terça-feira, 3 de abril de 2012

A entrevista de Rui Paulo Figueiredo a A Bola

Tenho simpatia pelo Rui Paulo Figueiredo, por isso li a sua entrevista de duas páginas a A Bola. Ultrapassando a sua ligação á Maçonaria e a ter sido indicado como o espião de José Sócrates numa ida á ilha da Madeira, como indiquei na altura em que foi escolhido para ser responsável da comunicação, após a saída de Carlos Barbosa, o Rui Paulo Figueiredo percebe pouco de comunicação.

Não basta ser deputado, espião, maçon ou especialista a fazer dossiers sobre sócios sportinguistas (algo deplorável) para se saber de comunicação. E Rui Paulo Figueiredo, que é simpático, nunca trabalhou em comunicação na vida.

Desde que ficou com este pelouro, pois a directora de comunicação, como é sabido, não existe, Rui Paulo figueiredo aparece todas as semanas a falar e até a escrever textos no site do clube. Mas tem feito mal.

Às vezes criticam-se os timings de intervenção de alguns sportinguistas, pois que fique bem claro que qualquer adepto tem direito à sua opinião, ao contrário do que diz RPF na Bola, página 12.

Sobre timings, RPF aprenda o seguinte: nunca se sobrepõem diversas mensagens no próprio dia, isso causa ruído e torna difuso o que é importante, desfocando.

Hoje, Godinho Lopes dá uma entrevista na RTP. Logo a agenda mediática devia estar limpa de outras intervenções. Teria negociado a sua entrevista noutro dia, para não desfocar a mensagem que os sócios querem ouvir que é a do seu Presidente.

Hoje, ainda, uma notícia muito relevante. A negociação com a Câmara de Odivelas para que a equipa B, formação e modalidades amadoras ali possam desenvolver a sua actividade. Esta é uma notícia que seria forte com uma comunicação forte. Infelizmente, RPF não tem preparação para isto e a equipa que o acompanha, como todos já sabemos, infelizmente é medíocre.

Logo, 3 coisas ao mesmo tempo, no mesmo dia, e ainda com as atenções muito voltadas também para a Ucrânia. É excesso de ruído, é amadorismo comunicacional.

E, há pouco tempo, tinha acontecido outra assim. No mesmo dia, uma boa entrevista de Paulo Pereira Cristóvão no Record e, na Bola, no mesmo dia, repito, Ricardo Tomás falava sobre as modalidades. Aprendam a dosear a informação, a escolher o que é relevante, procurem um momento comunicacional importante por dia.

De resto, na entrevista de RPF, vemo-lo a falar sobre tudo: investidores, liderança, comercial, marketing, pavilhão e até do Canal Sporting como se o mandato estivesse a começar agora. Relembro que RPF é apenas vogal da direcção, mas fala de tudo sem ser especialista em nada. A não ser em Maçonaria.

Sem comentários:

Publicar um comentário