quinta-feira, 21 de junho de 2012

Da entrevista de Paulo Pereira Cristóvão

Confesso que esta entrevista não foi boa para o Sporting Clube de Portugal, que continua por maus motivos a fazer notícias e manchetes. Todos os homens são inocentes até que haja sentenças que transitem em julgado e não gosto, como já escrevi, que o  jornalismo se torne a arena de julgamentos e linchamentos populares.

Desta entrevista ficámos esclarecidos de que Godinho Lopes e seus pares sabiam bem que contratos assinaram, ao contrário da operação que ontem foi promovida nos jornais. Aliás, já Carlos Barbosa tinha referido publicamente que só por conhecimento do presidente os tinha também assinado.

Ontem ouviu-se uma vez mais que esse contrato servia para «protecção de activos» (dos jogadores). Se assim foi, porque não foi a SAD que trata dos activos (jogadores) a celebrar esse contrato de 10 mil euros mês?

Outra nota saliente o facto do ex-vice presidente referir que tem a solidariedade dos seus ex-colegas de direcção. Não sei o que foi dito e consta do processo, mas em termos públicos e em Alvalade - onde alguns sempre desejaram a sua saída - não tem essa solidariedade. Hoje, já o JN dá conta que pode ser instaurado um processo pelo Sporting a Paulo Pereira Cristóvão.

É um folhetim que não terá fim nos próximos tempos, que machuca o Sporting e o principal responsável chama-se Godinho Lopes. Esta é a equipa que escolheu e um líder deve saber sempre escolher os homens que o acompanham. Quem não é um líder não sabe.

Sem comentários:

Publicar um comentário