quarta-feira, 10 de outubro de 2012

A maturidade da Justiça brasileira e Lula

É o caso de Justiça dos mais importantes da história do Brasil. Por lá, não existe nenhuma Cândida Almeida a dizer que os políticos brasileiros não são corruptos.

O nosso país-irmão é hoje uma potência de primeiro mundo, onde ainda subsistem algumas desigualdades mas com uma classe média a crescer, o que significa que tem diminuído a pobreza. Na origem deste salto qualitativo estão, primeiro, Fernando Henrique Cardoso e, depois, Lula. Dois grandes presidentes.

Porém, há muito que estava em investigação o designado Mensalão. O caso-bandeira da corrupção na política que envolvia vários homens do presidente Lula. Apesar da influência do poder político, a Justiça brasileira mostrou a sua maturidade e independência e condenou-os, especialmente José Dirceu, o homem mais influente do Brasil naquele tempo. Falta apenas saber se Lula sabia de todo o esquema, isso não conseguiram provar.

Este caso brasileiro exibe à sociedade e à sociedade a tibieza da Justiça portuguesa, onde os fracos são condenados em processos sumários, mas os fortes vêem os seus processos arrastarem-se anos e anos sem condenação. Por isso é que Portugal não é um País de corruptos, só por isso.

Sem comentários:

Publicar um comentário