quarta-feira, 26 de setembro de 2012

Sobre os cortes nas Fundações e as cigarras e formigas

Leio no Expresso que o Governo só fecha 4 Fundações e corta apenas 30 por cento nos subsídios a algumas delas.

É apenas um cheirinho a cortes para tentar agradar à plateia. Numa altura em que se brinca ao TSU para depois aumentar IRS a todos os portugueses, que sofrem na pele e no osso uma austeridade que não está a resolver nada, era também obrigatório que o Governo fosse mais além na questão das Fundações.

Não esqueço o valor e o trabalho de muitas Fundações, mas na maior parte dos casos são entidades onde se arranjam empregos para os amigos e vegetam vários políticos. Se se pedem ao povo esforços inacreditáveis, mais Fundações deviam ser extintas e os cortes nos apoios não podiam ser de 30 por cento mas totais.

Sendo assim, não passa de uma medida demagógica e que ofende os portugueses, os trabalhadores e os empresários. Fala-se de cigarras e formigas, mas as cigarras continuam a ser privilegiadas. E não podem.

Sem comentários:

Publicar um comentário