sexta-feira, 7 de janeiro de 2011

«Sê como a árvore do sândalo, que perfuma até o machado que a corta»

Rabindranath Tagore

Sem comentários:

Publicar um comentário