sexta-feira, 13 de abril de 2012

O caso Paulo Pereira Cristóvão

Paulo Pereira Cristóvão era actualmente o mais forte elemento desta direcção do Sporting. Era assim reconhecido e muita gente comentava que era ele quem detém mais poder em Alvalade. Por isso, o primeiro comentário que, ontem, fiz no meu mural do Facebook é que seria sempre um rombo para Godinho Lopes qualquer problema de PPC (como explicarei mais à frente).

O caso que o envolve é muito estranho, aguardo desenvolvimentos. Julgo, no entanto, que PPC procedeu eticamente bem ao pedir a suspensão do seu mandato para preservar o nome do Sporting. Desejo que tudo isto seja uma cabala, que se inocente e que possa voltar a servir o clube, se assim o entender.

Li muitos cenários e encenações. Deixo a nota que o jornalista que escreveu e desenvolveu a peça do DN, Carlos Rodrigues Lima, nada tem a ver com futebol, é sénior, sério e competente. E onde costuma actuar é na área da Justiça e polícias.

PPC é um homem que desperta alguns ódios, também nos rivais, mas deixou muitos inimigos na estrutura por onde passou, a Polícia Judiciária. E este é um caso que me parece mais um ajuste de contas do passado, do que qualquer manobra montada pelo sistema do futebol.

Agora, como é óbvio, foi aproveitada esta situação pelos rivas. Reparem, aliás tinha escrito sobre isso, nos dois dias a seguir ao derby, a colectividade da Luz teve forte foco de ataque mediático que, naturalmente, a desestabilizou. Era uma possível saída de Jorge Jesus para não desgastar a imagem do verdadeiro fracasso que tem sido Luis Filipe Vieira.

Pois durante dois dias só se falou dessa crise na Luz, o que era bom para o Sporting pois nos dava algum descanso e boa onda comunicacional. Mas com o caso PPC, repararam já, com certeza, que ontem e hoje desapareceu a crise no Benfica.

Mas o que releva salientar para o futuro é uma constatação muito simples. A direcção de Godinho Lopes é fraca e com a saída de PPC, temos de o dizer com justiça, e agarrando num exercício do João Nuno Rodrigues, a que acrescento as minhas impressões, fica desta maneira:

PRESIDENTE
Luiz Godinho Lopes

VICE-PRESIDENTES

.Aureliano Oliveira Neves, está na Fundação Sporting, mas julgo que poucos sportinguistas o conhecerão.

.Carlos Barbosa, saiu sem honra nem glória e não deixou saudades (o azul ainda está nas camisolas e ele disse que estava tudo resolvido em Janeiro, entre outras pérolas)

.José Nobre Guedes, a correia de transmissão do BES, uma nulidade que fica para a história como o vendedor de Liedson, acho que basta dizer isto...

.Paulo Pereira Cristóvão, neste momento também não está, suspendeu o mandato.

VOGAIS

.Ana Margarida Ulrich, a Daisy que ia tratar das mulheres e da juventude confesso que nunca lhe vi a cara e julgo que a maioria nunca lhe terá ouvido a voz.

.Duarte Nuno Galhardas, o homem nomeado por GL para a comissão de auditoria e que ao mesmo tempo era fiscal-único da Multi-Development, algo de gente que não conhece a história da mulher de César, está em Luanda e não em Portugal.

.João Pedro Varandas, é uma figura que fala muito e passa muita informação interna que devia ser sigilosa. Chamei-lhe, numa entrevista que concedi, o "mini-papagaio", pois trabalha no escritório do "super-papagaio", Rogério Alves. Elemento fraquíssimo.

.Pedro Cunha Ferreira, não está na direcção, é actualmente secretário-geral da SAD.

.Ricardo Henrique Tomás, é, para lá de ser do conselho de jurisdição do PSD, o responsável pelas modalidades, tendo a ajuda preciosa de um grande leão, Mário patrício, director-geral das mesmas e o mais conhecedor do nosso eclectismo.

.Rui Paulo Figueiredo, tendo a comunicação a seu cargo, está a falar todos os dias, menos ontem, o que devia evitar. E tem como especialidade a Maçonaria, onde gravita, e a execução de dossiers sobre sócios e adeptos do Sporting.

Portanto, com justiça, este é o quadro actual da direcção e é muito fraco. Custa dizê-lo, mas é a verdade.

Sem comentários:

Publicar um comentário