sexta-feira, 29 de junho de 2012

Umas notas sobre o Sporting

Depois do termo do Euopeu para a nossa selecção, os adeptos voltam a estar mais atentos aos seus clubes e agora começa a nova temporada. Por isso deixo umas notas sobre a actualidade do meu.

1- A selecção provou que sem formação de qualidade não teríamos uma participação ímpar nos grandes certames. A nossa selecção teve o dedo de muitos homens que andam há muitos anos a trabalhar em prol do clube, descobrindo talentos e lapidando-os. A Academia do Sporting foi a que forneceu mais jogadores neste Europeu, entre todas as selecções, e com proeza devidamente assinalada por jornais estrangeiros. Por isso, o caminho da formação e não a de compra de jogadores estrangeiros lesionados ou com pouca qualidade é o mais certo. Falta, no entanto, ao clube a capacidade de manter mais tempo os talentos que forma.

2- O Sporting investe bastante no futsal, mas este ano não ganhou nada. Vi todos os jogos da final e vi a vergonha que se passou, tornando o campeonato de futsal uma nova Taça Lucílio Baptista para o mesmo destinatário. Houve um vogal da direcção, com relação com Fernando Seara e ex-membro do Conselho de Jurisdição do PSD, que decidiu emitir um comunicado a atacar a Federação. Fê-lo bem, mas para ganhar simpatia e popularidade pessoal, tiques da pequena política. Esses tiques são os que acham que o povo não tem memória ou é parvo. Esse vogal, ao atacar a Federação, esqueceu-se de uma coisa: é que foi Godinho Lopes o primeiro a apoiar esta Federação, não sei com que garantias.. Mas são tiques de políticos...

3- Durante este tempo, continuamos com um presidente trota-mundos em busca de investidores, que o Sporting necessita. Nesta demanda, que envolve também a Índia, fico sem saber se Godinho Lopes segue a saga de Vasco da Gama ou de Fernão Mentes? Minto, perdão, Fernão Mendes Pinto. Não haverá no Sporting mais ninguém com contactos e capacidade de negociar? Temos um presidente a viajar sem parar? Como é que se gere um clube assim?

4- Negócio com Odivelas. Conheço a qualidade e a honestidade da sua presidente, Susana Amador, o fervoroso sportinguismo do seu vice, membro do Conselho Leonino, Mário Máximo e o talento e o futuro do vereador Paulo César Teixeira que comandou as reuniões desse lado. Quando duas partes negoceiam tem de haver cedências e compromissos, é natural. Mas da parte do Sporting, que escolheu Odivelas para outro pólo da sua actividade há uma coisa que não compreendo. O Sporting vai investir 4 milhões, vai levar gente a Odivelas e o concelho ganha com isso, logo, se o Sporting paga tudo, por que é que deixa 50% das receitas de bilheteira, 50% do "naming" e 50% dos direitos televisivos nos cofres da autarquia?

Sem comentários:

Publicar um comentário