como vai ficar a coesão política deste Governo que vive com debilidade a ameaça de chumbo do Tribunal Constitucional.

É uma mudança de ciclo que se anunciava e a saída de Miguel Relvas acentuou esse caminho.

Sem comentários:

Publicar um comentário