domingo, 17 de junho de 2012

40 anos do Watergate e as suas lições actuais

Dois jornalistas que se tornaram estrelas, com a ajuda de uma "Garganta Funda", abateram um Presidente americano que era um escroque e uma figura repleta de demónios na sua psique, que era débil. Chamava-se Richard Nixon.

Hoje, apesar de qualquer pessoa poder contruir conteúdos informativos, e aparentemente se viver uma globalização e democratização dos meios com o abatimento da importância dos "gate-keepers", o que é certo é que os meios tradicionais têm de desempenhar um papel importante na defesa da verdade e na denúncia de factos de relevãncia para a sociedade.

Por vezes tenho crescentes dúvidas sobre a liberdade de imprensa actual, devido a diversos condicionamentos, nomeadamente ecoómicos. Cabe aos jornalistas fazerem de livre consciência o seu papel. É essa a maior herança do caso Watergate.

Sem comentários:

Publicar um comentário