terça-feira, 22 de maio de 2012

O momento do Benfica

Escusam logo de comentar que o meu clube não está melhor, pois sou obrigado a concordar, mas o Benfica por causa do caso Paulo Pereira Cristóvão e pela derrota leonina na Taça de Portugal tem passado entre os pingos da chuva de alguma crispação interna.

Não sendo adepto dessa colectividade, gosto de ver o momento dos rivais. E o Benfica também está em depressão. Investimento milionário, entreposto de jogadores (onde chegaram a coabitar 5 laterais esquerdos no início da época), ambições de Champions League, mas apenas mais uma taça Lucílio Baptista.

Este ano o mais notável desta colectividade foi o lançamento de uns preservativos com a sua marca e uns descontos numa funerária, de resto pouco se passou por ali.

Depois, Luis Filipe Vieira parece estar mais motivado para os seus negócios do que para os assuntos do clube, onde passa muito poucas horas por semana. E nota-se que há pouco benfiquismo naquela estrutura. Retirando Rui Costa e Shéu, as peças-chave Domingos Soares Oliveira, João Gabriel, Jorge Jesus e Paulo Gonçalves, nenhum é desse clube, sendo apenas profissionais pagos a peso de ouro.

Não há uma oposição a manifestar-se porque os estatutos blindaram de alguma maneira o poder instituído, mas há muita contestação, muitas clivagens e um latente descontentamento com Vieira que se recandidata ao fim de vários mandatos e poucos títulos. Se fosse no Sporting, já tinha sido corrido.

Sem comentários:

Publicar um comentário