segunda-feira, 30 de setembro de 2013

Balanço das Autárquicas

Ontem fui comentando no meu mural as incidências autárquicas, mas agora estamos em melhores condições de ver o filme de uma maneira global.

- Maior vitória de sempre do PS em autárquicas, vitória inquestionável de António José Seguro.

- Maior derrota e muito mais grave que a de Guterres em 2001, que o levou a abandonar o Governo, do PSD.

- PCP cresce e merece crescer ganhando Loures, Beja e Évora, e CDS também. O Bloco prova que é um partido de forte implantação nas redacções de jornais, mas ao qual os portugueses não atribuem qualquer credibilidade e foi dizimado.

-Rui Moreira foi um dos ganhadores da noite porque ganhou a segunda cidade mais importante e é um verdadeiro independente e não um daqueles trânsfugas de partidos, ressabiados por não terem sido escolhidos pelas direcções nacionais. E é importante que haja mais independentes como ele daqui a 4 anos.

-Depois registo uma derrota total dos directórios partidários, daquela gente que vive da política e não conhece o país real que escolhe o candidato que mais gosta e não o que é imposto pelos partidos.

-Grande contestação nos centros urbanos ao PSD. Dizimado em Lisboa, Porto, Oeiras, Gaia, Matosinhos, Gondomar, Loures, Amadora, mantendo vitórias em bastiões normais. E sem as grandes cidades e centros urbanos não há reformas, não há força para governar.

-No PSD dou o mérito a 4 homens: Ricardo Gonçalves (Santarém), Álvaro Amaro (Guarda), Ribau Esteves (Aveiro) e especialmente ao Ricardo Rio, com grande vitória em Braga.

-Na Madeira é claro o fim de ciclo de Alberto João Jardim, com o seu pior resultado de sempre.

Sem comentários:

Publicar um comentário