quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

A queda da máscara de um vigarista

Tenho pena, tenho mesmo muita pena. Mas por outro lado, adoro ver um vigarista, mentiroso compulsivo, desmascarado e desesperado...

Acordei hoje, recebo um telefonema, depois outro, primeiro fico perplexo, segundo já esperava a atitude de quem caiu na ratoeira. E sorri o riso do gato que acabou de se deliciar com o rato.

A máscara caiu e bastou um lar de terceira idade. Negócio, aliás, a que auguro grande futuro. Hoje, vou estar a rir todo o dia. O dia começou bem e vai continuar melhor. Chove imenso o que ajuda também a lavar toda as impurezas das ruas.

A credibilidade é como a virgindade. E o rato nunca vence o gato. Miau!

Sem comentários:

Publicar um comentário