sábado, 21 de abril de 2012

Mais de 20 mil/mês em comunicação no Sporting


Confesso que estou chocado com a notícia do Correio da Manhã, que julgo ser totalmente verdadeira. Não pelos montantes em si, mas pela relação qualidade/preço pago pelo Sporting a quem trabalha mais directamente a comunicação do clube. Julgava que os montantes eram menores, mas estou chocado porque um dos mais fracos campos de actuação do Sporting é no universo mediático.

O Sporting não tem poder, não tem influência, e paga mais de 20 mil euros/mês na área da comunicação. Se os resultados fossem bons e a política de comunicação do clube fosse excelente, seria um bom investimento. Mas como, infelizmente, isso não acontece é dinheiro deitado à rua estupidmente.

Irene Palma - directora de comunicação do Sporting (contratada por Carlos Barbosa): 4 mil euros/mês.

Pedro Sousa - director de comunicação da SAD e só para o futebol (contratado por Luis Duque): 14 mil euros/mês.

Cunha Vaz & Associados - contratada por Godinho Lopes (mas aqui o preço é bom para o Sporting): 2500 euros/mês.

Primeira nota: o Sporting é o único clube do mundo onde o director de comunicação, no caso uma directora, ganha menos do que um outro elemento da comunicação do clube. É ridículo, mas como já disse tantas vezes, o Sporting continua a fazer caridade de 4 mil euros a uma pessoa que já não devia estar no clube pois não tem competência para isso.

Quanto ao Pedro Sousa, estimo-o, acho que tem feito um trabalho discreto e competente, mas, manifestamente, tem um salário exorbitante. E nesta lista ainda faltam muitos salários, pois o departamento de comunicação tem muito mais gente a trabalhar.

Num clube em dificuldades, há realidades que um líder tem de cortar a eito.

Sem comentários:

Publicar um comentário