quinta-feira, 25 de novembro de 2010

O silêncio da APECOM

Gostava de saudar a APECOM pela realização de duas iniciativas:

A primeira, apesar das minhas críticas construtivas, a consecução dos Prémios Reputação que era um objectivo da Associação. Frisando, no entanto, que não sou candidato a nada pois não compro prémios nem assinaturas.

A segunda, o trabalho de análise conjuntural sobre o sector de Conselho em Comunicação que é um trabalho válido e que é importante para todas as empresas, as que estão dentro e fora da APECOM.

Mas há algo que tenho de pelo menos registar, pelo silêncio público da APECOM.

O Fernando Fonseca, com coragem, e sendo um franco-atirador sem ligações ou coligações e não sendo segurança de ninguém, denunciou dois casos de links patrocinados sobre duas agências que integram a APECOM (deixo este exemplo).

As vítimas da sabujice e "chica espertice" do costume foram a Ativism (que está no Conselho em Comunicação representada pela Pure na APECOM) e a Parceiros de Comunicação, empresa que desde há muito tempo tem uma postura muito profissional mas muito serena e resguardada no nosso mercado, opção própria da Susana Monteiro Machado.

Vão-me responder: é legítimo e não é ilegal qualquer pessoa fazer aquilo. Pois está bem.

Mas acham ético andar a brincar aos "chicos espertos" com outras pessoas e agências sérias do mercado?

Quando determinado indivíduo escreve todas as pulhices que o seu actual estado psiquiátrico lhe permite sobre outra pessoa ou empresa que não são da APECOM, esta associação respeitável nada fala e não é juíz nem tribunal. Muito bem. Eu registo. E não ESQUEÇO!

Quando uma empresa se mete com outras empresas, todas do mesmo sector, todas pertencentes à mesma associação, e ninguém nada diz já me parece mais estranho. E vão dizer, quase que adivinho: a Ativism e a Parceiros não apresentaram qualquer queixa. Pois sim, são empresas discretas, mas ninguém viu o triste espectáculo de falta de ética e os comentários nas redes sociais?

A APECOM só teve tempo para ver os Prémios e o estudo de conjuntura? Acha que o mercado é uma selva onde qualquer vigarista escreve e faz o que quer, sem ética, sem formação humana, sem respeito pelos outros colegas do mercado?

Por isso, é que quando me falam de certas coisas e de certas figuras mantenho o que diz o poeta: «o copo é pequeno, mas só bebo do meu copo».

Sem comentários:

Publicar um comentário