terça-feira, 21 de junho de 2011

Villas-Boas no Chelsea: Gestão de crise

É natural que Pinto da Costa esteja furioso, ainda ontem a RTP-N recordava as suas declarações a Fátima Campos Ferreira, convencido que o seu treinador, por amor ao Porto, mesmo que batessem os 15 milhões ficaria.

Villas-Boas sai e por esse motivo este é um momento de gestão de crise comunicacional. O Porto já passou todo o ónus da coisa para o jovem técnico. O Porto nada podia fazer com o "bater" da cláusula de rescisão, os adeptos no coração não perdoam a traição de mestre André.

Hoje, o CM faz primeira página com a segurança contratada por Villas-Boas para junto de sua casa. Mas aqui deixo uma nota no seguimento do post de ontem: o Jornal de Notícias, sob a batuta de Manuel Tavares, conseguiu a "cacha" do ano no mundo do futebol e está de parabéns por isso.

PS: E que sucessão agora? Pinto da Costa pode ter a tentação de convidar o adjuno, Vitor Pereira, para provar que qualquer um pode triunfar no Porto, pois o que conta é a sua organização e a sua sagacidade no campo das transferências; ou pode ter o golpe mortífero, e do seu agrado, de contratar Jorge Jesus; mas uma boa solução era ir buscar um dos melhores treinadores portugueses e que melhor pôs uma equipa a jogar futebol: José Peseiro.

Sem comentários:

Publicar um comentário